Saúde Escolar : Aspectos Biopsicossociais de Crianças com Dificuldades de Aprendizagem

Por: Jairo Roberto Paim Ferreira.

2007

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar aspectos biopsicossociais de crianças com dificuldades de aprendizagem. Pesquisa caracterizada como descritiva diagnóstica, de campo; tendo como população os escolares de ambos os sexos, com idades entre 7 e 10 anos, matriculados e repetindo a 1ª série do ensino fundamental na rede municipal de São José/SC, em 2006. A seleção da amostra foi do tipo intencional (n=52) entre três estabelecimentos de ensino do perímetro urbano. Para coletar os dados foi utilizado um formulário psicossocial iinformações pré, peri e pós-natais; além de características sócio-econômicas e de instrução familiar); um formulário para análise da leitura e escrita - TALE; testes de aptidão física seguindo o protocolo PROESP-BR e testes de aptidão motora através da escala de desenvolvimento motor (ROSA NETO, 2002). Os dados foram armazenados na planilha de dados Excel; o estado nutricional foi identificado através do IMC pelas tabelas de curvas de crescimento e percentis do NCHS (2000). Para verificar os demais componentes da aptidão física, utilizou-se a estatística descritiva, por meio de distribuição de freqüência, percentual, desvio padrão, média e mediana. Para verificar diferenças estatisticamente significativas, fez-se a análise inferencial através do teste "t" de student para amostras independentes. Na avaliação da Aptidão Motora, os dados referentes às variáveis das idades motoras e dos quocientes motores para cada uma das áreas avaliadas foram calculados e armazenados no programa informático "Escala de Desenvolvimento Motor" - EDM (ROSA NETO, 2002) para a obtenção de gráficos e tabelas da amostra analisada. Estes dados foram analisados posteriormente através do software GraphPad InStat complementados pelo GraphPad Prism versão 3.1, mediante a análise de distribuição de freqüências simples e percentuais, média, variância, desvio padrão, mediana, valor mínimo e máximo. Para a comparação da Aptidão Motora entre os dois grupos (G 1 e G 2), utilizou-se o teste de Kolmogorov-Smirnov para testar a normalidade dos dados. O teste t para amostras independentes foi utilizado, com nível de significância p<0,05. Os resultados mostraram que as características psicossociais corroboraram com aspectos apontados na literatura em relação às crianças com dificuldades de aprendizagem. O desempenho escolar demonstrou um ciclo onde os repetentes continuam a não aprender, com mais de 90% de dificuldades; a aptidão física englobando o estado nutricional, apresentou um perfil eutrófico de IMC e mais da metade do grupo com boa resistência aeróbica e flexibilidade. Porém, agilidade e a força explosiva de membros inferiores ficaram abaixo da zona satisfatória. Na avaliação da aptidão motora, o grupo foi classificado como "normal-baixo", com idade negativa de 12 meses, e maiores dificuldades na organização espacial e temporal.. Ao comparar os aspectos motores entre os grupos de repetentes (G1) e de reincidentes (G2), quanto aos quocientes motores, ocorreram diferenças estatisticamente significativas superiores para o G1 no quociente motor geral, na motricidade global, no esquema corporal e na organização temporal. A lateralidade cruzada do grupo G2 mostrou-se proporcional ao conjunto, ou melhor, evidenciando sua relação com problemas de alfabetização.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.