Uma Escola de Esportes em Uberaba- Mg e o Cotidiano Infantil

Por: João Gurgel de Sousa Junior.

166 páginas. 2010 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Diante das mudanças ocorridas no estilo de vida das crianças, com reflexos negativos, a prática de esportes tem sido indicada sob div ersas perspectivas relacionadas ao desenvolvimento infantil. O objetivo deste estudo foi verificar se uma escola de esporte oferece ativ idades compatív eis com as necessidades das crianças. Para tanto foram investigadas 50 crianças, 30 que participav am da escola de esportes (GEE) e 20 que não participavam (GNEE), com idade entre sete e 10 anos. O estudo configurou-se como descritivo, onde foram realizadas verificações da caracterização da cidade, atividades do cotidiano das crianças, condições de saúde, estado nutricional e ativ idades da escola de esporte. Encontrou-se na cidade, aumento da população, violência, tráfego e do sistema urbano. Nas atividades do cotidiano, quando comparados o tempo gasto nas passivas e ativas (GNEE-semana, p-0, 000089, domingo, p-0, 000089), (GEE- semana, p-0, 000002, e domingo, p-0, 000047), utilizando como ponto de corte p <0,05, percebe-se significantes para as atividades passivas. Em relação às condições iniciais de saúde não foram encontradas patologias nas crianças nem alterações sensório-motoras. No estado nutricional do GNEE, referente ao IMC, encontrou-se entre as meninas: 46,6% de casos com sobrepeso e 6,6% com obesidade; entre os meninos não houve casos deste tipo. No GEE, entre as meninas foram encontrados 16,6% dos casos com sobrepeso e 16.6% com obesidade, enquanto que nos meninos 25% dos casos estavam com sobrepeso e 12,5% com obesidade. Na composição corporal relativas as dobras cutâneas tricipitais, foram encontradas no GNEE, 13,3% das meninas com sobrepeso, nenhuma com obesidade e entre os meninos nenhum classificou-se nestas categorias. No GEE houve 16,6% das meninas com sobrepeso, nenhuma com obesidade e entre os meninos 12,5% com sobrepeso e 4,1% com obesidade. Em relação as dobras subescapulares, no GNEE, meninas: sobrepeso (20,0%), meninos: nenhum. No GEE 16,6%, das meninas e 33, 3% dos meninos estavam com sobrepeso. Quando correlacionados o tempo em atividades passivas e os dados antropométricos (semana: IMC, r-0, 360, dobra subescapular, r- 0,354; domingo: IMC,r-0,385 e dobra subescapular, r-0,306), utilizando como ponto de corte r< 0,5, percebe-se correlação positiva, ou seja quanto mais atividade passiva maior os valores antropométricos. Na escola de esportes, são realizadas em média 33min de atividades fisicamente ativas, contribuindo no aspecto motor, social entre outros das crianças. Em função dos resultados similares do GNEE e GEE: com preferência pelas ativ idades passivas, presença de sobrepeso e correlação positiva relacionada as atividades passivas e dados antropométricas, sugere-se que seja aumentado o tempo de ativ idades fisicamente ativ as durante as aulas de esporte e que estas possam incluir ativ idades/orientações que levem à criança a aderir a prática de ativ idades físicas além das realizadas nesta escola. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.