Send to Kindle


DÉCADA DE 1920 - É provável que já na década de 20 o Voleibol fosse praticado nas praias de São Luís, pois SIMÃO FÉLIX - maranhense de Grajaú, onde nasceu em 3 de maio de 1908 e foi um dos um dos grandes atletas do passado, além do futebol praticava basquetebol, voleibol, motociclismo, natação, remo, e muitas outras modalidades. Simão veio para São Luís em 1915, quando tinha 7 anos de idade, localizando-se na Rua da Palma. Como faltava um guardião para o time da Montanha Russa e Simão, que era bamba no basquete e vôlei, foi encarregado de guarnecer a cidadela do Sírio; e quando não quis mais jogar como goleiro, continuou apenas com a prática da bola-ao-cesto, bola ao ar (vôlei ?), atletismo, motociclismo, tênis, remo e outros esportes. Simão Félix deixou de praticar o basquete e o vôlei em 1947, quando figurou na equipe do Pif-Paf, num campeonato interno organizado pelo Moto Clube. (O Esporte Clube Sírio Brasileiro foi fundado em 192(?); anos mais tarde, alguns dissidentes, devido a um aborrecimento, fundaram o Maranhão Atlético Clube (1932). O caso é que o Sr. Jurandir Sousa Ramos queria mudar o nome do Sírio e muitos associados não concordaram. Em conseqüência, 86 sócios do grêmio da colônia síria abandonaram o citado esquadrão e fundaram o MAC. (O ESPORTE, São Luís, 30 de maio de 1948, p. 2)

- Outro nome que lembra-nos a glória do esporte maranhense em nosso passado recente, foi VALÉRIO MONTEIRO, nascido em Alcântara no dia 1º de abril de 1901. Aos 6 anos veio para a capital. Morando numa vivenda à Rua Jacinto Maia, defronte ao antigo Gazômetro, dando suas fugidas para as peladas da Praia do Caju, onde existia, na época, uma verdadeira escola de futebol - a "Universidade Futebolística da Praia do Caju". Após um grande período em que o futebol maranhense viveu em abandono, Valério aparece no Sírio como diretor, jogador de futebol e astro do basquete e volei. (O ESPORTE, São Luís, 14 de novembro de 1948, p. 2, Recordar é Viver)

DÉCADA DE 1930 – De acordo com o Prof. Telésforo Sousa, o Voleibol foi introduzido em São Luís na década de 30, do século passado, por marinheiros que aqui chegaram a trabalho; só praticavam nas horas vagas e nos finais de semana, em uma quadra existente num terreno baldio onde hoje funciona a Reitoria da UFMA (Praça Gonçalves Dias, Palácio Cristo Rei); após certo tempo de prática, surgiram as duas primeiras equipes: Olímpico, formado por militares e o MAC – Maranhão Atlético Clube -, formado só por sócios do clube, que acabara de ser fundado; isto em 1933 e 1934.

– João Mouchreck, praticava esse esporte, junto com o motociclismo, futebol, atletismo, basquete e boxe.

1932 - é criado o GREMIO “8 DE MAIO”, num dia 8 de maio – daí porque recebeu este nome – por estudantes  do Liceu Maranhense, liderados por Tarcísio Tupinambá Gomes. Como entidade representativa dos estudantes junto à direção do Liceu, foi um fracasso, por falta de interesse da rapaziada, que só queria se divertir. Mas os outros fundadores, dentre eles PAULINO RODRIGUES DE CARVALHO NETO e Dílio Carvalho Lima resolveram levar o Grêmio para o esporte, com o intuito de jogar Voleibol! As opções de esportes para os jovens da época eram o futebol e o voleibol. Os meninos do Liceu viam os mais velhos jogando em quadra existente em uma casa da Praça Gonçalves Dias - onde é hoje a sede da Reitoria da Universidade Federal do Maranhão. Os garotos sonhavam em ter as mesmas oportunidades. Criado o “8 de Maio”, passam a treinar no quintal da casa de Tarcísio Tupinambá, na Rua do Alecrim, esquina com a da Cruz. Usavam, também, a quadra da União dos Moços Católicos, no quintal da Arquidiocese de São Luís - mais tarde sede do Colégio Marista e, hoje, Hotel Vila Rica.  Havia outras equipes, como a da União, mantida pelo Padre Joaquim de Jesus Dourado, como havia, ainda, outras opções de local de treinamento, como o quintal da cada de Thiago de Castro Cunha, na Av. Pedro II, no antigo Quartel da Praça Deodoro (onde hoje esta a Biblioteca Pública Benedito Leite), e em uma outra casa da Praça Gonçalves Dias, onde jogavam Raimundinho Vieira da Silva e o Prof. Bonifácio, dentre outros.

