Utilização da Música Assíncrona Altera a Determinação do Limiar Anaeróbio em Corrida?

Por: Claudio Alexandre Gobatto, Felipe Marroni Rasteiro, Fúlvia de Barros Manchado Gobatto, João Pedro da Cruz Rafael Lucas Cetein e Leonardo Henrique Dalcheco Messias.

VI Congresso Sudeste de Ciências do Esporte

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Considerando a literatura atual, é possível sugerir que a utilização da música durante o exercício pode aumentar fatores centrais como o drive neural, o qual pode atuar diretamente no recrutamento de fibras musculares e, por conseguinte, na produção energética por vias metabólicas mais eficientes para a demanda ou mesmo na mobilização de estoques energéticos intracelulares. Contudo, embora investigações tenham avançado na compreensão dos efeitos da música síncrona (sincronização da cadência do esforço com “tempo” musical) no exercício físico, o mesmo não é observado para a característica assíncrona (ausência de sincronização da cadência do esforço com “tempo” musical). Não obstante, influência da música assíncrona sobre a determinação de fenômenos fisiológicos, como a intensidade de limiar anaeróbio (iLAn), concentração lactacidêmica ([Lac]iLAn) e frequência cardíaca (FCiLAn) nessa intensidade, ainda não foi investigada. Objetivo: O presente estudo objetivou analisar o efeito da música assíncrona sobre a determinação da iLAn, [Lac]iLAn e FCiLAn em protocolo incremental realizado em esteira motorizada. Metodologia: Seis homens (idade:21±1 anos; estatura:172±5 cm; massa corporal:70,4±9,9kg; %gordura:7,8±1,2) e seis mulheres (idade:20±1 anos; estatura:162±4 cm; massa corporal:58,9±3,4kg; %gordura:18,3±2,1) saudáveis foram submetidos a duas sessões de avaliação em esteira motorizada (Super ATL, Inbramed). Em ambas as sessões, um protocolo incremental similar foi conduzido, considerando o acréscimo (CM) ou não (SM) de músicas assíncronas selecionadas previamente pelos participantes. O protocolo foi iniciado a 7 km/h, sendo acrescido 1 km/h a cada três minutos, sendo a inclinação da esteira fixada em 1%. A iLAn foi determinada por análise de bissegmentação das retas de regressão. A [Lac]iLAn e FCiLAn foram identificadas por interpolação linear. Os dados estão exibidos em média ± desvio padrão e o nível de significância foi fixado em 5% Resultados: O Teste-t pareado não indicou diferenças para os parâmetros fisiológicos obtidos em protocolo incremental tanto para os homens (iLAn SM=12,5±0,8km/h e CM=12,8±1,3km/h; p=0,286; [Lac]iLAn SM=2,9±1,2mM e CM=2,9±0,7mM; p=0,924; FCiLAn SM=152±10bpm; CM=156±12bpm; p=0,272) quanto

para as mulheres (iLAn SM=9,8±0,7km/h e CM=9,9±0,7km/h; p=0,953; [Lac]iLAn  SM=3,6±0,9mM e CM=4,0±2,0mM; p=0,428; FCiLAn  SM=159±7bpm; CM=159±8bpm;

p=0,653). Considerações finais: A música assíncrona não alterou a iLAn, [Lac]iLAn e FCiLAn em protocolo incremental de corrida em esteira motorizada.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.