Educação Física Escolar

Ponto de Encontro dos Profissionais, Estudantes e Pesquisadores

Entrar na Comunidade

Inserção de Atividades Circenses na Educação Escolar



Segundo SILVA (2006) citado por TAKAMORI, BORTOLETO, LIPORONI at al (2010), o processo de ensino aprendizagem das modalidades circenses prosseguiu “através da transmissão da arte do pai para o filho”  independente do formato de circo vigente (“circo família”, “circo tradicional”, “novo circo”, “circo moderno” e “circo teatro”), porém, a partir da década de 40, iniciou-se uma ruptura na forma da transmissão deste saber circense, com o surgimento das escolas de circo. Dentro dessa lógica, os elementos circenses saem das lonas e começam a serem trabalhados em diferentes espaços, evento, projetos sociais e, inclusive, no âmbito escolar, dentro da disciplina de Educação Física. 

Considerando os conteúdos dessa disciplina, observamos que as atividades circenses pertencem ao grupo de atividades expressivas e devem, portanto, ser tratadas nas aulas seguindo a determinação dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) (BRASIL, 1997) ao mesmo tempo em que os princípios que norteiam a Educação Física no Ensino Fundamental: Princípio da Diversidade, Princípio da Inclusão e Categorias de Conteúdos (BORTOLETO; MACHADO, 2003). Dessa maneira, por tratar de uma manifestação da cultura corporal, a arte circense pode ser vista como uma forma organizada, multifacetada, inter-relacionada de Educar o físico, legitimado pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB) (BRASIL, 1996).

Fonte: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fef/article/view/6729

Então, gostaria de debater tal assunto com os integrantes da comunidade, saber suas opiniões, criticas, observações, se é a favor ou contra a inserção das atividades circenses no ambiente escolar.

Comentários

Por Otávio Gomide Costa
em 06-10-2011, às 14h11.

Eu sou muito a favor da inserção das atividades circenses. Acho que ela traz para o aluno , variadas formas de movimento corporal , além de ser um elemento fundamental no que diz respeito ao aspecto cultural. É um tipo de atividade onde agrega diferentes níveis sociais, permitindo a inclusão . E pode ser trabalhada a partir da construção de materiais alternativos , dependendo da especifidade, como por exemplo o marabalis . Trabalho em um projeto social , e dentro deste projeto, está incluido as artes circense , onde ja recebemos um curso com um dos melhores profissionais desta área " Professor Thiago Aquino , O Paçoca " não sei se alguém conhece. Foi uma experiência inovadora, não só para nós que tivemos um primeiro contato com este tipo de atividade e prática corporal , mais assim também , o que passamos para as crianças dentro deste aprendizado . Acho as atividades circences, mais do que a inclusão social , desperta o densevolvimento motor e cognitivo das crianças.

Por Janaina Silva
em 06-10-2011, às 15h31.

Acho este assunto muito interessante. Uma vez que na graduação temos aula de ginástica rítmica e artística que de certa forma tem alguns elementos da cultura/pratica circense (onde se tem saltos, manejo de corpo/objetos com as mãos e seqüências coreográficas). Mas essas atividades são mais trabalhadas na serie iniciais do ensino infantil, uma vez que é difícil encontrar um professor de Educação física que trabalhe com as ginásticas em aulas para o ensino fundamental (não é impossível). As atividades circenses são ideais para serem trabalhadas nas aulas de educação física escolar, pois as atividades podem desenvolver a confiança, companheirismo, força, agilidade, flexibilidade, entre outras habilidades em nosssos alunos; mas os profissionais de educação física deveriam ter em sua grade curricular uma matéria voltada para trabalhar pratica e teoria da arte circense, para poder ensiná-la aos alunos.

Por Marco Antonio Coelho Bortoleto
em 06-10-2011, às 17h31.

Mayra, Otávio, Janaina e demais colegas interessados,

Parabenizo-os pelo salutar debate, e peço licensa para breves apontamentos.

Suas dúvidas e certezas são sempe importantes, e merecedoras de atenção, e a melhor maneira de disscutí-las é acessando a experiência coletiva.  Tenho estudado este assunto com muita atençao, cuidado e respeito, e realmente as atividades circenses são de fato um conhecimento pertinente e revelador para o espaço escolar. Revelador de uma cultura secular, de uma motricidade expressiva, potencializador da educaçao técnica e estética, e elemento importante no processo renovador da educaçao física, no Brasil e no mundo.

