Violência Contra as Mulheres: o Caso do Estupro Coletivo na Esfera Pública Digital

Por: Anelisa Maradei e Marli dos Santos.

Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação - v.40 - n.2 - 2017

Send to Kindle


Resumo


Este artigo tem como objetivo identificar os atores sociais na esfera pública digital e o conteúdo das manifestações no Twitter sobre o estupro coletivo ocorrido com uma adolescente brasileira em 2016. Foram selecionados 200 tweets, entre 25 e 28 de maio de 2016, de acordo com a participação observada posteriormente ao fato e no horário de maior audiência na referida rede social. Por meio de análise de conteúdo dos tweets e retweets, encontrou-se uma posição majoritária contra a discriminação de gênero na amostra estudada. Houve também  relativização do crime, revelando uma visão sexista de alguns atores sociais. As manifestações foram geralmente independentes, embora tenha sido observada a presença de grupos de mulheres ativistas e vários formadores de opinião. A maior parte do conteúdo recirculado origina-se dos principais portais e sites de notícias.Referências ALL About Being LGBTQ. Planned Parenthood. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2017. ALMEIDA, Gustavo de. Alexandre Frota é recebido pelo ministro da Educação e diz que ‘não está parado’. Jornal Extra. 25 maio 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010. 280p. BENKLER, Yochai. The Wealth of Networks: how social production transforms markets and freedom. Yale University Press, 2006. 515p. BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política, 5ª edi VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES: O CASO DO ESTUPRO COLETIVO NA ESFERA PÚBLICA DIGITAL Intercom - RBCC São Paulo, v.40, n.2, p.143-168, maio/ago. 2017 166 Acesso em: 14 jul. 2017. CASTELLS, Manuel. O poder da comunicação. Paz & Terra (Grupo Editorial Record), 2015. 630p. ______. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da Internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013. 231p. CERQUEIRA, Daniel; Coelho, Danilo Santa Cruz. Estupro no Brasil: uma radiografia segundo os dados da Saúde1 (versão preliminar). IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Março de 2014. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. CHAPARRO, Manuel Carlos. Interesse público não se confunde com “interesse do público”. O xis da questão. 2012. Disponível em http://oxisdaquestao.provisorio.ws/wp-content/uploads/2016/03/2012_7_31_14_31_7_54154. pdf. Acesso em: 02 jul. 2017. DUBAR, Claude. Agente, ator, sujeito, autor: do semelhante ao mesmo. Unité Mixte de Recherche. Université CNRS, Paris, 2004. Disponível em: . Acesso em: 03 jul.2017. FERREIRA, Dina Maria Martins. Do semelhante ao mesmo, do diferente ao semelhante: sujeito, ator, agente e protagonismo na linguagem. Revista brasileira de linguística Aplicada [online], 2017. Disponível em: . Acesso em: 02 jul.2017. FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder (apêndice) In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foulcault: uma trajetória filosófica. Para além do estruturalismo e da hermenêutica. Trad. Vera Porto Carrero. Rio de Janeiro, Forense, 1995, p.229-250. FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para Internet. Porto Alegre: Sulina, 2012. 239p. FROTA, Marcel. Bolsonaro coleciona polêmicas, insultos e representações arquivadas. Portal iG. Brasília, 16 dez. 2014. Disponível em: l. Acesso em: 03 jul. 2017. FUCHS, Christian. Mídias sociais e a esfera pública. IRevista Contracampo, v.34, n.3, 2015. Disponível em . Acesso em: 05 jul. 2017. GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo. Porto Alegre, Tchê, 1987. 230p. GOMES, Romeu. A Dimensão Simbólica da Violência de Gênero: uma discussão introdutória. In: Athenea Digital, n.14, 2008. Disponível em . Acesso em: 25 jun. 2016. HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da ANELISA MARADEI MARLI DOS SANTOS Intercom - RBCC São Paulo, v.40, n.2, p.143-168, maio/ago. 2017 167 sociedade burguesa. Tradução: Flávio R. Kothe. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003. 568p. HAIDAR, Daniel. Por que Lula é alvo da Lava Jato e foi obrigado a depor. Época. 04 maio 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. HORÁRIOS nobres. Sprinklr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2017. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Conceitos. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. JUSBRASIL. Lei Maria da Penha - Lei 11340/06 | Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. LEI Maria da Penha - Lei 11340/06 | Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. JusBrasil. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. MARCONDES FILHO, Ciro. Comunicação e Jornalismo: a saga dos cães perdidos. São Paulo: Hacker Ediores, 2000. 171p. ONU: uma em cada dez jovens foi vítima de estupro até os 20 anos. Brasil Post. 05 set. 2014. Disponível em . Acesso em: 02 jul. 2017. PRESIDÊNCIA da República. Lei nº 12.015, de 7 de agosto de 2009. Planalto. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. RAFINHA Bastos faz piada sobre a indenização que pagará a Wanessa Camargo. Diario de Pernambuco, Recife, 26 jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2017. RESENDE, Daiane. Internautas fazem campanha contra o estupro nas redes sociais. O Globo, Rio de janeiro, 26 jun. 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. Tradução. Christine Rufino Dabat e Maria Betânia Ávila. Compromisso e atitude. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2016. STJ: qualquer estupro é crime hediondo. 2012. JusBrasil. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2016. SWAIN, Tania Navarro. Figuras de mulher em Simone de Beauvoir: a mãe, a prostituta, a lésbica. Universidade Livre Feminista, 08 fev. 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017. VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES: O CASO DO ESTUPRO COLETIVO NA ESFERA PÚBLICA DIGITAL
 

Endereço: http://www.portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/revistaintercom/article/view/2700

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.