Variabilidade da Frequência Cardíaca: Valores Normativos e Fatores Associados em Adolescentes.

Por: Breno Quintella Farah.

2013 24/04/2013

Send to Kindle


Resumo

A variabilidade da frequência cardíaca (VFC) tem sido empregada como marcador  de risco cardiovascular em grupos com diferentes condições de saúde. Como as  doenças cardiovasculares podem se manifestar desde a infância, é possível que parâmetros da VFC já estejam alterados em adolescentes. No entanto, existe  dificuldade na interpretação dos parâmetros da VFC em jovens, visto que inexistem  valores normativos. Dessa forma, os objetivos do presente estudo foram estabelecer  valores normativos da VFC em adolescentes e analisar os fatores associados aos  parâmetros da VFC nesse grupo. Fizeram parte da amostra 1152 adolescentes, do  sexo masculino, com idade entre 14 e 19 anos, recrutados nas escolas de ensino  médio da rede pública do Estado de Pernambuco. A VFC foi obtida através de  monitor de frequência cardíaca. Em posse dos sinais, foram obtidos os parâmetros  no domínio do tempo (desvio-padrão de todos os intervalos RR [SDNN], raiz  quadrada da média do quadrado das diferenças entre os intervalos RR normais  adjacentes [RMSSD] e percentagem dos intervalos adjacentes com mais de 50ms 
[PNN50]) e o domínio da frequência (bandas de alta [AF] e baixa [(BF] frequências e  balanço simpatovagal [BF/AF]). Os adolescentes foram classificados quanto: ao  nível de atividade física habitual (insuficientemente ativo e ativo), à prática de  esportes (sim ou não), à obesidade abdominal (presença e ausência), ao excesso de  peso (presença e ausência) e à pressão arterial elevada (presença e ausência).  descrição dos parâmetros da VFC, foram utilizados os percentis 5, 10, 25, 50, 75, 90  e 95, bem como a média. A análise de regressão logística binária foi empregada para analisar o grau de associação dos parâmetros da VFC com os fatores de risco  cardiovascular (níveis insuficientes de atividade física, não prática de atividades  esportivas, obesidade abdominal, excesso de peso e pressão arterial elevada). O  valor do primeiro quartil do SDNN foi 44,5 ms, da RMSSD foi 33,2 ms, do PNN50 foi  11% e da banda de AF foi 35,7 un. O valor do quarto quartil do BF/AF foi 1,80 e da banda de BF foi 64,3 un. O nível insuficiente de atividade física foi associado com  menor SDNN (OR=1,39; IC95% 1,04-1,86). Não praticar atividades esportivas foi  associado com menor SDNN (OR=1,73; IC95% 1,27-2,35), RMSSD (OR=1,70;  IC95% 1,25-2,01) e PNN50 (OR=1,69; IC95% 1,23-2,28). A obesidade abdominal foi 
associada com menor RMSSD (OR=1,51; IC95% 1,07-2,15), PNN50 (OR=1,55;  IC95% 1,09-2,19), AF (OR=1,48; IC95% 1,04-2,10) e maior BF/AF (OR=1,51; IC95% 7 1,07-2,15) e BF (OR=1,48; IC95% 1,04-2,10). O excesso de peso foi associado com  menor PNN50 (OR=1,44; IC95% 1,03-2,03). A pressão arterial elevada foi associada com menor RMSSD (OR=2,09; IC95% 1,39-3,14), PNN50 (OR=2,08; IC95% 1,38- 3,12), AF (OR=1,81; IC95% 1,20-2,74) e maior BF/AF (OR=1,85; IC95% 1,22-2,81) e BF (OR=1,81; IC95% 1,20-2,74). Em conclusão, a análise descritiva forneceu indicadores que auxiliam a interpretação dos resultados da VFC em adolescentes.  Ademais, verificou-se associação significante entre os fatores de risco  cardiovascular e os parâmetros da VFC em adolescentes

Endereço: http://w2.atrio.scire.net.br/upe-papgef/pub/ThesisViewAll.do?method=viewAll&id=89&pg_query=7010670501493104&pg_range=5

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.