Voo Livre: Práticas Aventureiras e Condutas de Risco Por Entre as Montanhas de Minas

Por: .

Licere - v.14 - n.2 - 2011

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo analisou as condutas de risco de praticantes de vôo livre em Minas Gerais. A amostra foi constituída de 109 (cento e nove) praticantes das  modalidades de parapente e asa delta, com média de idade de 30 (trinta) anos; considerou-se o desvio-padrão com significância < 0,05%. O método de estudo  utilizado foi o descritivo-exploratório. A coleta de dados foi feita a partir de um  questionário, validado segundo a técnica Delphi. Os resultados mostraram que o risco  vivenciado por esses aventureiros do ar é a forma mais genuína do risco-aventura  provido do sentido lúdico. A prática de aventura no ar se configura para esses  indivíduos como uma atitude na qual prevalece a confiança no domínio da técnica e na  qualidade dos equipamentos, se comparado com outros procedimentos e recomendações  que visam à segurança no momento de prática das referidas modalidades de esporte de  aventura.

Endereço: http://www.anima.eefd.ufrj.br/licere/pdf/licereV14N02_a2.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.