Convido todos a lerem as dezenas de relatos de experiência já disponíveis na literatura, textos que certamente trarão mais elementos para o debate que vocês iniciaram.

Convido ademais, para lerem um breve texto publicado recentemente, onde discuto algumas das questões centrais deste tema, e que acredito que podem servir para todos vocês.

ATIVIDADES CIRCENSES: NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DA EDUCAÇÃO CORPORAL E ESTÉTICA

http://www.rbceonline.org.br/revista/index.php/cadernos/article/view/1256

Att.

Prof. Marco A C Bortoleto

http://www.fef.unicamp.br/grupos/circus/index.htm

Por Thúlio Luiz
em 06-10-2011, às 20h58.

Em minha opinião, as atividades circenses podem e devem ser trabalhadas nas aulas de Educação Física levando em consideração sua cultura e historicidade. Além de trabalhar a expressão corporal de nossos alunos, as atividades circenses exigem coordenação motora, equilíbrio e agilidade do praticante, habilidades estas que são destacadas nas aulas de Educação Física desde as séries iniciais.

Outro ponto que gostaria de destacar, é que a maioria das escolas comemora o dia do Circo (27 de março) em seu ano letivo, onde todas as disciplinas trabalham, cada um com sua especificidade, o tema circo. A Educação Física neste caso poderia desempenhar o papel de auxiliadora nestas atividades, utilizando materiais alternativos ou até mesmo a confecção deles.

Por Jorge Antônio Serenário Ribeiro
em 06-10-2011, às 22h24.

Sou a favor, creio que quanto mais vivencias passarmos aos nossos alunos irá ser melhor para os desenvolvimentos destes, ainda mais se tratando de atividades circenses. Portanto há um porém, apesar de saber que tais atividades são de extrema valia para vida de nossos alunos, devemos refletir sobre um ponto de vista mais crítico, será que nossas escolas oferecem espaços, materiais e carga horária adequada para a aprendizagem de tais vivencias? Sabemos que a realidade é outra, onde nem todas as escolas tem matérias simples e necessários para darmos aulas simples. Será que essa realidade apresentada seria condizente com a nossa? 

Por Emiliana Silva Carneiro
em 09-10-2011, às 09h41.

Sou totalmente a favor, como dito pelos colegas acima, as possibilidades que a arte circense tem são inumeras, acredito que se houvesse mais espaço na graduação dedicado a prática de expressão corporal, mais estudos sobre o assunto, os professores poderiam ter uma formação melhor, estando preparados para utilizar em suas aulas a arte circense de várias formas. Aprender a usar o corpo para expressar o que sentimos é a melhor forma de extrair sentimentos ocultos, poderíamos, além de descobrir talentos em nossos alunos, penso que a arte circense pode revelar o que os alunos querem, gostam, o que eles sentem, como se sentem...

Claro que um aprofundamento no estudo dessa arte seria muito válido dentro da graduação, mas como em muitos conteúdos, temos que procurar nós mesmos por informações se quisermos mesmo trabalhar com eles. E isso não é apenas o caso da EF, nenhum curso de graduação consegue preparar plenamente um profissional em todas as possibilidades que existem para se trabalhar após a formação acadêmica.

Por Luan Carlos Guimarães Souza
em 09-10-2011, às 17h33.

Concordo é uma proposta muito ligada à educação física pela questão da cultura corporal, pois atividades circenses exploram muito a expressão corporal. No meu ponto de vista vai dar muito certo adotar esse conteúdo para as aulas de educação física, pois a muitas atividades expressivas e que com certeza motivaram os alunos por ser um conteúdo diferente e artístico, vai ajuda o aluno trabalhar melhor o seu desenvolvimento motor, de uma forma ao mesmo tempo lúdica.

Por Daniel Júlio de Araújo
em 10-10-2011, às 11h21.

