Variação dos Parâmetros do Modelo de Potência Crítica em Resposta a Treinamento de Canoagem

Por: , , Eduardo Bodnariuc Fontes, Fábio Yuzo Nakamura, Juliana Cordeiro de Melo e Thiago Oliveira Borges.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.8 - n.2 - 2006

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi averiguar a sensibilidade dos parâmetros do modelo de potência crítica, em resposta às oscilações nas cargas de treinamento, ao longo de uma temporada competitiva de canoagem. Participaram deste estudo 11 canoístas jovens, do sexo masculino, os quais foram avaliados ao final de cada um de três mesociclos seguidos, sendo: (M1) após mesociclo de característica aeróbia; (M2) após mesociclo de característica mista aeróbia-anaeróbia e; (M3) após mesociclo de característica anaeróbia e de velocidade, o qual antecedia a competição. Nos três momentos, foram determinadas a velocidade crítica (VCrit) e a capacidade anaeróbia da canoagem (CACanoagem) por meio de três distância fixas (500, 1.000 e 1.800 m), percorridas no menor tempo possível. A CACanoagem não foi alterada ao longo dos três mesociclos estudados (M1: 91,4 ± 32,0 m; M2: 89,0 ± 50,8 m e; M3: 74,0 ± 44,2 m). Já a VCrit foi melhorada de M1 (3,19 ± 0,28 m/s) para M2 (3,33 ± 0,28 m/s), mantendo-se estável em M3 (3,32 ± 0,19 m/s). Os resultados apontam que a VCrit é uma variável sensível aos efeitos do treinamento, e pode ser utilizada no monitoramento das adaptações aeróbias ao treinamento.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/3876

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.