- A quadra existente na Rua do Sol - onde é hoje o Sindicato dos Bancários, e pertencia a um senhor de nome Bandeira -, foi construída pelos alunos do Liceu Maranhense, sob o comando do Professor Mata Roma. Além dessas, havia a quadra do próprio Liceu, localizado, nessa época, à Rua Direita, esquina com 28 de Julho. Segundo Paulino, o sistema de disputa era o 3 x 3, sendo que cada um dos três cortadores tinha seu próprio suspendedor (levantador, hoje). Paulino era cortador e o seu suspendedor era Omar Carvalho; outra jogada, muito utilizada por Paulino, era a “melada” – largada por sobre o bloqueio -; jogavam, ainda, José Carvalho, Thomas de Castro Cunha, José Ferreira Dourado, Adalberto Rabelo, José Berdiz, dentro outros. A partir daí, foram surgindo outros clubes esportivos: Vera Cruz, União dos Moços Católicos, Pindorama Esporte Clube, Olympico (este, formado por oficiais do Exército). Paulino, até os 24 anos, ficou dividido entre os torneios – a maioria de volei – e a vida de estudante de Agronomia. Largou tudo em 1942, deixando o Grêmio “Oito de Maio” para a nova geração, liderada por Rubem Goulart e Zé Rosa. (fonte: (BIGUÁ, Edivaldo Pereira; BIGUÁ, Tânia. Onde anda você? Paulino, fundador do 8 de Maio. O ESTADO DO MARANHÃO, São Luís, 8 de novembro de 2000, 2ª feira, p. 4. Caderno de Esporte).

- RUBEM TEIXEIRA GOULART - iniciou-se no esporte no Colégio de São Luiz, do professor Luís Rego. Em 1935, quando veio de sua cidade natal, Guimarães, principiou jogando futebol no "scratch" do seu educandário, permanecendo no time até 1938. Nesse mesmo período – 1935/38 -, passou a jogar volley-ball no Dourado (Provável, no time do Padre Dourado, que organizava a equipe de volei da União dos Moços Católicos, no pátio da Arquidiocese), melhor agremiação existente naquela época, sendo seus companheiros de "team" Boneca, Dias Carneiro, Furtado da Silva, Sócrates, Manola e alguns outros. Do Dourado, transportou-se para as fileiras do União, onde demorou pouco, tendo formado ao lado de Elba, Mitre, Álvaro, Rabelo, etc. Ainda em 1937, foi fundador do Brasil, composto exclusivamente por alunos do Colégio de São Luiz. Nesse mesmo tempo Alexandre Costa criou o Flamengo, o mais acérrimo rival de seu conjunto. Formava no seu time – não só de volei, como no de basquete - elementos do quilate de Mauro Rego, Tenente Paiva, Américo Gonçalves, Boneca, José Alves e Manoel Barros, tendo servido de padrinhos o Dr. Clodoaldo e Altiva Paixão.

- o voleibol, em São Luís, já era bastante praticado na década de 30, como lembra o Sr. GLACYMAR RIBEIRO MARQUES. Chegando na cidade em 1937, passou a jogar voleibol no Colégio de São Luiz, participando das Olimpíadas Intercolegiais, ao lado de Rubem Goulart; Alexandre Costa (senador, já falecido); José Carlos Coutinho (coronel do exército); coronel José Paiva, e Raimundinho Vieira da Silva (ex-deputado, suplente de Senador, presidente do grupo de comunicações Vieira da Silva).