 As atividades circenses pode ser um excelente contribuinte para a educação, não apenas para a infantil, mas também para a fundamental e média. Tais práticas englobam diversos elementos necessários para o desenvolvimento físico e cognitivo (objetivos almejados pela educação física). As atividades circenses trabalham o corpo como um todo desde os desenvolvimentos de habilidades básicas, coordenação motora fina ao desenvolvimento cognitivo, certas atividades exigem diferentes graus de atenção que contribui diretamente com a percepção e assim facilitando a aprendizagem, não somente a aprendizagem motora, mas também com a aprendizagem em um contexto geral.

Este deveria ser um conteúdo trabalhado em todos os “níveis” de educação, no ensino superior também, visto que a presença destes conteúdos na educação das crianças não é sempre abordado por parte dos profissionais de Educação Física.

Por Rodrigo Müller Patrício
em 10-10-2011, às 15h09.

A aproximação da Educação Física com o circo tem se tornado cada vez mais evidente, pois os alunos acabam entendendo um pouco mais em relação ao que se trata da cultura e movimentos do corpo, sendo caracterizado pelas escolas que é a principal instituição resonsável por transmitir tais saberes. A inserção de atividades circenses nas escolas, poderá abrir alguns questionamentos como por exemplo: Como que este tema poderá ser trabalhado? Como que os alunos vivenciarão essas novas experiências? Com tudo isso posto em debate, com certeza a inserção de atividades circenses, contribuirá e muito na minha opinião, para que os alunos aprendam mais sobre a atividade e que a mesma contribua para uma educação física moderna e inovadora.

Por Carlos Alberto de Souza Júnior
em 10-10-2011, às 21h32.

Concordo com nossos colegas a cima, as atividades circences trazem um amplo arsenal de movimentos que podem e devem ser trabalhados em nossas aulas de Ed. Física, como disse nosso colega Daniel: Este conteúdo deveria ser trabalhado em todos os niveis de Educação, até mesmo no Ensino Superior. Concordo pelo fato que disse anteriormente, por conter um amplo arsenal de movimentos essenciais, principalmente para nossos alunos. Portanto, as Atividades Circences devem sim serem trabalhadas nas escolas.

Por Priscila Medeiros Aquiles
em 15-10-2011, às 15h55.

Eu sou a favor da inserção das atividades circenses na educação escolar. Pois a trará aos alunos inúmeros benefícios, pois proporcionará aos alunos uma motivação diferente, além de desenvolver a atenção, motricidade, concentração, coordenação motora, pois a todo o momento o corpo está sendo trabalhado durante os movimentos, cabendo também ao professor explorar diversas formas para promover o interesse dos alunos nas aulas. E acredito que essa prática desse ser trabalhada, desde os anos iniciais até o ensino médio, mesmo que essa atividade não faça parte da realidade de muitas escolas, mais será mais uma ferramenta para nós profissionais de Educação Física, proporcionar uma atividade diferente das outras e que motive nossos alunos.

Por Patricia Santos Carneiro
em 19-10-2011, às 14h46.

Acho sim que as atividades circenses podem sim ser dadas nas aulas de educação física, pois trabalha muito a expressão corporal alem da coordenação motora, equilíbrio e é uma atividade bastante interessante é uma atividade expressiva que reúne toda uma seria de conhecimentos de alto valor educativo e que podemos destacar as potencialidades expressivas e criativas, alem dos aspectos lúdicos dessa pratica. 

Por Larah Veggi
em 20-10-2011, às 18h42.

As atividades circenses têm tudo haver com as crianças, e também é muito motivante pros adolescentes  uma vez que as crianças vivem esse momento na infância e os adolescentes revivem esse momento. È válido sim e pra isso acontecer basta o professor pesquisar do assunto, procurar cursos, revistas, livros, vídeos que lhe de uma fundamentação para suas aulas, que além de divertidas vão ser diferentes e motivantes.

Por Waldir de Meira Albuine
em 22-10-2011, às 14h25.

A incerçao dessas atividades circences nas aulas de Efi ,possui caracteristicas  fundamentais para a formaçao humana dos alunos e capacitando para uma esfera de conhecimento.Alem disto a criança e auomotiva para qualquer pratica ,principal mente a ludica,e se a arte circence contempla esses  principios ela e adequada aos objetivos da Educaçao Fisica Escolar.Pensar em atividades circences e possibilitar a  inclusao de excluidos ,respeitando a diversidade encontrada nas aulas,na busa de uma Educaçao Fisica de qualidade e desenvolvendo a criatividade, autonomia por meio do movimento corporal .Entao essas atividades podem somar pontos positivos e surpeendentes  nas diferentes formas de desenvolver a Educaçao Fisica Escolar.

