Educação Física Escolar

Ponto de Encontro dos Profissionais, Estudantes e Pesquisadores

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevefescolar/

Cerveja, Paixão Nacional, Mas Será Mesmo Benéfica Para os Atletas?



Pedagogia da educação Física

Cerveja, paixão nacional, mas será mesmo benéfica para os atletas?

 

No dia 20/09/2011 foi publicado no site g1.globo.com que segundo um trabalho espanhol apresentado em Bruxelas, na Bélgica, durante o simpósio europeu de cerveja e saúde, o médico Manuel Castillo, da universidade de Córdoba, afirma que a cerveja não tem nenhum efeito negativo que possa ser atribuído à ingestão dessa bebida no lugar da água, desde que não haja nenhuma contra indicação especifica.

Ramón Estruch, do hospital de clinico de Barcelona, defende que o consumo moderado de cerveja para praticantes de atividade física é um excelente hidratante, tem efeito antioxidante, anti-estresse entre outros, mas esses benefícios não foram comprovados em nenhuma pesquisa para embasar a conclusão dos espanhóis, que mostra efeitos metabólicos positivos no desempenho dos atletas que ingerem álcool  antes, durante ou depois de uma atividade física.

Como a cerveja tem um baixo nível nutritivo de minerais, carboidratos e vitaminas, para ser consumido como uma bebida hidratante, o consumo deveria ser elevado, alterando assim cada vez mais os picos glicêmicos, funções hepáticas, metabolismo aeróbico e anaeróbico, alterações psicomotoras e quedas nos níveis de testosterona.

Portanto fica claro que, alem de não apresentar benefícios a ingestão de cerveja pode ser ate mesmo prejudicial para atletas amadores ou de alto performance, mostrando que o estudo apresentado foi usado mais como uma jogada de marketing para impulsionar a venda do produto. Como é um assunto muito controverso devemos ficar atentos para não cairmos nas armadilhas de marketing, prejudicando assim o desempenho em qualquer modalidade esportiva.

Nos dias de hoje, boa parte das vendas de qualquer tipo de produto se resume no poder da "jogada de Marketing", mas para você, até onde é valida as jogadas dos profissionais e das empresas que levantam "falso" sob um produto que pode ate mesmo prejudicar o desempenho de um atleta?

Alunos

Felipe Pereira de Queiroz               12.2.7998

Jesse Rodrigues Campus                 11.1.7318

Wanderson Aparecido da silva       11.2.7994

Comentários

Por Raíssa Carla Gomes
em 25-03-2013, às 16h23.

 

Assim como todos os alimentos, os cientistas ainda estudam os efeitos benéficos ou maléficos que a cerveja produz no organismo. Mas de uma coisa todos já têm certeza: Assim como todos os alimentos, o consumo da cerveja deve ser MODERADO. 

Os efeitos do álcool sobre a saúde dependem fortemente da quantidade consumida e de outros fatores como sexo, peso corporal, alimentação e predisposição genética. O abuso do álcool aumenta interfere no nível de glicose no fígado e isso influi negativamente numa pessoa que vai participar de uma corrida. Isso porque, com essas taxas alteradas, o rendimento do corpo do atleta sofre uma queda, prejudicando no desempenho final. Outra coisa que acontece é no pós-prova. Se a pessoa está num ciclo de treinamento e consume uma cerveja logo após o exercício, isso vai atrapalhar a hidratação, porque o álcool estimula a diurese, fazendo com que a pessoa perca água na urina . O atleta depende do seu corpo. E se o seu corpo não está bem, ele tem algum déficit, que é o que a bebida causa você não vai estar bem. Se você comete exageros isso vai interferir dentro de campo.

Por Suzana Maria da Silva Jorge
em 26-03-2013, às 11h04.

