Tracking da Atividade Física em Adolescentes Entre 2010 e 2014

Por: Antonio Stabelini Neto, Géssika Castilho dos Santos, Paula Roldão da Silva, Renan Camargo Correa, Rui Gonçalves Marques Elias e Waynne Ferreira de Faria.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.20 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Embora os benefícios da prática regular de atividade física (AF) estejam bem estabelecidos na literatura, estudos nacionais de rastreamento (tracking) ainda são escassos. O objetivo do estudo foi analisar o tracking da atividade física entre 2010, 2012 e 2014 em adolescentes de Jacarezinho, Paraná. Foram avaliados em 2014 adolescentes (idades: 15,6 ± 0,6 anos) que já tinham participado do levantamento em 2010 e 2012. A atividade física foi avaliada pelo questionário de Baecke nos domínios: escolar, esportivo e lazer. ANOVA para medidas repetidas foi adotada para comparar os índices de atividade física (IAF) entre 2010, 2012 e 2014. O coeficiente de correlação de Spearman foi empregado para associar os IAF obtidos em 2014 com os anos anteriores. Foi observada redução significativa em ambos os sexos nos índices total e escolar de 2012 e 2014 em comparação ao ano de 2010. O índice lazer também apresentou redução significativa no sexo masculino de 2012 a 2014 (p<0,05). Na correlação entre 2014 e os anos anteriores, os meninos demonstraram fraca associação no índice lazer em 2010 (rho=0,292). Já no sexo feminino, os valores foram significativos nos índices lazer e total (rho=0,263; rho=0,307) em 2010 e nos índices esportivo e total (rho=0,337; rho=0,332) no ano de 2012. Os achados indicam que a AF dos adolescentes diminuiu com o avanço da idade, tendo como resultado o tracking fraco a moderado.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2018v20n1p64

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.