Validação das Escalas Omni e Borg Para Uso na Bicicleta Aquática Por Mulheres Jovens

Por: Cristine Sponchiado Deresz.

0 páginas. 2008

Send to Kindle


Resumo

As escalas de percepção de esforço de BORG e OMNI são consideradas bons preditores de intensidade do exercício. Porém, necessitam de mais estudos nas atividades aquáticas. O objetivo deste estudo foi testar a validade das escalas de BORG (6-20) e OMNI (ciclismo adulto) na bicicleta aquática em mulheres adultas, utilizando as validades concorrente e por construto. Foram testados 19 indivíduos do sexo feminino (25,1 ± 4,6 anos, 162,5 ± 5,4 cm, 58,1 ± 5,7 kg) e submetidos a um teste progressivo, realizado em bicicleta aquática, com carga inicial de 40 RPM e incremento de 10 RPM a cada 3 minutos, até a exaustão. Para testar a linearidade das cargas, foi feita a regressão linear da FC e da PE em função da RPM. A validade concorrente foi estabelecida correlacionando a PE central, periférica e total de BORG e OMNI com a FC (r=0,85 central e r= 0,86 periférica e total; r= 0,85 central e r=0,87 periférica e total) e com a cadência de pedalada (r= 0,99). A validade de construto foi estabelecida correlacionando PE de BORG com a PE OMNI (r=0,99). Concluiuse que as validades concorrente e por construto suportam o uso das escalas OMNI (ciclismo adulto) e BORG (6-20) para exercícios na bicicleta aquática em mulheres adultas.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2507&listaDetalhes%5B%5D=2507&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.