Sensibilidade e Especificidade dos Sistemas de Classificação Para Excesso de Peso em Crianças de 7-10 Anos

Por: Danielle Biazzi Leal.

2008 17/11/2008

Send to Kindle


Resumo

Comparar o desempenho de três sistemas de classificações baseados no IMC, para detecção do excesso de gordura corporal em crianças de Florianópolis, SC, Brasil. Métodos: Estudo transversal com 2795 crianças de 7 a 10 anos de idade. Os critérios do IMC da: 1) International Obesity Task Force (IOTF-2000); 2) Organização Mundial de Saúde (OMS-2007) e 3) Brasil-2006 foram avaliados quanto à sensibilidade e especificidade em detectar o excesso de gordura corporal através das dobras cutâneas. A medida de referência utilizada para definir o excesso de gordura corporal foi o percentil 90 do resíduo padronizado do somatório das três dobras cutâneas (tríceps, subescapular e panturrilha medial). O excesso de peso foi computado de acordo com os valores de referência para cada sistema de classificação baseado no IMC e valores dos escores Z-IMC foram calculados para OMS-2007 (Z-OMS) e Brasil-2006 (Z-BR). A curva Receiver Operating Characteristic (ROC) foi utilizada para avaliar os valores de referência para excesso de peso como indicadores do excesso de gordura corporal. Positive e negative likelihood ratio (LR+ e LR-) foram calculados para definir o melhor ponto de corte dos escores Z (Z-OMS e Z-BR) para detectar o excesso de gordura corporal. Utilizando os princípios do teorema de Bayes, a probabilidade do excesso de gordura corporal em crianças classificadas como peso normal ou excesso de peso foi computada de acordo com os pontos de corte alternativos dos escores Z-OMS e Z-BR. Resultados: Os três sistemas de classificação para excesso de peso obtiveram áreas sob a curva ROC acima de 0,800, sugerindo boa precisão do diagnóstico nutricional nas crianças estudadas. Para meninas, melhor sensibilidade foi encontrada de acordo com a classificação Brasil-2006 (83,3%-100%), e para meninos com a classificação OMS-2007 (89,1%-100%). A classificação da IOTF-2000 apresentou alta especificidade, e moderada sensibilidade de diagnóstico para o excesso de gordura corporal em meninas (média 74%). Para as meninas, os pontos de corte alternativos dos escores Z-OMS e Z-BR apresentaram LR+ de 10,20 e 9,89, respectivamente. Para os meninos estes valores foram 8,41 e 9,60, para Z-OMS e Z-BR, respectivamente. O valor obtido de LR- foi 0,17 para as meninas de acordo com ambos os pontos de corte. Para os meninos foi de 0,16 e 0,17 de acordo com os escores Z-OMS e Z-BR, respectivamente. A probabilidade do excesso de gordura corporal em meninas classificadas como peso normal de acordo com ambos os pontos de corte alternativos foi 3,09%. Para os meninos foram de 3,22% e 3,41% de acordo com os escores Z-OMS e Z-BR, respectivamente. Meninas classificadas como excesso de peso pelos escores Z-OMS e Z-BR, obtiveram uma probabilidade do excesso de gordura corporal de 65,98% e 64,98%, respectivamente. Para os meninos estes valores foram 63,60% e 66,60% para Z-OMS e Z-BR, respectivamente. Conclusão: A precisão de diagnóstico dos escores Z-OMS e Z-BR foi similar, apresentando bom desempenho para detecção do excesso de gordura corporal, destacando-se a superioridade dos escores Z da classificação brasileira. Os três sistemas de classificação, de maneira geral, predisseram com precisão o excesso de gordura corporal, com exceção da moderada sensibilidade da classificação IOTF-2000 para as meninas. To compare the performance of three body mass index (BMI)-based classification systems for detecting excess fatness in children from Florianópolis, SC, Brazil. Methods: A cross-sectional analysis of 2795 children aged 7-10-y-old children was used. The BMI criteria from the 1) International Obesity Task Force (IOTF-2000); 2) World Health Organization (WHO 2007) and 3) Brazil-2006 were evaluated on the basis of their sensitivity and specificity for detecting excess body fat from multisite skinfold thicknesses (SFTs). The reference measure used to define excess body fat was the 90th percentile of the standardized residual of the sum of 3 SFTs (triceps, subscapular and medium calf). Excess weight was computed according to the reference values for each BMI-based classification system and the values for Z score BMI were calculated for WHO-2007 (Z-WHO) and Brazil-2006 (Z-BR). Receiver operating characteristic (ROC) curves were used to evaluate the reference values for excess weight as indicators of excess body fat. Positive and negative likelihood ratio (LR+ and LR-) were calculated to define the best cut-offs of Z scores (Z-WHO e Z-BR) for detecting excess body fat. Using the principles of Bayes#theorem, the probability for excess body fat in children classified as normal weight and as excess weight were computed according to the alternatives cut-offs of scores Z-WHO e Z-BR. Results: All three BMI classifications for excess weight obtained the areas under the ROC curves over the value of 0.800, suggesting good precision in diagnosing excess body fat in children studied. For girls, the best sensitivity was found according to Brazil-2006 classification system (83.3%-100%), and for boys with the WHO-2007 classification system (89.1%-100%). The IOTF-2000 classification system showed high specificity, and moderate sensitivity for diagnosing excess body fat in girls (mean 74%). The alternatives Z-scores cut-off points for WHO-2007 and BR-2006 presented LR+ of 10.20 and 9.89 for girls, respectively. For boys these values were 8.41 e 9.60, for Z-WHO and Z-BR, respectively. For girls, the obtained value of LR- was 0.17 for both cut-off points. For boys these values were 0.16 and 0.17 for Z-WHO and Z-BR, respectively. The probability of excess body fat in girls classified as normal weight by the alternatives cut-off points was 3.09%. For boys were 3.41% and 3.22%, according to the alternatives cut-offs of scores Z-WHO e Z-BR, espectively. For girls classified as excess weight by the alternatives cut-off points obtained for Z-WHO and Z-BR, the probability of excess body fat were 65.68% and 64.98%, respectively. For boys these values were 63.60% and 66.60%, for Z-WHO and Z-BR, respectively. Conclusions: The diagnostic accuracy for Z-WHO and Z-BR was similar, showing good performance for detecting excess of body fat, highlighting the superiority of Z scores of Brazilian classification. The three BMI-based classification systems, in general, accurately predicted excess of body fat, with exception of the moderate sensitivity of the IOTF-2000 classification for girls.

Endereço: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/90903

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.