Sídrome Metabólica, Estado Nutricional e Perfil Lipídico em Crianças

Por: Leandro Rechenchosky.

2009 26/02/2009

Send to Kindle


Resumo

A síndrome metabólica (SM) é um transtorno complexo representado por um conjunto de fatores de risco cardiovascular. Alguns trabalhos já demonstram a presença da SM em crianças e adolescentes e sua relação com dislipidemias, mas poucos são os estudos epidemiológicos que investigaram a SM e o perfil lipídico em crianças brasileiras, sobretudo naquelas com peso adequado. Assim, o estudo investigou a associação entre síndrome metabólica, estado nutricional e perfil lipídico em 385 crianças de ambos os gêneros, com idade entre 7,0 e 9,9 anos e matriculadas em escolas públicas e privadas da região urbana da cidade de Maringá/PR. A coleta de dados foi realizada entre junho e novembro de 2007 em laboratório inscrito no Programa Nacional de Controle de Qualidade da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas, em conformidade com a ISO 9001/2000, e envolveu informações sociodemográficas como: gênero, data de nascimento, data da coleta, escola e série; medidas antropométricas da massa corporal, estatura e circunferência abdominal; medidas hemodinâmicas, como a pressão arterial; e medidas dos componentes metabólicos, como colesterol total, HDL-colesterol, LDL-colesterol, triglicérides e glicemia, após jejum de 8 a 12 horas. A classificação do estado nutricional foi obtida de acordo com a proposta de Cole et al. (2000), por meio do índice de massa corporal. Para a classificação da SM foram adotados os critérios propostos pelo National Cholesterol Education Program´s Adult Treatment Panel III - NCEP/ATPIII (2001) modificados para a idade por Cook et al. (2003). Para a avaliação do perfil lipídico foram empregados os pontos de corte recomendados pela I Diretriz de Prevenção da Aterosclerose na Infância e na Adolescência da Sociedade Brasileira de Cardiologia. A análise dos dados foi feita usando-se os seguintes testes: Kolmogorov-Smirnov, Mann- Whitney, ANOVA one-way, Post-hoc de Bonferroni e de Games-Howell, Qui-Quadrado e Fischer. A significância adotada foi de 5% (p<0,05). A classificação antropométrica do estado nutricional indicou 72%, 18,4% e 9,6% de crianças com peso adequado, sobrepeso e obesidade, respectivamente. De acordo com os pontos de corte utilizados, a prevalência de síndrome metabólica foi de aproximadamente 3%; no entanto, quando a análise é feita somente com as crianças classificadas como obesas essa proporção aumentou para 16,2%. Assim, associação significativa foi verificada entre a SM e o estado nutricional, bem como entre o número de componentes alterados e o estado nutricional. Dentre os componentes da SM nenhuma criança apresentou glicemia alterada. Com relação ao gênero, nenhuma associação foi verificada com a SM. Da mesma forma, não foi verificada associação significante entre os componentes do perfil lipídico e gênero. Associação significativa entre o perfil lipídico e o estado nutricional foi observada somente para o componente triglicérides. Proporção elevada (55,8%) de colesterol total foi encontrada neste estudo, sendo que, das crianças com peso adequado e aparentemente saudáveis, 52,7% apresentaram hipercolesterolemia. Com base no total de crianças, verifica-se que cerca de 30% não apresentaram nenhuma alteração nos componentes do perfil lipídico, ou seja, uma alta prevalência (~70%) de crianças com dislipidemias foi diagnosticada neste trabalho. Considerando estas informações, concluiu-se que síndrome metabólica, estado nutricional desfavorável e perfil lipídico inadequado estão definitivamente presentes em crianças, indicando assim a importância de um diagnóstico precoce e da adoção de medidas de prevenção primária já na faixa pediátrica.

Endereço: http://nou-rau.uem.br/nou-rau/document/?code=vtls000171141

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.