Treinamento Físico Militar, Força Muscular e Composição Corporal de Militares Brasileiros

Por: Eduardo Camillo Martinez, José Fernandes Filho, Marcos de Sá Rego Fortes, Runer Augusto Marson e Samir Ezequiel da Rosa.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.24 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Desde 1965, o Exército Brasileiro (EB) participa das missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) enviando grandes contingentes para diversos lugares do mundo, como Angola, Moçambique, Timor Leste e Haiti. Para isso, os militares precisam estar em condições físicas mínimas para enfrentar quaisquer obstáculos no decorrer das ações no teatro de operações. Objetivo: Verificar os efeitos do Treinamento Físico Militar (TFM) sobre a força muscular dos membros superiores, as variáveis antropométricas e a composição corporal de militares brasileiros integrantes do 24º contingente de missão de paz da ONU no Haiti. Métodos: A amostra foi constituída de 192 militares do sexo masculino com média de idade de 23,2 ± 3,6 anos. Eles cumpriram regime de internato, tendo atividades e refeições com horários definidos, sendo liberados nos finais de semana. O TFM foi aplicado quatro vezes por semana, com 90 minutos de duração por 14 semanas e envolveu exercícios aeróbicos e resistidos. No período pré e pós-TFM foram medidas massa corporal (MC), altura, circunferência da cintura (CC) e do abdome (CA) para calcular o índice de massa corporal (IMC) e o percentual de gordura (%G) com o protocolo de Salem. Além disso, foram realizados testes de corrida de 12 minutos, flexão de braço, abdominal supra e flexão na barra para calcular o índice de Rogers (IR). Resultados: Ao comparar os resultados pré e pós-TFM verificou-se diferença significativa em todas variáveis antropométricas e composição corporal (MC, IMC e %G) e também no IR para força muscular dos membros superiores. Conclusão: O TFM em 14 semanas aponta melhora nas variáveis antropométricas e de composição corporal, bem como aumento da força muscular dos membros superiores em militares brasileiros integrantes dos contingentes de missões de paz da ONU no Haiti. Este estudo concluiu que o IR pode ser uma ferramenta eficaz para avaliação de força muscular de militares. Nível de Evidência II; Estudos terapêuticos - Investigação dos resultados do tratamento

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922018000200153&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.