Secção Transversal Fisiológica e Altura de Salto Vertical

Por: João F.l. Gagliardi, Maria Augusta P.d.m. Kiss e Rodrigo Maciel Andrade.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.16 - n.1 - 2008

Send to Kindle


Resumo

Em função do salto ser considerado importante no voleibol, a predição deste por dimensões corporais tem sido investigada. Assim, o objetivo deste estudo foi determinar a associação entre as áreas de secção transversal fisiológica (STF) e o salto vertical com contra movimento e auxílio dos braços (IVC) e com contra movimento e sem o auxílio dos braços (IVS). Foram avaliadas 9 atletas de voleibol do sexo feminino (18±1 anos; 7±2 anos de prática; 77,2±10,5 kg; 181,9±7,6 cm; 26,2±6,1% de gordura) que treinavam 4 dias/semana, 3 horas/dia. Foram determinados IVC (43,33±4,30 cm), IVS (34,00±3,35 cm) e as STF de coxa (COX) total (COXtotal = 294,93±44,22 cm2), de massa magra (COXmagra = 286,98±42,78 cm2) e dos músculos (COXmuscular = 280,44±42,37 cm2), mesmo procedimento adotado para panturrilha (PAN) (PANtotal = 110,42±13,04 cm2; PANmagra = 107,26±5,84 cm2; PANmuscular = 100,72±11,24 cm2). Somente as associações entre PANtotal, PANmagra e PANmuscular e IVC foram signifi cantes (-0,64 a -0,67; p

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/1117

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.