Teste Máximo de 3 Minutos em Ciclo-ergômetro Isocinético: análise de reprodutibilidade e respostas fisiológicas em duas acadêmicas de pedalada

Por: .

100 páginas. 2012 10/12/2012

Send to Kindle


Resumo

A partir da relação entre cargas de trabalho e os seus respectivos tempos de exaustão pode-se estabelecer parâmetros relacionados tanto à capacidade aeróbia (potência crítica), como à capacidade anaeróbia. Recentemente foi proposto na literatura, um teste máximo (all-out) com 3 minutos de duração (3MT) em ciclo-ergômetro, a fim de estabelecer os mesmos parâmetros obtidos pelo conceito "clássico" da potência crítica, e adicionalmente mensurar também o consumo máximo de O2 ( O2max). O objetivo deste estudo, foi analisar a reprodutibilidade dos parâmetros mecânicos e também do O2pico obtidos do 3MT em um ciclo-ergômetro isocinético, utilizando duas cadências de pedalada (60rpm e 100rpm). Um segundo objetivo foi comparar as respostas obtidas no 3MT entre as duas cadências analisadas. A validade do O2pico também foi analisada. Participaram deste estudo 14 indivíduos sadios e fisicamente ativos (27,1 ± 4,5 anos de idade; 174,8 ± 5,5 cm e 77,7 ± 9,6 kg) que realizaram os seguintes testes: um teste incremental de rampa e quatro 3MT em ciclismo isocinético (dois a 60rpm e dois a 100rpm, randomizados). A partir destes testes foram determinados os seguintes índices: potência pico (PP), potência média (MP), potência média dos últimos 30 s, ou potência final (EP), índice de fadiga (IF), trabalho realizado acima da EP (WEP), trabalho total (Wtotal) e o O2pico. Para análise de reprodutibilidade foram utilizados: a análise de variânciatwo-way (testes versus cadência) de medidas repetidas, teste post hoc de Bonferroni, o teste de correlação intraclasse (ICC), além do erro típico de medida (ETM). Para comparação entre as cadências, foram utilizados: a análise de variância one-way de medidas repetidas, o teste t de Student para amostras pareadas, e o coeficiente de correlação de Pearson. Foi adotado um nível de significância de 5%.Todos os índices analisados não apresentaram diferença significante entre o teste e o reteste para cada cadência. O O2pico obtido nos 3MT foi altamente reprodutível (ICC> 0,97 e ETM< 3,2%) e não apresentou diferença com o obtido no teste incremental (p<0,05). Dentre os parâmetros mecânicos, a MP juntamente com o Wtotal foram os índices que apresentaram melhor reprodutibilidade (ICC> 0,97 e ETM<3%) para ambas as cadências, seguidas da EP (ICC> 0,91 e ETM<6%), IF (ICC>0,80 e ETM<4%), PP (ICC>0,81 e ETM<10%), e WEP (ICC>0,79 e ETM<10,5%). Além disto foi encontrada diferença significante entre as cadências (p<0,05), para todos os índices mecânicos, com exceção da WEP. Conclui-se que o tanto o perfil de potência como o O2pico obtido no 3MT isocinético são altamente reprodutíveis, nas cadências de 60 e 100 rpm. Além disto, o O2picoé uma medida válida quando obtida no 3MT isocinético. Mais pesquisas são necessárias para determinar a validade e consequentemente o significado fisiológico, em especial da EP e do WEP, obtidos em diferentes cadências.

Endereço: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/101020

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.