Saúde Coletiva e Atividade Física: as Políticas Públicas Respondem e Incorporam as Realidades Setoriais

Por: e Ana Paula Martins Vicentin.

Conexões - v.7 - n.2 - 2009

Send to Kindle


Resumo

Assevera-se na identidade da Promoção da Saúde, o significado dos chamados Determinantes Sociais da Saúde, tanto a nível internacional, quanto no âmbito nacional, com destaque para as implicações da atuação da respectiva Comissão Nacional. Nesse quadro teórico-metodológico, situa-se a Saúde Coletiva e Atividade Física como área de conhecimento e intervenção, comprometida com a redução da morbimortalidade devida ao sedentarismo e hipocinesia, tomando-se diferentes projetos realizados em nosso meio como referências de factibilidade e pertinência. Contemplam-se aí ações desenvolvidas com Agentes Comunitários de Saúde, bem como programas para o controle da obesidade e hipertensão arterial, os quais a partir de necessidades biológicas básicas, incorporaram aspectos sociais relevantes, como organização popular, transporte digno, equipamentos para esporte e lazer, reciclagem de materiais utilizados, superação de condições inadequadas de moradia, violência urbana e ausência do poder público. A questão que se coloca na direção das duas ordens de fato apresentadas é em que medida as políticas públicas setoriais vigentes em nosso país poderão ampliar iniciativas dessa natureza, fazendo-as migrar do interior do pioneirismo acadêmico para a realidade do coletivo.

Endereço: http://fefnet178.fef.unicamp.br/ojs/index.php/fef/article/view/412

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.