Variabilidade e confiabilidade dos parâmetros cinemáticos da Marcha de idosos após um tropeço controlado: estudo

Por: , Angélica Lodovico, Gleber Pereira, Márcia Regina Irber Kertscher e Roberta Castilhos Detanico Bohrer.

Revista da Educação Física - UEM - v.29 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Aproximadamente 21% das quedas em idosos ocorrem como consequência de tropeços ao caminhar. Há uma escassez de informações referentes à variabilidade e à confiabilidade dos parâmetros cinemáticos da marcha em diferentes dias de avaliação, sobretudo com idosos. Buscou-se analisar a variabilidade e a confiabilidade (intra e inter-dia) dos parâmetros espaço-temporais e angulares da marcha de idosos, após a indução de tropeço controlado. Oito idosas participaram do estudo. O tropeço foi induzido durante o início da fase de balanço da marcha. Foram analisados os dados cinemáticos das tentativas de marcha. A variabilidade e confiabilidade dos parâmetros espaço-temporais da marcha foram verificados através do coeficiente de variação (CV), do coeficiente de correlação intraclasse (ICC) e do erro padrão de medida (SEM). Avariabilidade dos parâmetros espaço-temporais e angulares intra e inter-dia foi baixa para a maioria das variáveis, à exceção a flexão plantar. O SEM foi baixo para todos os parâmetros. A confiabilidade intra-dia foi moderada a alta para os parâmetros espaço-temporais e angulares; A confiabilidade inter-dia foi baixa a moderada para todos os parâmetros. Asvariáveis não diferiram entre instantes e dias. Apesar do padrão de marcha não ter alterado deve ser analisado com cautela em estudos que incluam intervenção, particularmente para os parâmetros angulares.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/33216

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.