Volume de Treinamento, Percepção Subjetiva do Esforço e Estados de Humor Durante Um Macrociclo de Treinamento

Por: Leonardo Eid Marques e .

Revista Brasileira de Psicologia do Esporte - v.3 - n.1 - 2010

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a associação entre o volume de treinamento, a percepção subjetiva do esforço e os estados de humor durante um macrociclo de treinamento. Foram avaliados 20 nadadores de alto rendimento, de ambos os sexos, velocistas, através da Escala de Percepção Subjetiva do Esforço (PE) e da escala de Humor Brums (BR).Os dados foram analisados pela média das quatro percepções do esforço, dos seis estados de humor e o humor total. Anova para medidas repetitivas e o teste de Bonferroni para comparar as quatro percepções e ANOVA ONE WAY e o teste Tukey para comparar a percepção do esforço, os estados de humor e a correlação de Pearson as relações entre o volume, a percepção e os estados de humor. Os resultados mostram diferenças significativas na PE entre as semanas de maior volume e a de menor volume. Já no BR apenas a fadiga apresentou diferenças significativas entre as semanas de maior volume e a última, de menor volume. A correlação de Pearson mostra uma correlação significativa positiva entre percepção de esforço total e a fadiga, a confusão, o humor total e com o volume de treinamento, e uma correlação negativa com o vigor. Já o volume apresenta uma correlação significativa positiva com a fadiga, com o Brums total e negativa com o volume. Podemos concluir que há uma associação entre o volume de treino, a percepção do esforço e os estados de humor: quando o volume diminui, a percepção do esforço e da fadiga também diminuem.

Endereço: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S1981-91452010000100005&lng=pt&nrm=is&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.