Na minha opnião, acho que o consumo de bebidas alcoolicas antes ou durante da atividade fisica, é uma coisa prejudicial ao rendimento, mesmo que não seja um alto consumo da cerveja, deve atrapalhar os sentidos, a coordenação dos atletas, sem contar que o treino deve ser interrompido bastante pelas idas ao banheiro. Depois dos treinos ou partidas, ai acho que já não deve ter problemas, basta o atleta não exagerar na bebida, se lembrar que no dia seguinte tem treino de novo. Se eu fosse treinadora, não daria bebidas alcoolicas para meus atletas!

Por Jenniffer Querollen Fernandes
em 26-03-2013, às 15h31.

Realmente a cada dia que passa as estratégias de marketing para venda de produtos se torna cada vez mais alta. Agora dizer que o "consumo moderado de cerveja para praticantes de atividade física é um excelente hidratante", não concordo,o efeito do álcool no organismo dos atletas, mesmo que moderado dependendo do estado em que o atleta se encontra, pode prejudicar e muito na coordenação motora, provocar tonturas e até mesmo afetar sua personalidade, durante uma partida o alteta pode torna-se agressivo com algo que ocorreu (um gesto do adverário, uma palavra mal interpretada, etc)... influenciando diretamente no resultado do jogo ou da competição. O atleta deve cuidar de seu corpo, buscando ingerir alimentos saudáveis que ajudam em seu desempenho. Portanto sou da seguinte opinião: consumo de bebida alcoólica somente após o treino dependendo da situação, o que deve ser bem analisada porque um indíviduo que busca ser um atleta de alto rendimento e que tem um treinador disciplinado e que busca  o mesmo para seu aluno,  ambos não compartilharam da opinião que a pesquisa relatou.

Por Danielle Costa de Sousa Santos
em 27-03-2013, às 17h30.

Na minha opinião, a ingestão de cerveja é prejudicial aos atletas se não for consumida com moderação, como para qualquer outra pessoa. Não concordo quando defendem que a cerveja pode ser substituída pela água pelo fato da cerveja ser um excelente hidratante. A cerveja pode sim trazer benefício, mas  traz malefícios à saúde também.

Segundo artigo do Colégio Americano de Medicina do Esporte:   O álcool e a performance (traduzido em 25/01/2013) – Cooperativa do fitness.

“Performance motora: Pequena quantidade de álcool (0.02-0.05gr/dL) pode causar redução nos tremores de mão, melhora no equilíbrio, jogar com maior precisão e retidão nos arqueiros, mas com tempo de reação menor e menor coordenação olho/mão; quantidade média de álcool (0.06-0.10gr/dL) afeta negativamente as habilidades. Força, explosão e performance de curta duração: O efeito do consumo de álcool, em doses pequenas e médias podem ser ambíguas pois podem trazer efeitos no aumento da força, altura de saltos, corridas de 200 e 400m e ainda pode resultar em fadiga mais cedo durante exercícios de alta intensidade. Em contra - partida a ingestão de álcool mostrou falta de força muscular em diversos músculos, em resistência muscular e em corridas de 100 metros.”

As propagandas de cerveja não são produzidas para que o consumo seja moderado e sim para que seja consumida em excesso. Está passando da hora de  realmente sabermos o que é   bom e ruim para nossa saúde e a quantidade ingerida faz toda a diferença.

Por Lino Castellani Filho
em 27-03-2013, às 19h34.

Prezad@s Tempos atrás (2009), em coluna na "Universidade do futebol", escrevi sobre o assunto. Segue o endereço. Abraços Lino http://universidadedofutebol.com.br/2009/08/3,10942,FUTEBOL+E+CERVEJA+OU+SERIA+CERVEJA+E+FUTEBOL.aspx

Por Edison Yamazaki
em 28-03-2013, às 21h21.

Nenhum profissional sério que trabalha na área esportiva vai acreditar que o consumo de cerveja, moderada ou não, melhorará o desempenho esportivo de alguém. Não importa se foi marketing ou não, o que importa são os estudos científicos e o bom senso dos profissionais sérios da EF. Bobagens como essa surgem de tempos em tempos, mas é até bom para provocar discussões esclarecedoras.