- Em 1937, já existia o Grêmio 8 de Maio, e sua equipe era formada por Zé Rosa, Manolo, Zé Heitor Martins, Reinaldo Nova Costa, Raposo, Rubem Goulart, Paulo Meireles, Zé Carvalho, Zé Meireles. (BIGUÁ. Edivaldo Pereira; BIGUÁ, Tânia. Onde anda Você ? Glacymar Pereira Marques. O ESTADO DO MARANHÃO, São Luís, 26 de março de 2001, Segunda-feira, p. 4. Esportes.     VAZ, ARAÚJO, VAZ. Inédito, op.cit.)

 

- As jovens, especialmente as estudantes do Colégio Santa Teresa, costumavam jogar Voleibol na praia da Ponta d´Areia, durante as férias escolares; a rede do primeiro jogo foi arrematada em um leilão realizado na casa do Cel. Anacleto Tavares. Nos anos 40, os jogos  das estudantes já eram realizados na quadra do Liceu Maranhense

DÉCADA DE 1940 - o jovem atleta RINALDI LASSALVIA LAULETA MAIA era jogador do Liceu Maranhense, e jogava basquete e vôlei, pelo Vera Cruz, clube que nas disputas de Vôlei levava sempre a pior. O Vera Cruz era um campeão autêntico. Em 1943, coberto de louros, Rinaldi embarcou para o Rio de Janeiro, a fim de cursar a Escola Nacional de Educação Física. Voltou a São Luís em 1945. Em 1947, Rinaldi tomou outra decisão. Deixou o Moto Clube e tratou de reorganizar o Vera Cruz, seu antigo clube. O seu sonho foi realizado, uma vez que o Vera reapareceu e em 1947 figurava na liderança do campeonato de basquetebol da cidade. E Rinaldi era figura destacada no grêmio cruzmaltense, onde atuava na guarda, juntamente com o professor Luiz Braga, outra grande figura do basquete e do volei maranhense. (O ESPORTE, São Luís, 25 de outubro de 1947, p. 2. Recordar é Viver.)

- Joaquim Itapary Sales de Oliveira – o Diabo Loiro, goleiro de Futsal  - foi um dos maiores árbitros de Basquete que o Maranhão teve; começou a carreira de árbitro no início dos anos 50, aos 18 anos; tendo chegado de São Bento em 1946, quando o pai Joaquim Itapary assumiu o cargo de Secretário de Estado e Chefe de Polícia no governo Saturnino Bello; veio para estudar nos Maristas (aos 10 anos) e logo no ano seguinte estava no São Luís; Joaquim viveu na nova escola a prática da educação física  como saúde; depois dos exercícios físicos, quem tinha alguma aptidão para algum esporte passava à prática e aprimoramento em aulas específicas, como Voleibol, Basquetebol, Atletismo e Boxe.

DÉCADA DE 1950

- Nos anos 50, eram disputados os Jogos da Primavera, na quadra do Casino Maranhense.

1952 - - Dimas lembra que, quando retornou a São Luís, no início da década de 50, praticou Voleibol: "jogava voleibol, menos, mas jogava ... mas eu não me lembro de destaque, por exemplo, assim como tinha seis, sete clubes de basquetebol, não tinha de voleibol. O voleibol veio se destacar já mais para a frente, mais para frente um pouco que o voleibol teve mais, mais.... "No Casino Maranhense - agora eu me lembrei -, mais para a frente um pouco passou  a se jogar voleibol no Cassino; eu me lembro bem  do, hoje ele é médico o [refere-se a Orlando Araújo] ..., ele jogava muito  ... , duas pessoas que eu me lembro bem que estavam sempre jogando lá, era o Murilo Gago, que por sinal ele era bom e....., eu não quero falar só sobre ele porque tinha outras pessoas também, estou tentando me lembrar... tinha o Rubem Goulart que jogava, o Braga que jogava, o próprio Alemão, o Mauro, eles jogavam praticamente..." (DIMAS, entrevistas).

