Uma Breve Revisão Sobre Exercício Físico e Hiv - Aids

Por: Alberto José da Silva Duarte, Jorge Simão do Rosário Casseb, Julia Maria Dandrea Greve e Vagner Raso.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.15 - n.4 - 2007

Send to Kindle


Resumo

A síndrome da imunodeficiência adquirida (aids), causada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), induz imunossupressão profunda e, conseqüente, quadro de infecções oportunistas, neoplasmas secundários e distúrbios neurológicos. O advento da terapia antiretroviral de alta atividade (HAART) representou um importante acontecimento na terapêutica farmacológica empregada no gerenciamento do quadro de infecção pelo HIV. No entanto, embora tenha possibilitado reconstituição imunológica e aumento da sobrevida, os efeitos colaterais provocados pelo uso prolongado da HAART tem enorme repercussão inter- sistêmica. O programa de exercícios independente da modalidade parece não ser suficiente para induzir alteração em importantes parâmetros celulares relacionados ao processo de infecção pelo HIV, como a contagem de linfócitos TCD4+, TCD8+ e a carga viral. No entanto, pode contribuir ao aumento no O2máx, níveis de hemoglobina e na qualidade de vida. Além disso, a adesão a um programa de exercícios de intensidade moderada a vigorosa parece ser segura mesmo para indivíduos imunocomprometidos por não afetar TCD4+ e tampouco a capacidade de replicação viral.

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/781/783

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.