Utilização de Feedback em Jogadores de Goalball

Por: Beatriz Matias Avelino do Bonfim e Carlos Bandeira de Melo Monteiro.

II Congresso Paraolímpico Brasileiro

Send to Kindle


Resumo

O feedback tem sido um dos tópicos de maior interesse dentro do campo de investigação denominado Aprendizagem Motora. Este elemento está envolvido nos processos de otimização da prática esportiva, para tornar a prática e a aprendizagem o mais eficientes possível. A freqüência de feedback refere-se ao número de feedbacks fornecidos numa seqüência de tentativas, em relação ao número total de tentativas executadas. Essa variável de estudo é uma das mais importantes, porque não importa se o feedback foi fornecido de forma errônea, em que momento foi fornecido ou qual a sua precisão; nada disso pode ser levado em consideração se a pessoa dispuser da informação apenas por uma vez durante a aprendizagem. Ou seja, nesse movimento relativo, foi preciso buscar melhor definição de sua contribuição no processo de aprendizagem. Assim, para verificar qual freqüência de feedback seria ideal para a otimização da aprendizagem, pesquisadores têm considerado também a freqüência – seja expressa em termos absolutos ou em termos relativos (porcentagem) – como uma variável importante para o feedback. O Goalball (GB) é um esporte paraolímpico para pessoas com deficiência visual e tem como fator importante a utilização de feedback extrínseco como uma variável fundamental no processo de aprendizagem motora, principalmente por se tratar da única informação sobre o resultado da tarefa. Contudo o feedback extrínseco não precisa ser fornecido a cada tentativa, sendo que a verificação da quantidade de feedback adequado é um dado interessante no treinamento do GB.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.