Simetria da Força Propulsiva Gerada Pelas Mãos Durante o Nado Borboleta

Por: Caroline Ruschel, Gustavo Soares Pereira, Helio Roesler e Suzana Matheus Pereira.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.17 - n.6 - 2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi analisar a simetria da força dos membros superiores durante a braçada do nado borboleta. Quatorze nadadores de ambos os sexos (18,4 ± 4,9 anos, massa de 71,8 ± 14,6 kg, estatura de 1,78 ± 0,09 m e com média de desempenho correspondente a 74,9 ± 5,8% do recorde mundial) realizaram três execuções de 25 m máximas nadando borboleta. A força média e a força máxima de cada mão foram estimadas através de sensores de pressão do Sistema Aquanex (Swimming Technology Research, EUA). Comparações entre a força produzida pelos lados dominante e não dominante foram realizadas através do teste t de Student para amostras dependentes (p<0,05). Adicionalmente, foi calculado o índice de simetria como uma medida relativa da força aplicada em cada mão. A força média e a força máxima da mão dominante corresponderam, respectivamente, a 55,7 ± 14,7 N e 114,7 ± 39,6 N. Para a mão não dominante, os valores foram de 51,2 ± 14,7 N para a força média e 110,7 ± 36,7 N para a força máxima. Foram encontradas diferenças significativas entre a mão dominante e não dominante para ambas as variáveis (p<0,01). A análise do índice de simetria mostrou valores médios de 8,9% para a força média e de 12,6% para a força máxima, sendo que a maioria dos nadadores apresentou valores maiores do que 10%, para a força média e/ou máxima. Acredita-se que análises futuras devam ser feitas, buscando relações da assimetria com o desempenho de nado. 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2015v17n6p704

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.