Sobre os Profissionais da Aventura: Problemas da Atuação na Interface Esporte e Turismo

Por: Marília Martins Bandeira e .

Licere - v.18 - n.3 - 2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste trabalho foi descrever e analisar criticamente, a partir do município de Brotas, São Paulo, autointitulado capital brasileira da aventura, as condições de trabalho dos, autodenominados, profissionais da aventura. Como metodologia, este artigo apresenta o cruzamento de dados de duas pesquisas: uma etnografia sobre as rotinas da aventura e uma triangulação de análise documental, observação participante e entrevistas com gestores desse município. Encontramos que apesar de haver uma disputa política entre entidades do turismo e do esporte, a realidade de seus profissionais borra as fronteiras desses campos. Concluímos que pensar a aventura como campo híbrido em uma acepção mais geral de lazer pode auxiliar em posturas mais colaborativas para a resolução dos problemas da formação e da atuação profissionais, tais como: informalidade, sazonalidade, baixa remuneração e periculosidade.

Endereço: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/1081

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.