- início de sua carreira esportiva de Cláudio Vaz dos Santos, ao ingressar no Colégio de São Luís, do Prof. Luis Rego (1952); nesse ano, participa dos Jogos Olímpicos Secundaristas, organizado pelo jornalista Mario Frias, como atleta de Basquetebol, Voleibol, Futebol de Campo, Atletismo e Natação.

- Ainda nessa década de 50, surge uma geração de jovens – “a geração de 53” – que aprendem esportes com a geração anterior, constituída pelos grandes nomes do Basquetebol e do Voleibol maranhense, de todos os tempos. Cláudio Vaz dos Santos – o Alemão – fala de sua iniciação nos esportes:“... Rubem Goulart, que foi o líder; praticava o Paulinho Carvalho, Zeca Carvalho, e foi onde eu comecei a praticar vôlei e basquete. Essa quadra era do “8 de Maio”, atrás do fundo do Casino Maranhense hoje...” (VAZ DOS SANTOS, Cláudio. Entrevistas). Lembra, ainda, quando foi fundado o time do ”Os Milionários”, de Basquetebol, os locais onde era praticado não só esse esporte, mas como também o Volei: "O Milionários... nós fomos participar de volei e basquetebol, sábado à tarde no Colégio São Luís, e na quadre coberta que tinha no Liceu, onde jogava o Milionário, o Colégio São Luiz, jogava 08 de Maio; nós jogávamos na quadra do Colégio São Luiz, não sei se ainda existe a quadra lá... (VAZ DOS SANTOS, Cláudio. Entrevista).

1953 – Cláudio Alemão, junto com outros atletas da época, de várias escolas, funda a equipe dos “Milionários”, que faz história no esporte maranhense, especialmente no Basquetebol, por mais de 20 anos; a equipe era formada por Gedeão Matos, os irmãos Mauro e Miguel Fecury, Aziz Tajra, Raimundinho Sá, Poé, Denizar, Canhotinho, Fabiano Vieira da Silva, Cleon Furtado, Jaime Santana, os irmãos Zé Reinaldo e Silvinho Tavares, Wilson Bello, Sá Valle, Joaquim Itapary, Henrique Moreira Lima, Márcio Viana Pereira; com a extinção d´ “Os Milionários”, fundam o “Cometas”, que além de basquete e vôlei, participam dos jogos de Futebol de Salão.

- o primeiro clube de São Luís a possuir uma quadra oficial de Voleibol foi o CLUBE RECREATIVO JAGUAREMA, fundado em 03 de fevereiro, pelo médico pediatra Orlando Araújo, com o objetivo de lazer, esporte, divertimento e um local para congregar pessoas da sociedade maranhense. Orlando, e os amigos, estavam cansados de praticar o voleibol na praia. (BRITO, Sebastião Barreto de. A HISTÓRIA DO CLUBE RECREATIVO JAGUAREMA. São Luís : (s.e.), 2000)

1958 – o time de Voleibol do Liceu conquista o tri-campeonato dos Jogos Interescolares, organizados pelo Dr. Carlos Vasconcelos; a equipe contava com Zé Augusto e Zé Roberto Lamar. Januário e César Bragança, Troglodita (Jesus Rizzo Cardoso) e Rogério Baima

DÉCADA DE 1960

1968 – Graça Heluy é contratada como professora de Educação Física do Colégio Santa Teresa e, no ano seguinte (1969), começa a prática do Voleibol entre as alunas. Para que as freiras aceitassem, as alunas usavam, além de um short, preso por elástico na perna, uma saia por cima.

1969 – o Santa Teresa participa pela primeira vez do Festival Esportivo da Juventude – FEJ – com uma equipe de voleibol

 

DÉCADA DE 1970

1973 – o Colégio Santa Teresa cria seus Jogos Interclasse.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.