Simetria Intermembros no Desempenho do Chute Mae-geri do Karatê

Por: , Fábio Augusto Barbieri, Leandro Marques de Oliveira e .

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.16 - n.4 - 2008

Send to Kindle


Resumo

Introdução e objetivo: O chute Mae-Geri é empregado tanto em situação de kata como de luta. Este tipo de chute é praticado tanto por karatecas iniciantes como por experientes, o que indica a necessidade de analisar sua assimetria intermembros. Assim, questiona-se: indivíduos habilidosos e experientes apresentam assimetria intermembros na execução do chute Mae-Geri? Para responder este questionamento, o presente estudo objetivou comparar o desempenho no chute Mae-Geri entre o membro dominante e o membro não dominante. Método: Participaram deste estudo 10 karatecas experientes, que desferiram um chute frontal Mae-Geri do Karatê em direção a um alvo. Cada participante realizou 5 tentativas com cada membro, com a ordem de apresentação randomizada entre os participantes. Os movimentos dos participantes foram filmados por uma câmera analógica, com freqüência de 60 Hz, posicionada perpendicularmente à perna da frente quando na postura Zenkutsu-Dachi. Os chutes foram coletados no plano sagital dos participantes. As seguintes variáveis dependentes foram calculadas: velocidade máxima do chute, velocidade média do chute, duração do chute, duração da recuperação da perna, altura máxima atingida pelo joelho, amplitude horizontal do quadril, distância inicial do pé ao alvo, distância final do pé ao alvo e comprimento do passo. A comparação entre os membros dominante e não dominante para cada variável dependente foi realizada por meio de teste “t” de Student para amostras relacionadas (p

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/901

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.