Tempo de Reação e Tempo das Provas de 50 e 100 Metros Rasos do Atletismo em Federados e Não Federados

Por: e Renata J. Miyamoto.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - v.4 - n.3 - 2004

Send to Kindle


Resumo

RESUMO Com o intuito clarificar algumas questões ainda não totalmente consensuais no que tange ao tempo de reação (TR), especificamente em relação ao nível de habilidade do sujeito e à correlação com o tempo de movimento (TM), o presente trabalho tem por objetivo verificar a ocorrência de relações entre a saída do bloco e o desempenho nas provas de 50 e 100 metros rasos do atletismo em atletas masculinos de diferentes níveis competitivos. Dois grupos foram formados, um composto por 15 atletas não federados e outro por 17 atletas federados. Além da tomada dos tempos totais nas corridas de 50 (TM50) e 100 (TM100) metros rasos, mediu-se o TR de membros inferiores (TRMI) e o TR de membros superiores (TRMS). Os resultados foram organizados pela comparação entre os grupos em cada uma das medidas (teste t Student) e pelo cálculo da matriz de correlação de Pearson nas quatro medidas separadamente para cada grupo. Concluiu-se que: (a) para velocistas de alto nível, quanto menor o TRMI no bloco de saída, maior a chance de sucesso na prova dos 100 metros rasos, e, quanto menor o TM50, melhor é o desempenho nos 100 metros; (b) embora os atletas federados apresentem melhor TM em relação aos não federados, o TR não se configura como uma variável determinante de diferenças de desempenho entre velocistas de níveis diferentes; e (c) TRMS com um movimento simples de mão não se correlaciona com TRMI de saída do bloco de partida. Palavras-chave: tempo de reação, capacidade motora, atletismo, velocidade.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.