Trabalho e Emancipação em Marx: os Limites da Educação Para a Superação da Lógica do Capital

Por: .

96 páginas. 2014 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Nas contradições da sociedade capitalista surgem os questionamentos quanto à emancipação efetiva do homem e qual o real papel da educação nesse processo. Em nossa pesquisa, usando como referencial teórico a obra de Karl Marx (1818 – 1883), veremos os limites da educação na sociedade burguesa no que tange a questão da emancipação humana real. Para tanto compreenderemos a categoria trabalho como base para o entendimento da organização social capitalista, onde, partindo da relação do homem com sua atividade produtiva, poderemos estabelecer as interfaces entre o Estado burguês e os modelos de educação, apresentando os limites, dentro da lógica do capital, da emancipação humana através da educação. Na explanação sobre o trabalho veremos como este se apresenta de maneira estranhada ao trabalhador, e venda da força de trabalho e o comportamento da mercadoria na ótica capitalista. Passaremos para a questão da emancipação, onde traremos a os limites das emancipações burguesas partindo da analise de suas próprias proposições, mostrando que somente com a superação do Estado o homem poderá, efetivamente, emancipar-se. Na questão da educação veremos como este elemento foi historicamente usado como ferramenta de manutenção de poder dos detentores dos meios de produção em relação aos não proprietários, apresentando os limites da educação dentro do Estado capitalista para a emancipação do homem. A educação leva ao caminho do esclarecimento, porém, ela sozinha não é capaz de libertar o homem das amarras do capital.

Endereço: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/9018

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.