Teste de Conconi Adaptado Para Bicicleta Aquática

Por: Jonas Neves Martins.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.13 - n.5 - 2007

Send to Kindle


Resumo

A prática regular de exercícios físicos tem sido considerada um dos mecanismos que auxiliam a melhoria de padrões da saúde e de qualidade de vida. Em conseqüência do crescimento da procura por academias de ginástica, as atividades físicas no meio líquido, com destaque para a bicicleta aquática, têm aumentado nos últimos anos. No entanto, há ainda carência de métodos para a avaliação e prescrição do treinamento aeróbio neste tipo de equipamento. O objetivo deste estudo foi propor uma adaptação do teste de Conconi et al. (1982) para bicicleta aquática. Foram testados 27 participantes (24 ± 6 anos, 171 ± 8cm, 66 ± 12kg) 15 do sexo masculino e 12 do feminino. Os participantes foram submetidos a um teste progressivo, realizado em bicicleta aquática, com carga inicial de 50RPM e incremento de 3RPM a cada minuto, até a exaustão. A FC foi registrada durante todo o teste. Para análise dos dados, foi utilizada estatística descritiva e o teste "t" de Student (P < 0,05) para comparação entre os sexos. O ponto de deflexão da FC (PDFC) foi identificado em 85% dos sujeitos. Não houve diferença significativa na FCmáx (181 ± 12 e 181 ± 10BPM), PDFC (162 ± 10 e 172 ± 9BPM) e no %PDFCrpm (91 ± 4 e 90 ± 3%RPMmáx) entre os sexos masculino e feminino respectivamente. Por outro lado, RPMmáx (81 ± 6 e 72 ± 5RPM), %PDFC (90 ± 5 e 93 ± 3%FCmáx) e PDFCrpm (74 ± 6 e 66 ± 4RPM) foram significativamente diferentes. Assim, conclui-se que o teste de Conconi pode ser realizado em bicicleta aquática.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v13n5/07.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.