Segurança na Ginástica Olímpica

Por: .

Motriz - v.4 - n.2 - 1998

Send to Kindle


Resumo

Na Ginástica Olímpica, o praticante desafia as leis da física, buscando o domínio do corpo nas mais variadas situações: em posições invertidas, em rotações, em diferentes alturas e equipamentos, utilizando diferentes partes do corpo, assumindo formas diferentes, etc. Este fato poderia levar alguns professores a considerarem a Ginástica Olímpica como uma atividade perigosa, desencorajando a sua prática em muitos ambientes. Porém, o risco de lesões e acidentes ocorre em qualquer forma de atividade física. Mais particularmente na Ginástica Olímpica, a causa de muitos acidentes é proveniente da falta de conhecimento e bom senso dos próprios professores e não da atividade em si. Por meio de uma orientação adequada aos alunos, associada ao bom senso e conhecimento, pode-se criar um ambiente seguro, sem prejudicar o prazer e a obtenção dos benefícios proporcionados pela prática da Ginástica Olímpica. Os principais fatores relacionados à segurança na Ginástica Olímpica serão apresentados neste artigo, destacando-se a importância do ensino das aterrissagens. Como muitos estudos têm revelado que a causa da maioria dos acidentes e lesões nesta atividade ocorrem em aterrissagens mal sucedidas, seria coerente enfatizar o seu aprendizado e domínio completo.

Endereço: http://www.rc.unesp.br/ib/efisica/motriz/04n2/4n2_ART5.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.