Sustentabilidade Financeira da Arena Beira-rio: Sede da Copa do Mundo Fifa 2014 em Porto Alegre

Por: , Felippe Marchetti e Gustavo Bordin Schumacher.

Motrivivência - v.31 - n.57 - 2019

Send to Kindle


Resumo

A transformação dos tradicionais estádios de futebol em arenas esportivas multiuso é uma tendência internacional, que foi impulsionada no Brasil pela Copa do Mundo FIFA 2014. O estudo teve por objetivo analisar a sustentabilidade financeira da arena Beira-Rio, uma das sedes do evento. Foram analisados documentos, realizadas visitas às instalações e conduzidas entrevistas com os gestores. Os resultados indicaram que o projeto de utilização do Beira-Rio contempla oito fontes de receitas: bilheteria, espaços VIP, estacionamento, publicidade, centro comercial, eventos não-esportivos, catering e visitação às instalações. O Beira-Rio encontra-se, atualmente, em um processo de transição entre um estádio de futebol tradicional e uma arena esportiva multiuso. Em 2017, apresentou um prejuízo aproximado de R$ 8,08 milhões, não se mostrando financeiramente sustentável; todavia, pode se tornar sustentável, com lucro aproximado de R$ 38,51 milhões anuais, caso se potencialize as fontes de receitas já existentes.

Referências

ARSENAL FOOTBALL CLUB. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2017.

BARTOW, A. Trademarks of privilege: naming rights and the physical public domain, 40 U.C. Davis L. Rev. 919, 2007.

BDO/RCS. Naming rights de estádios e arenas no Brasil. 2012. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2017.

BNDES. Arenas Multiuso. 2007. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2014

BONNENFANT, R. La modernization des équipements et installations sportifs. AIRES: Association pour L’Information et la Recherche sur Équipements de Sport et de Loisir, Édition de la Lettre du Cadre Territorial, 2001.

BORGES, C. O futuro da hospitalidade corporativa em estádios. 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2017.

BRIO HOLDING. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2018.

CALIPO, T. Comida começa a ser prioridade nos estádios do Brasil. 2006. Disponível em: Acesso em: 05 out. 2015.

CERETO, M. P. Estádios brasileiros de futebol: uma reflexão modernista? Anais 5º Seminário DecoMomo, São Carlos, Editora FTD, 2003.

CESAR, F. S.; MAZZEI L. C.; JUNIOR, R.; OLIVEIRA, L. R. Sustentabilidade Econômica em Arenas e Estádios: estudo sobre as instalações da Copa do Mundo de Futebol 2014. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, v. 3, p. 184-196, 2013.

CHELSEA FOOTBALL CLUB. Site oficial. Disponível em: Acesso em: 05 out 2017.

CISNEIRO, L. Nova avenida Beira-Rio: dois retrocessos numa tacada só. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2017.

CRUZ, A. H. O. A nova economia do futebol: uma análise do processo de modernização de alguns estádios brasileiros. (Dissertação de Mestrado em Antropologia Social). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

DESBORDES, M. The establishment and management of sports arenas. Londres: Routledge, 2013.

D’AUGUSTINI, G. A relação entre o marketing esportivo e as arenas multiuso: a realidade americana e as possibilidades brasileiras. (Monografia em Publicidade e Propaganda). Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2009.

ESTADÃO. Brasil tem 10 clubes no TOP 10 mundial do programa de sócio-torcedor. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 2016.

FUSSBALL CLUB BAYERN MUNCHEN. Allianz Arena – site oficial. Disponível em: Acesso em: 05 out. 2017.

FERNANDES, M. A.; MEIRELLES, M. Justificativa e proposta de indicador de sustentabilidade financeira. Revista Contemporânea de Contabilidade, vol. 10, n. 20, p. 75-96, 2013.

FIFA. Os números da Copa do Mundo da FIFA. 2015. Disponível em: Acesso em: 10 jan. 2017.

FUTBOL CLUB BARCELONA. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

GASS, N. O jogo das marcas: a repercussão espontânea das marcas nas mídias através da sua presença no estádio da final do Gauchão 2014. Dissertação de mestrado em Publicidade e Propaganda. Porto Alegre: 2014.

GLOBOESPORTE. Top128: confira o ranking de público dos clubes das sérias a, b, c e d do Brasileirão. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2018.

GOVERNO FEDERAL. Portal da Copa. Disponível em: < http://www.copa2014.gov.br/ > Acesso em: 5 out. 2017.

IKENAGA, A. L. A atribuição de nome como modo de exploração de bens públicos. Dissertação (Mestrado em Direito). Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

JUVENTUS FOOTBALL CLUB. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2017.

KPMG. Futebol: paixão & negócios. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2017.

KURTZMAN, J. Sport tourism categories. Journal of Sport Tourism. vol.10, n.1, p. 15-20. 2005.

LA CORTE, C. Estádios brasileiros de futebol uma análise de desempenho técnico, funcional e de gestão. (Tese de Doutorado em Arquitetura) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

LIVERPOOL FOOTBALL CLUB. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2017.

MANCHESTER UNITED. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2017.

MARKERINK, J. The development of stadiums as center of large entertainment areas. The Amsterdam Arena case, 2005.

NINA, T. Arena da Amazônia: gestão sustentável na opinião de gestores locais. (Tese de Mestrado em Gestão Desportiva). Universidade do Porto, Porto, 2014.

PLURI CONSULTORIA. Terceiro ranking mundial de público nos estádios. 2014. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2017.

REAL MADRID CLUB DE FUTBOL. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2017.

RUFINO, A. Arena Multiuso: um novo campo de negócios. Trevisan: São Paulo, 2011.

SPORT CLUB INTERNACIONAL. Site oficial. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2017.

STEVENS, T. Sport and urban tourism destinations: the evolving sport, tourism and leisure functions of the modern stadium. In Sport Tourism Destinations: issues opportunities and analysis. Oxford: Elsevier, 2005.

TRUMBPOUR R. C. The new cathedrals: politics and media in the history of stadium construction, Syracuse, Syracuse University Press, 2007.

UEFA. The European Club Footballing Landscape - Club Licensing Benchmarking Report: Financial Year 2015. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2018.

VILELA, A. C. F. O processo de projeto da experiência do torcedor em estádios de futebol sob a ótica do design estratégico: um estudo de caso do Sport Club Internacional. (Tese de Mestrado em Design). Unisinos, São Leopoldo, 2011.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2019e56102

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.