Validação da Subjective Vitality Scale e Estudo da Vitalidade nos Idosos em Função da Sua Atividade Física

Por: Daniel A. Marinho, Diogo Monteiro, João Moutão, Luís Cid e Nuno Couto.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.19 - n.3 - 2017

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi validar a versão portuguesa da Subjetive Vitality Scale - SVS para a população idosa portuguesa com recurso a uma análise fatorial confirmatória. Foi ainda analisada a existência de diferenças na perceção de vitalidade subjetiva entre idosos suficientemente ativos e insuficientemente ativos. Participaram neste estudo 309 idosos (242 sexo feminino, 67 sexo masculino) de nacionalidade portuguesa, com idades compreendidas entre os 60 e os 90 anos (M= 68.59; DP = 6.60). Do total da amostra, 256 são suficientemente ativos e 53 são insuficientemente ativos. Os resultados alcançados revelam que o modelo apresenta valores satisfatórios de ajustamento aos dados (χ² = 28.95; df = 9; CFI = .97; TLI = .94; SRMR = .04; RMSEA = .08; RMSEA 90% CI = .05 - .12). Foi, também, obtida validade concorrente com a versão portuguesa da Escala de Satisfação com a Vida. Os dados obtidos permitem concluir que a versão portuguesa da SVS pode ser utilizada como medida de avaliação de vitalidade subjetiva na população idosa portuguesa. Verificou-se ainda, que a percepção subjetiva de vitalidade é maior entre os idosos suficientemente ativos comparados com seus pares que não atingem a quantidade de prática de atividade física recomendada. 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2017v19n3p261

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.