Desportos Aquáticos

Ponto de Encontro dos Profissionais, Estudantes e Pesquisadores

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevaquaticos/

Michael Phelps



Prezados Amigos Um exemplo de determinação Abs Scheyla estadao.com.br (Grupo Estado - Copyright 1995-2010 - Todos os direitos reservados.) Por estadão.com.br com Reuters, estadao.com.br, Atualizado: 24/11/2011 Por uma despedida digna em Londres, Phelps nada 70 km por semana

NOVA YORK - São 70 quilômetros semanais na piscina, divididos em treinos pela manhã e tarde, em agenda sem dia...

NOVA YORK - São 70 quilômetros semanais na piscina, divididos em treinos pela manhã e tarde, em agenda sem dia de descanso, sob o olhar vigilante do técnico Bob Bowman. O americano Michael Phelps já é uma lenda da natação, com suas 14 medalhas de ouro conquistadas em Olimpíadas. Mas, aos 26 anos, trabalha duro para chegar em boa forma na sua última participação nos Jogos, a quarta da vitoriosa carreira.

Para um atleta que se encaminha para o fim de sua trajetória esportiva - embora Phelps não tenha confirmado, de maneira oficial, a aposentadoria em Londres/2012 -, treinar tanto poderia ser um martírio. ’Na verdade, acho muito divertido’, diz o nadador, contrariando o senso comum. ’Eu realmente gosto de treinar. Gosto de ir para a academia e me exercitar. Quero muito fazer isso porque quero ser ainda melhor.’

Pode parecer estranho, mas Phelps afirma que ainda tem objetivos na carreira - só não diz quais são. ’Todas as vezes em que caio na piscina, quero competir e vencer’, admite. ’Ninguém me obriga a treinar, ninguém me obriga a competir. Faço tudo isso porque ainda tenho metas a alcançar.’

No Mundial de Desportos Aquáticos de Xangai, disputado no fim de julho, Phelps conquistou sete medalhas, quatro delas de ouro (100 m e 200 m borboleta e revezamentos 4 x 100 m medley e 4 x 200 m livre). Mas acabou sendo ofuscado pelo compatriota Ryan Lochte, que levou cinco ouros e ainda bateu o recorde mundial dos 200 m medley, o primeiro após a proibição do uso de maiôs tecnológicos. Ao fim do torneio, chegou à conclusão de que não estava comprometido o suficiente.

’Agora estou treinando com muito mais intensidade do que nos últimos tempos’, garante. ’São muitos os nadadores que melhoraram, que estão mais rápidos e competitivos. Sei que para vencê-los precisarei estar no meu melhor absoluto. Mas isso foi bom: ganhei motivação. E percebi que não atingi o ponto máximo do meu potencial.’

Comentários

Por Waldyr Mendes Ramos
em 28-11-2011, às 17h27.

Prezada Scheyla

Creio que a reportagem levanta pontos interessantes. Um fato inquestionável é o talento e a capacidade do nadador Phelps em suportar grandes volumes e intensidades nos seus treinamentos. Discordo, entretanto, da afirmação de que ele se encaminha para o fim de sua trajetória esportiva. Creio que ele não buscará, provavelmente, objetivos tão difíceis quanto o de superar seu próprio recorde em nº de medalhas de ouro nos jogos olímpicos, mas poderá, certamente, vencer duas ou três provas individuais e mais um ou dois revezamentos, saindo com cerca de cinco medalhas de ouro (resultado melhor que o brasileiro somando-se toda a história da nossa natação olímpica).

Num mundo onde o capital apropria-se de todos os espaços, o ideal do Barão Coubertin, "o importante é competir" foi afastado das arenas esportivas dando lugar a uma disputa diferente. Os atletas excepcionais como o Phelps assinam contratos com ganhos consideráveis e que dificilmente serão igualados com o trabalho regular. A possibilidade de ganhar somas vultosas torna-se, então, elemento motivador e responsável pela maior longevidade daqueles que são, em suas atividades, excepcionais. É claro que o desejo de vencer, ser campeão, deve ter lá a sua influência. Não posso esquecer  aquele provérbio "quem foi rei, nunca perde a majestade".

O Phelps é um dos mais talentosos atletas que o mundo já viu. Treinar e competir são, para ele que despontou aos 15 anos em sua primeira participação olímpica, uma rotina que já faz parte de sua vida e perdurará enquanto lhe representar um desafio  e for rentável. E, ainda, como ele mesmo afirma, "[...]muito divertido".

Waldyr M. Ramos

Por Scheyla Althoff Decat
em 28-11-2011, às 22h57.

Prezado Waldyr

Concordo com você no que se refere ao fim prematura da trajetória do Phelps. Entendo que ele ainda tenha um bom caminho a percorrer na natação.

Agora, eu acho que o Phelps vai em busca de superar o seu recorde, já que se trata de um atleta de grande personalidade e de uma garra impar. Logicamente não vai dispensar seu contrato milionário tão cêdo.

Abs

Scheyla

Por Waldyr Mendes Ramos
em 29-11-2011, às 17h44.

Oi Scheyla

Muito obrigado por responder. Só discordo de você quanto ao Phelps estabelecer como objetivo a busca de seu recorde em medalhas. Acho que ele deverá se concentrar em poucas provas a fim obter um resultado que o distancie dos demais. Esta meta pode ser mais coerente com os princípios do treinamento esportivo, não o estressará tanto e representará um novo marketing.

Grande abraço, Waldyr.

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.