 

Por Isabela Bastos
em 31-03-2013, às 16h21.

 

Jogadas de marketing são vistas assim que ligamos a TV, ou quando acessamos um site ou ligamos o rádio, ou seja, não tem como fugir das propagandas de refrigerante, hambúrgueres e bebidas alcoólicas. E já se deram conta de como as mais chamativas e atraentes, são aquelas de produtos que não está na lista de mais saudáveis? Poisé essa é a chamada “Jogada de Marketing”, saber vender o seu produto.

Com relação ao consumo de bebidas alcoólicas (cervejas, etc.) por atletas tanto amadores quanto de auto rendimento, elas são consumidas  com freqüência  após  a  prática  esportiva.  Por exemplo, atletas amadores  de  finais  de  semana,  aqueles  que  adoram bater uma “pelada” e depois a  tradicional  reunião  é  um acontecimento  social  onde  bebidas  alcoólicas  não podem faltar. Naturalmente  este  hábito  é  cultural  e  difícil  de  ser  mudado.  Para  alguns atletas de fim de semana, a  bebida  alcoólica  consumida  com  moderação  antes  do  esporte  aumenta  a  desempenho  atlético. Mas isso é falso, pois a  ingestão  de  álcool  prejudica  o  desempenho  das  habilidades  motoras, não  melhora  as  funções  fisiológicas  necessárias no exercício físico, podem diminuir o trabalho  muscular além de  prejudicar  a  função  do  coração  e  provocar  arritmias. Nas atividades aquáticas o álcool deve ser  banido, a  maioria  dos  afogamentos  e  dos  acidentes  traumáticos  ocorrem  entre  os  que  beberam.

Tais  conclusões  divulgadas  por  entidade  respeitada  no  mundo desaconselham   bebidas  alcoólicas  antes  da  prática e depois, pois a  ingestão  de  bebidas  alcoólicas,  em  particular  a  cerveja,  com  o  pretexto  de   reidratar,  também  não  é  aconselhável, pois as  bebidas  alcoólicas estimulam  a  função  do  aparelho  urinário facilitando  a desidratação. Diante  disso  é  preciso  orientar os que  praticam  exercícios e ingerem bebida alcoólica para  que  tomem  os devidos cuidados, porque a prática  de  exercícios e esportes  só  é  saudável  quando  acompanhada  de  hábitos  saudáveis.

Mas é bom lembrar, que o consumo exagerado de bebida alcoólica também não é aconselhado não só para atletas de fim de semana ou de alto rendimento, ou para aqueles que praticam atividade física planejada, e sim para todos. Pois se realmente fosse bom, não apareceria nas propagandas: “Se beber não dirija”, porque a bebida exagerada é a principal causa de acidentes de trânsito.

Por André Gonzaga Batista
em 31-03-2013, às 18h28.

Definitivamente bebida alcoólica e esporte não combinam. Hábitos de vida saudável não tem lugar para a ingestão de nenhum tipo de droga. Não estimula em nada, pelo contrário, faz com que o praticante de esportes por exemplo, perca reflexos, os sentidos não ficam apurados, sofre perda de equilíbrio e de outras habilidades. A cerveja, não diferente disso, também só prejudica.

Por Marcos Paulo de Souza
em 01-04-2013, às 09h27.

Nome: Marcos Paulo de Souza

Período: 3º

Matricula: 702084

Disciplina: Pedagogia da Educação Física

6º Comentário:

  No meu modo de ver a cerveja influência sim o rendimento de atletas nas competições esportivas mesmo que o consumo seja moderado. O uso da bebida pode prejudicar a coordenação motora do atleta ou até mesmo tornar o atleta mais agressivo, como o atleta é profissional ele deve saber os males causados pelo uso da bebida e não ingerir o mesmo antes das competições, o atleta deve cuidar de seu corpo da melhor forma possível. Em minha opinião essa estudo não passa de uma jogada de marketing.

