Bioquímica do Exercício

Ponto de encontro para discussão e divulgação dos conhecimentos acerca de bioquímica do exercício e áreas afim

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevbioquimica/

Por Que é Tão Difícil Manter a Resolução de Se Exercitar? Preguiça ou Bioquímica?



Cevnautas da Bioquímica,

A Cell Metabolism tem uma boa pista para a temida debandada da academia. Segue o artigo de divulgação da HypeScience, a fonte ScienceAlert, o resumo e o endereço do arquivo do artigo completo da Cell Metabolism (de 7 de fevereiro de 2017!)

Laércio

Este estudo pode explicar por que é TÃO difícil manter sua resolução de se exercitar
Publicado em 3.01.2017    

Todo ano é a mesma coisa: você jura que desta vez não vai largar a academia, e até começa com o pé direito, mas logo se vê incapaz de manter a rotina de exercícios por muito tempo.
Como começar a se exercitar (e não parar)

Por quê? Será que você é apenas preguiçoso? Não necessariamente.
 
Uma nova pesquisa descobriu que ratos obesos não deixam de se exercitar por conta de seu peso corporal elevado. A inatividade física em muitos casos resulta de receptores de dopamina alterados (uma substância química presente nas suprarrenais indispensável para a atividade normal do cérebro).
O estudo foi publicado na revista Cell Metabolism.
A descoberta

“Sabemos que a atividade física está ligada à boa saúde geral, mas não sabemos muito sobre por que as pessoas ou animais com obesidade são menos ativos”, explica o principal autor do estudo, Alexxai V. Kravitz. “Há uma crença comum de que os animais obesos não se movem tanto porque carregam peso extra, o que é fisicamente incapacitante, mas nossas descobertas sugerem que essa suposição não explica toda a história”.

Kravitz já havia estudado animais com doença de Parkinson. Quando começou a pesquisar obesidade, há alguns anos, notou semelhanças no comportamento entre ratos obesos e ratos com Parkinson.

Com base nessa observação, ele teorizou que a razão pela qual os ratos eram inativos tinha a ver com uma disfunção nos seus sistemas de dopamina.

“Em muitos casos, a força de vontade é invocada como uma forma de modificar o comportamento. Mas, se não entendemos a base física subjacente a esse comportamento, é difícil dizer que a força de vontade sozinha pode resolvê-lo”, conclui Kravitz.

Próximos passos

Decifrar as causas fisiológicas de por que as pessoas com obesidade são menos ativas é importante porque também pode ajudar a reduzir alguns dos estigmas que elas enfrentam.
As pessoas não conseguem emagrecer porque ignoram isso aqui

Pessoas com excesso de peso são muitas vezes chamadas de preguiçosas. Alguns acreditam que elas não emagrecem simplesmente “porque não querem” ou “não têm força de vontade o suficiente”.

A pesquisa futura focalizará em como a dieta afeta os sinais da dopamina.

Os pesquisadores também planejam analisar a rapidez com que os ratos recuperam níveis de atividade normal, uma vez que começam a se alimentar de forma mais saudável e a perder peso. [ScienceAlert]

Fonte: http://hypescience.com/este-estudo-pode-explicar-por-que-e-tao-dificil-manter-sua-resolucao-de-se-exercitar/

O ScienceAlert: http://www.sciencealert.com/this-could-be-one-reason-it-s-so-hard-to-stick-to-exercise-new-year-s-resolutions

Resumo:
Basal Ganglia Dysfunction Contributes to Physical Inactivity in Obesity
Danielle M. Friend,1,9 Kavya Devarakonda,1,9 Timothy J. O’Neal,1,9 Miguel Skirzewski,5 Ioannis Papazoglou,1 Alanna R. Kaplan,2 Jeih-San Liow,4 Juen Guo,1 Sushil G. Rane,1 Marcelo Rubinstein,6,7,8 Veronica A. Alvarez,2 Kevin D. Hall,1 and Alexxai V. Kravitz1

Obesity is associated with physical inactivity, which exacerbates the health consequences of weight gain. However, the mechanisms that mediate this association are unknown. We hypothesized that deficits in dopamine signaling contribute to physical inactivity in obesity. To investigate this, we quantified multiple aspects of dopamine signaling in lean and obese mice. We found that D2-type receptor (D2R) binding in the striatum, but not D1-type receptor binding or dopamine levels, was reduced in obese mice. Genetically removing D2Rs from striatal medium spiny neurons was sufficient to reduce motor activity in lean mice, whereas restoring Gi signaling in these neurons increased activity in obese mice. Surprisingly, although mice with low D2Rs were less active, they were not more vulnerable to dietinduced weight gain than control mice. We conclude that deficits in striatal D2R signaling contribute to physical inactivity in obesity, but inactivity is more a consequence than a cause of obesity.

O artigo completo (.pdf): http://bit.ly/cev2017_5

Comentários

Por Caion Alves
em 11-04-2019, às 17h51.

Sempre pensei que seria sobre a economia energética. Nos primórdios, quanto menos gasto de energia para realizar caça, coleta e etc melhor.

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.