Treinamento Intervalado de Alta Intensidade é Um Método Prático e Tempo-eficiente Para Melhorar a Função Muscular e o Desempenho Físico em Mulheres Pós-menopausadas

Por: Aletéia de Paula Souza.

2017 21/02/2017

Send to Kindle


Resumo

O treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) tem mostrado ser uma estratégia tempo-eficiente alternativa para a redução da gordura corporal e o aumento da capacidade cardiorrespiratória e da massa muscular. Apesar dessas adaptações, não existe evidência se estas adaptações induzidas pelo HIIT promovam melhora no desempenho físico em pessoas idosas. Portanto, o objetivo do estudo foi investigar o efeito do HIIT na força muscular (FM), na taxa de desenvolvimento de força (TDF) e no desempenho físico (teste de caminhada de seis minutos (TC6) e curta bateria de desempenho físico(SPPB)) em mulheres pósmenopausadas (PM). Terminaram o estudo trinta e quatro mulheres divididas em dois grupos: HIIT (n = 14) e treinamento combinado (COM) (n = 20). O grupo HIIT realizou um protocolo de treinamento composto de dez sessões de 60s de exercício de alta intensidade (30s de subir e descer em um step e 30s de agachamento o mais rápido possível) a 80-95% da frequência cardíaca máxima (220 - idade) ou escala de Borg (CR-10) em 7-9. O grupo COM realizou um protocolo de treinamento composto por 30 minutos de caminhada (a 70% da FCmáx ou escala de Borg em 5-6) seguida por cinco exercícios com pesos (três séries de 8-12 repetições a 70% de 1-RM, com um período de descanso de 1,5 min. entre séries e exercícios). Ambos os grupos realizaram o treinamento três vezes por semana (em dias não consecutivos). A frequência de treinamento foi para o HIIT de 90,7% ± 9,2% e para o COM de 90,7% ± 8,3%. No início do estudo, todas as participantes apresentaram sobrepeso e desempenho físico normal. Não houve diferenças significativas entre os grupos quanto à idade, tempo de menopausa, índice de massa corporal, desempenho físico, teste de uma repetição máxima (1-RM), contração voluntária máxima isométrica (CVMI) e TDF no início do estudo. O principal achado do presente estudo foi que em 12 semanas de HIIT ocorreram adaptações na TDF e no desempenho físico (mas não na força muscular) semelhantes às observadas no COM em mulheres PM. O presente estudo sugere que o HIIT é uma estratégia tempoeficiente alternativa para melhorar a função muscular e o desempenho físico em mulheres PM.

Endereço: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/372

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.