Xikunahity

Por: Francisco Xavier Freire Rodrigues e .

Corpoconsciência - v.23 - n.3 - 2019

Send to Kindle


Resumo

A existência de um jogo de bola denominado Xikunahity revela uma prática diferente do que habituamos a ver na contemporaneidade: o uso das mãos ou dos pés para se rebater uma bola. Este jogo da etnia Haliti Paresi se diferencia pelo uso exclusivo da cabeça ao rebater a bola, sem, contudo, ser jogado na posição ereta mais, sim, através de um mergulho horizontal bem próximo ao solo. Objetivo: Identificar o estado da arte do Xikunahity. Metodologia: A partir do mecanismo de busca do portal de periódicos da Capes, se utilizou as expressões (and, not e or) em combinação aos conceitos relacionados ao contexto do jogo em investigação. Resultados: verificase que o atual estado da arte do Xikunahity limita-se ao convite feito no Wall Street Journal de 2004 e um artigo sobre o contato de Roosevelt e Rondon com o Xikunahity. Conclusão: O estado da arte do Xikunahity limita-se a dois textos publicados, sendo um de cunho jornalístico, enquanto outro trata, especificamente, daquilo que teria sido o primeiro contato do não índio com este jogo, o qual foi denominado por Roosevelt como Headball, definindo-o como o jogo de futebol genuinamente brasileiro. 

Endereço: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/issue/viewIssue/561/73

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.