Por Otávio Soares
em 01-04-2013, às 09h34.

Otávio Soares de Oliveira

Tendo em vista o grande consumo de cerveja pelos brasileiros, as cervejarias tentam de tudo para inserir a cerveja na vida de todos inclusive dos atletas. Claro que não tem nenhum estudo comprovando e afirmando que a cerveja faz mal ou atrapalha o rendimento dos atletas, quanto também fazendo uma reflexão que ajuda neste rendimento. Para isso o consumo de cerveja é muito pessoal, pois cada atleta tem que ter consiência do que atrapalha ou não no seu rendimento esportivo.

Cada atleta tem seu momento em que consomem cerveja, isto é inevitável, mas cada momento tem seu momento. A cerveja com certeza tem seus benefícios, como dito é antioxidante, reidrata e etc. O consumo de qualquer bebida alcoolica não é bem aceita no contexo de alto rendimento esportivo, porque esta cultura não a associa a este "mundo". Além das bebidas alcoolicas levar a pessoa ao mundo do vicio, e talvez não ter um rendimento bom ou ate abandonar a carreira. 

Por Lino Castellani Filho
em 01-04-2013, às 10h04.

Prezad@s

Com todo respeito, me preocupa a forma como o assunto vem sendo tratado neste espaço, A Educação Física Escolar educa pessoas e não o físico das pessoas. Em sendo assim, pessoas mais do que buscarem "rendimento", buscam viver a vida, gozá-la, desfrutá-la. A cerveja é sinônimo entre nós, brasileiros de um Brasil tropical, de alegria, festa, congraçamento... Vida!

Que o excesso de Cerveja ou outras bebidas alcólicas faz mal, é tanto verdadeiro quanto o excesso de exercício físico, o fanatismo religioso, político e outros tantos excessos. O que faz mal é o excesso...

Não é com discursos moralistas camuflados em discurso "científicos" - como se neutra a ciência fosse - que educaremos nossos jovens, que os ajudaremos a construirem  sua autonomia no campo da cultura corporal.

No exato momento em que a Brahma, patrocinadora oficial da Copa 2014, busca inculcar nas pessoas a ideia de que a "copa do mundo é nossa", querendo desviar as atenções de todos para as falcatruas que acontecem dia sim, outro também, nos procedimentos relacionados à organização do evento em  nosso país, devemos ampliar a capacidade crítica de nossos jovens e amigos boleiros de todas as idades para o caráter conservador, retrógrado e reacionário do campo esportivo (não só) brasileiro, fornecendo-lhes as condições necessárias para que se apropriem das ferramentas teóricas que venham permitir a eles interferirem nesse campo, tornando-o sintonizado com os anseios de um esporte comprometido com um mundo melhor.

Abraços

Lino 

Por Thiago Menengucci Rodrigues
em 02-04-2013, às 11h54.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem 7 estágios para pessoas que consomem álcool: 

1 - enquanto você está sóbrio

2- euforia

3 - instabilidade emocional e depressão do Sistema Nervoso Central

4 - prejuízo do julgamento e da crítica

5 - sonolência e adormecimento

6 - inércia generalizada

7 - coma alcoólico

Como foi explicado no texto desta comunidade, o consumo de álcool altera os picos glicêmicos, funções hepáticas, metabolismos promove a queda nos níveis de testosterona. Utilizar o álcool como meio de hidratação e acreditar nos golpes de marketing irresponsável seria, literalmente, uma tolice. 

Nós, profissionais de educação física, temos o dever de instruir a todos sobre as reais intenções da mídia e o quanto as notícias podem ser pouco fundamentadas e destrutivas, se não interpretadas suas intenções iniciais.

Por Sydonio Martins Peixoto Neto
em 02-04-2013, às 12h27.

