Treinabilidade da Capacidade de Imaginação em Indivíduos Pós Acidente Vascular Encefálico

Por: , , Kátia Maria Kuczynski, Larissa Rebola Volpi da Silva, Ricardo Weigert Coelho e Suelen Meira Goes.

Revista da Educação Física - UEM - v.23 - n.3 - 2012

Send to Kindle


Resumo

A imaginação tem sido utilizada para melhorar o desempenho motor funcional de indivíduos pós-Acidente Vascular Encefálico (AVE). Porém, a habilidade desses sujeitos em gerar imagens vívidas é um fator questionado. O objetivo deste estudo foi investigar o efeito de um programa de imaginação sobre a treinabilidade da capacidade de imaginação de indivíduos pós AVE. Sete sujeitos acometidos por AVE participaram do estudo. A avaliação da capacidade de imaginação foi aplicada no pré-teste (PRÉ-CI), pós-teste (PÓS-CI) e após o período de retenção (RET-CI), utilizando o Questionário de Imaginação Visual e Cinestésica (KVIQ-10). Foram realizadas quatro sessões de pré-condicionamento e seis de prática específica da imaginação. Os indivíduos melhoraram a capacidade de imaginação somente para o domínio cinestésico quando as tarefas eram imaginadas com o lado não afetado pelo AVE (p=0,03). A melhora encontrada indica certa assimetria com relação à capacidade de imaginação para esses indivíduos.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/16747/10460

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.