Turismo Induzido Por Filmes: a Imagem do Nordeste Propagada Pelo Cinema Brasileiro no Ponto de Vista do Estudante de Cinema no Ceará

Por: Francisco Samuel Pereira Neto e Iraci de Oliveira Moraes Schmidlin.

Podium Sport, Leisure And Tourism Review - v.2 - n.2 - 2013

Send to Kindle


Resumo

 01-31

Esta pesquisa trata do fenômeno Turismo Induzido por Filmes como uma estratégia de marketing para lugares, abordando conceitos das três áreas alicerce, sendo elas o Marketing, o Turismo e o Cinema, para o estudo, explanação e formação das ideias. Traz o desenvolvimento do fenômeno no mundo, sua história, primeiras constatações de sua existência e valor como formador e fixador da imagem de um lugar na mente do público, além de enfatizar os benefícios na aplicação de tal estratégia para o crescimento local. Em seguida, o referencial teórico aborda a condição do cinema e a aplicação da estratégia no Brasil, e então trata da imagem do Nordeste, abordando, a princípio, como fora formada a ideia de nordeste que se tem mais fortemente fixada no imaginário das pessoas hoje, e como as artes, e mais tarde, o cinema, contribuiu e ainda contribui para isso. Finalmente, a pesquisa trata, por meio da aplicação de questionários, da visão dos estudantes de Cinema no Ceará, representados pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade de Fortaleza (UNIFOR), sobre as produções cinematográficas nacionais que retratam o Nordeste e a imagem que propagam da região.

REFERÊNCIAS

Albuquerque Júnior, D. M. (2011). A invenção do Nordeste e outras artes. 5. ed. São Paulo: Cortez.

AMA (2007). Definition of marketing. Disponível em: < http://www.marketingpower.com/aboutama/pages/definitionofmarketing.aspx>. Acesso em: 1 fev. 2013.

Bandeira De Melo, P. (2008). O financiamento do cinema no Brasil: as leis de incentivo e a possibilidade de autonomia. In: II Encontro da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (Ulepicc). Bauru - São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 8 dez. 2012.

Beeton, S. (2005). Film-induced tourism. Clevedon, UK: Channel View Publications. (Aspects of tourism, 25). Disponível em: < http://books.google.com.br/books?id=3z1i3VcYyGQC&printsec=frontcover&dq=Film-Induced+tourism&hl=pt-BR&sa=X&ei=nglwUZuABoaG9QSg0IG4Ag&ved=0CDMQ6AEwAA#v=onepage&q=Film-Induced%20tourism&f=false>. Acesso em: 8 dez. 2012.

Brasil, Ministério do Turismo & Dharma, Instituto (2008a). Turismo Cinematográfico Brasileiro. Brasília: Instituto DHARMA; Ministério do Turismo. Disponível em: < http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Cartilha_Cinema.pdf >. Acesso em: 8 dez. 2012.

Brasil, Ministério do Turismo & Dharma, Instituto (2008b). Estudo de Sinergia e Desenvolvimento entre as Indústrias do Turismo e Audiovisual Brasileira. Brasília: Instituto DHARMA; Ministério do Turismo, (2ª edição). Disponível em: . Acesso em: 8 dez. 2012.

Brasil, Ministério do Turismo (2010). Turismo Cultural: orientações básicas. Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação-Geral de Segmentação. – 3. ed.- Brasília: Ministério do Turismo. Disponível em: < http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Turismo_Cultural_Versxo_Final_IMPRESSxO_.pdf>. Acesso em: 8 dez. 2012.

Feltrin, F. H. (2010). Merchandising editorial: da vitrine para as telas do cinema e da televisão. Revista Eletrônica Temática. Disponível em: . Acesso em: 8 dez. 2012.

Gjorgievski, M. & Trpkova, S. M. (2012). Movie induced tourism: a new tourism phenomenon. University of Tourism and Management, Skopje, Macedonia, vol. 3(1), pág 97-104. Disponível em: < http://ideas.repec.org/a/ris/utmsje/0053.html>. Acesso em: 8 dez. 2012.

Hayata, K. S. & Madril, M. L. (2009). Turismo cinematográfico: um novo segmento para o desenvolvimento turístico. São Paulo: Cásper Líbero. Disponível em: < http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/export/sites/default/dadosefatos/outros_estudos/downloads_outrosestudos/Graduaxo_2_LUGAR.pdf>. Acesso em: 6 dez. 2012.

Host & Travel (2012). Cinema e turismo em busca do grande público. Disponível em: . Acesso em: 6 dez. 2012.

Kotler, P. et al. (2010). Marketing de lugares: como conquistar crescimento de longo prazo na América Latina e no Caribe. Tradução de Ruth Bahr. São Paulo: Prentice Hall, 2006.

O'Connor, N. (2010). A Film Marketing Action Plan (FMAP) for Film Induced Tourism Destinations. 380 f. Tese. Dublin Institute of Technology. Dublin Institute of Technology, Dublin, IR. Disponível em: < http://arrow.dit.ie/cgi/viewcontent.cgi?article=1016&context=tourdoc>. Acesso em: 8 dez. 2012.

O Globo (2012). Desenho Ratatouille inspira passeio insólito por Paris. Disponível em: < http://oglobo.globo.com/cultura/desenho-ratatouille-inspira-passeio-insolito-por-paris-4163781>. Acesso: 8 dez. 2012.

Rewtrakunphaiboon, W. (2008). Movie induced tourism: inventing a vacation to a location. BU Academic Review. Disponível em: . Acesso em 8 dez. 2012.

Rodrigues, T. & Andrade, J. (2010). Marketing e cinema nacional: estudo de caso de estratégias para o produto “Meu nome não é Johny”. In: XIII SEMEAD – Seminário em Administração da FEA/USP. São Paulo. Disponível em: < http://www.cenacine.com.br/wp-content/uploads/meu-nome-nao-e-johnny-semead.pdf>. Acesso em: 8 dez. 2012.

Roelsh, S. (2009). The experiences of film location tourists. Clevedon, UK: Channel View Publications. (Aspects of tourism, 42). Disponível em: . Acesso em: 6 dez. 2012.

Roteiros Incríveis (2012). Tocantins lança roteiro de turismo cinematográfico. Disponível em: . Acesso em: 6 dez. 2012.

Vagionis, N. & Loumioti, M. (2011). Movies as a tool of modern tourist marketing. Tourismos: Na international multidisciplinary journal of tourism. Disponível em: . Acesso em: 8 dez. 2012.

Endereço: http://www.podiumreview.org.br/ojs/index.php/rgesporte/article/view/42

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.