Na minha opinião o consumo de cerveja durante uma competição ou ate mesmo em qualquer atividade fisica nao deve ser muito bom pois tira a concentração,equilibrio,deixa o raciocinio mais lento aumentando a probabilidade de se acidentar principalmente em esportes de aventura e radicais,que precisa de ter muita concentração e um erro pode ser fatal para a vida do atleta.Mas tambem acho que de pois da pratica de qualquer esporte,o consumo moderado de ser bom pra se hidratar.

 

Por Armânio Guilherme Bento
em 03-04-2013, às 00h38.

Cerveja , Paixão Nacional , Mas será Mesmo Benéfica  Para  os atletas?

 

  Sou  radicalmente contra  qualquer  vinculação de bebidas  alcoólicas com  esporte e com       atletas  é uma  jogada de  marketing  sem nenhum nexo  no  mínimo algo muito antagônico ,     pois  a  bebida  alcoólica não pode fazer  bem  a nenhum atleta , apenas usam a  imagem destes para vender  o  produto.Cerveja  não é  ,nem nuca foi paixão nacional isso não passa de falácia para enganar o povo   , além de aproveitar  das imagens dos  atletas em  de pessoas famosas  ainda  aproveitam  da popularidade de alguns esportes   que na minha humilde  opinião deveria  ser considerado um crime pois  induzem muitos jovens  ao alcoolismo.

 

Armanio, graduando em Educação  Física UFOP 2013.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Ivo Augusto Silvino Figueredo
em 03-04-2013, às 01h19.

 

É evidente que o consumo de álcool debilita o rendimento esportivo, sendo isso antes (impossível render o mesmo praticando "bêbado" qualquer esporte), durante (não há nenhuma pesquisa que demonstre que a bebida alcoólica influencia positivamente na pratica) e depois (que como bem citado pela Raíssa estimula a diurese, dificultando a processo de hidratação do atleta). Sendo assim cabe a nós orientarmos os atletas sobre o consumo de bebidas. Porém como bem citado pelo LIno nos comentários acima, a bebida alcoólica faz parte do meio social de maioria dos indivíduos, atletas ou não. É difícil algum atleta que não se rende a uma "balada" regrada (ou pouco regrada) a bebidas desse tipo. Porem ele depende do rendimento do corpo para sobreviver, aí a opção de permanecer são ou cair na "balada" é opção dele, ao perceber uma perda abrupta de rendimento com certeza esse atleta irá maneirar (ou parar) com os excessos. 

O marketing dessas bebidas com atletas considero uma coisa bastante feia, porém a maioria dos nosso "heróis nacionais" provem do esporte, daí essa é uma estratégia de utilização desses atletas para aumentar a venda dessas bebidas, não querendo dizer que necessariamente o Cafu bebe Brahma, mas sim que ele se submeteu a um patrocinador que não condiz cm seu rendimento esportivo.  

Por Atiley Carolina Perdigao
em 04-04-2013, às 21h09.

Isso é pura jogada de  Marketing mesmo, bebidas alcoólicas, interferem na resposta motora do indivíduo, e é obvio que isso não é nem um pouco benéfico pra um atleta além disso interfere na função renal, gera insuficiência cardíaca, Miopia, perda da sensibilidade, enfim e uma longa lista de respostas indesejadas do organismo. O fato é que se fossemos atender a todas as jogadas de marketing que são feitas, estaríamos levando uma vida completamente não saudável, e ter um bom hábito de vida é de fundamental importância para uma boa performance do atleta e com certeza ingerir bebidas alcoólicas não se enquadra nesse estilo de vida.

Por Karine Marlleny Neves Corrêa
em 05-04-2013, às 14h12.

Percebe-se que há uma mídia que diz que se a cueca vermelha é melhor ai todos vou querer usar só cueca vermelha, etc. Temos que tomar cuidado com estes jogos de marketing, enquanto profissionais de Educação para evitar que nosso atletas se submetem a esses artifícios que muitas vezes atrapalham sua carreira e seu desempenho esportivo.

