Validação das Propriedades Psicométricas do Restq-coach na Versão Brasileira

Por: André Gustavo Pereira Andrade, Cristiano Mauro Assis Gomes, Dietmar Martin Samulski e Varley Teoldo da Costa.

Motriz - v.18 - n.2 - 2012

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi determinar a validade da aplicação do The recovery,stress questionnaire  for coaches (RESTQ-Coach) que, na versão brasileira, adotará o nome de Questionário de Estresse e 
Recuperação para Treinadores Esportivos (RESTQ-Coach-versão brasileira) como ferramenta de avaliação  de treinadores esportivos no Brasil. Ainda, o segundo objetivo foi verificar a sua adequação ao modelo  teórico proposto por Kallus e Kellmann (1993) através de análises fatoriais confirmatória (AFC) e  exploratória (AFE). A amostra deste estudo foi composta por 424 treinadores com idade média de 37,06  (±9,20) anos, de onze modalidades esportivas, sendo cinco coletivas e seis individuais. Os resultados da  AFC demonstraram que o modelo original do questionário proposto por Kallus e Kellmann (1993) é  inadequado para esta amostragem. Através da AFE identificou-se que a melhor solução para a validação  fatorial do instrumento é composta por seis fatores. Esta solução revelou valores de consistência interna  geral de α = .85. Os valores dos indicadores de ajustamento do modelo brasileiro de seis fatores da AFE  foram: χ² = 9.660,239 e gl = 2695, p=0,001; CFI= 0,96; TLI= 0,95; RMSEA 0,07, os quais expressam a sua  qualidade. Conclui-se que a proposta de modelo Kallus e Kellmann (1993) não pode ser confirmada através  da AFC nesta amostragem brasileira. E que a melhor solução fatorial para o RESTQ-Coach versão  brasileira é composta por seis constructos.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/4676/pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.