Tendinopatia dos Fibulares

Por: Dérrick Patrick Artioli, Diego Galace de Freitas, Gladson Ricardo Flor Bertolini e Heitor Donizetti Gualberto.

Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica - v.8 - n.6 - 2010

Send to Kindle


Resumo

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Ressaltar as características do acometimento dos tendões fibulares e o seu tratamento. O objetivo deste estudo foi analisar as diferenças referentes à nomenclatura do acometimento dos tendões, a etiologia, incidência, sintomatologia e o tratamento da tendinopatia dos fibulares. CONTEÚDO: Foram consultados os bancos de dados da Pubmed, CAPS e Google acadêmico, bem como revistas científicas com as seguintes palavras-chaves: tendinose, tendinopatia, tendinite e tenossinovite dos músculos fibulares. Além disso, livros também foram verificados. Foram revisadas 33 referências bibliográficas e foi encontrado que a tendinopatia está ligada a um processo degenerativo, a etiologia é de caráter multifatorial, sua maior incidência é em esportes como basquete, balé e atletismo. Nos achados clínicos, encontra-se fraqueza muscular e nem sempre há dor. CONCLUSÃO: Quando há prevalência de processo degenerativo a nomenclatura mais correta a ser utilizada é tendinopatia, ocorrendo com maior frequência em esportes e não sendo obrigatória a presença de dor. Apesar de o tratamento ser pouco descrito, os exercícios excêntricos parecem trazer os melhores resultados, porém, há a necessidade de outros estudos que abordem o tema.

Descritores: Fibulares, Fisioterapia, Lesões dos tendões, Reabilitação, Tendinopatia, Tratamento.

Endereço: http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2010/v8n6/a1604

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.