Por Mauro Afonso de Jesus
em 05-04-2013, às 18h14.

A cerveja jamais será benéfica para o desempenho do atleta, porque alcool não combina com qualquer atividade física,hoje quando se fala em cerveja no esporte, é simprismente propaganda. As federações e clubes deveram se organizarem no intúito de buscar outros tipos de propagandas. É claro que tem atletas que gostam de uma balada, de tomar uma cerveja, mas no horário de folga. Mesmo no horário de folga não é bom que o atleta faça uso de bebida alcólica, porque o oganismo leva um certo tempo para se recuperar, se ele estiver em competição poderá prejudicar muito o seu desempenho.

Por Wagner Pimenta da Rocha
em 05-04-2013, às 18h19.

As propagandas de cerveja não são produzidas para que o consumo seja moderado e sim para que seja consumida em excesso. Está passando da hora de  realmente sabermos o que é   bom e ruim para nossa saúde e a quantidade ingerida faz toda a diferença.

Por Saulo Augusto Rosa da Silva
em 05-04-2013, às 18h46.

Entendo que bebida alcoólica não combina com o esporte. Os atletas mesmos os amadores necessitam do bom funcionamento do seu corpo para produzir e maximizar o seus rendimento, e a bebida interfere de forma negativa para que isso possa ocorrer. Essa pesquisa é apenas para marketing ja que os atletas do alto rendimento são figuras vista como exemplos e possuem muita influência sobre a população. Penso também que nada em moderação causa muitos danos, pode até trazer melhorias para a qualidade de vida.

Por Edison Yamazaki
em 19-04-2013, às 00h25.

As idéias, de um modo geral, mostram que bebidas alcoólicas não combinam com esportes.

Lino Castellani Filho diz que a Educação Física Escolar educam pessoas, mas isso não é privilégio da Educação Física porque qualquer matéria escolar pode educar pessoas. Não acredito que somente a Educação Física por envolver corpo, saúde e esporte está à frente dos demais.

O importante é sabermos diferenciar as coisas com olhos de profissionais. Por mais bonita que seja a embalagem, é necessário dicernimento quando o assunto é saúde e esporte, pois o nosso meio é um prato cheio para vender produtos diversos.

Me nego a acreditar que o brasileiro, de um modo geral, não saiba quais elementos combinam com a saúde e esporte, seja ele social ou competitivo.

Não é tarefa somente dos professores de Educação Física prepararem as crianças para serem adultos participativos, politizados ou com iniciativa empreendora. Acho que ela é apenas uma parte de todo o processo educacional.

Por Roberto Affonso Pimentel
em 19-04-2013, às 09h08.

Senhores, um pouco da "História do Voleibol no Brasil" para equilibrar tantos comentários.

"Os II Jogos Luso-Brasileiros realizados no Brasil em 1963, sendo que a delegação portuguesa ficou hospedada nas instalações da Escola Naval, no Rio de Janeiro. Os Jogos eram programados pelos entendimentos entre a Confederação Brasileira de Desportos (extinta posteriormente) e as autoridades portuguesas. E, característica singular, não havia prêmios coletivos ou individuais, permitindo-se a distribuição de medalhas comemorativas a todos os participantes. Também era recomendado que fossem realizados de preferência em várias cidades, dando-se-lhes a maior amplitude no país da sua realização".

Cito como curiosidade, que a delegação portuguesa não se furtou a trazer caixas de seus melhores vinhos para adoçar a boca dos atletas em suas refeições diárias. É com toda certeza, cultural. 

Se não estiver errado, ss vinhos têm entre 15% e 17% de teor alcoólico e as cervejas, em torno de 5%. O problema deve estar nas dosagens. Todavia, como não era uma competição propriamente dita, mas "encontros", possivelmente os dirigentes portugueses estivessem mais para turismo do que colecionar medalhas. 

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.