Vivenciando a Dança de Salão na Escola

Por: Catia Mary Volp.

1994 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Durante um curso de dança de salão na escola o presente estudo procurou verificar os motivos pelos quais os jovens querem aprender a dançar ou querem dançar e a opinião deles sobre possíveis influências da dança de salão nas questões da corporeidade e sociabilidade. Para atender aos objetivos, trinta e oito jovens (23 F e 15 M) , cursando a 8ª série, na faixa etária de 14-15 anos, participaram de um curso de dança de salão de doze horas, aprendendo os seguintes ritmos: marcha, fox trot, blues, valsa lenta e vienense, bolero, chá chá chá , samba, rock’n roll e lambada. Um roteiro de entrevista foi utilizado para inquiri-los durante e após o curso. As respostas demonstraram que eles querem dançar por apreciarem a atividade em si, porque ela lhes traz prazer, saúde, divertimento e alegria. Querem aprender a dançar para dominar as habilidades e vivenciar satisfação. Demonstraram perceber e identificar as mensagens corporais e sofrerem parcialmente sua influência no comportamento. Parece também, ter havido consenso de que o mais importante é a pessoa em si e o saber dançar e não a aparência. No geral, eles consideraram que a dança de salão favorece a sociabilidade. Por fim, o curso foi considerado como uma atividade optativa que deveria fazer parte do currículo da escola e como uma ótima experiência. Concluiu-se que a dança de salão deveria fazer parte das atividades escolares como uma oportunidade para vivenciar uma experiência ótima que visa melhorar a qualidade de vida do adolescente.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=719&listaDetalhes%5B%5D=719&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.