Por Swand de Paula Fernandes
em 22-10-2011, às 23h10.

A questão cultural é essencial para o desenvolvimento humano, e sendo as atividades circenses consideradas uma especialidade das artes, viabilizá-las no âmbito escolar, além de caráter resgatador, será um instrumento para inovação das práticas escolares.

 

As atividades com “bolas” (malabares) possibilitam desenvolver no educando o raciocínio lógico, a coordenação motora, o domínio visual e a psicomotricidade. Já as acrobacias propiciam conceitos de flexibilidade, de equilíbrio, e possibilitam um trabalho que envolve a memória, a relação peso x força, distância, altura, impulsão, e força de explosão.. As atividades com tecido trabalham as noções de lateralidade (direito, esquerdo), direção (frente, trás, diagonal), ritmo (lento, moderado, acelerado), organização espacial (dentro, fora, acima, baixo, ao lado, sobre), bem como conceitos de flexionar, estender, alongar, inclinar, girar, balancear. (COSTA, TIAEN, SAMBUGARI, 2008).

 

Essa dinâmica sociocultural não somente irá disseminar esse conhecimento a uma população que até então somente vislumbrava essa prática na forma de público, externamente, como também irá preencher, na Educação Física Escolar, as lacunas que a mesma vem sofrendo pela grande evasão por parte dos alunos por estarem participando, na maioria das vezes, das mesmas atividades repetitivas sem objetivos traçados.

Por Gustavo Pereira de Paula
em 24-10-2011, às 17h04.

As atividades circenses podem sim ser tratadas na escola, mas exige um estudo prévio do professor, pois não é algo tão fácil de trabalhar quanto parece. Mas é muito importante pois alem de trabalhar a expressão corporal, desenvolve também o equilíbrio e habilidades motoras.

Por Wiviane de Souza Martins
em 04-11-2011, às 20h25.

Muitíssimo a favor! Mas as condições atuais na maioria das escolas não é propícia para desenvolvê-las, o ambiente precisa ser seguro, contando com equipamentos adequados para evitar acidentes. Também concordo com o Gustavo de que o professor precisa ter um conhecimento na área para que possa ministrar aulas com tal temática; gostaria muito que tivéssemos tido ou que viéssemos a ter essa vivência durante nossa graduação, mas infelizmente essa disciplina não é ofertada pelo curso.

Acredito que tais atividades seriam capazes de despertar o encanto, a motivação, e o interesse dos alunos; e que também poderiam despertar sentidos, descobrindo possibilidades corporais até então adormecidas, ampliando o repertório motor e enriquecendo sua expressão corporal.

Por Vitor Henrique de Lima Falci
em 05-11-2011, às 10h26.

Atividades circenses podem ser trabalhadas sim nas nossas aulas de educação física, e não vejo como algo muito distante de nossa realidade porque normalmente o circo passa por varias cidades basta nos como professores enquanto o circo estiver na cidade procurarmos saber mais sobre as atividades e também levar nossos alunos para ir no circo e conhecer não só as atividades e sim a realidade que as pessoas que trabalham no circo vive. Assim ajudando nossos alunos e ter uma visão ampla do que e um circo e não pensa nele somente em um lugar onde pessoas demonstram suas habilidades e sim ver o contexto social que la se encere.

Por Rony Abelardo Corrêa Vaz
em 06-11-2011, às 22h33.

É bastante válido, pois o trabalho com atividades circenses além de ser interessante, trabalha várias valências físicas com coordenação, flexibilidade...,isso ajuda no desenvolvimento motor da criança, pois sendo diferente torna-se motivante.

Por Patrícia Arantes de Queiroz
em 08-11-2011, às 20h18.

Sou a favor sim da inserção das atividades circenses nas aulas de Educação física e também  concordo que deve haver mais espaço na graduação dedicado a essa prática, pois, elas trazem formas diferentes de movimento, abordam uma nova cultura, trabalham  o equilíbrio, a tomada de decisão, coordenação motora, habilidades entre outros, o que amplia as vivências dos alunos saindo também do mesmo padrão de aula. Além do mais, alguns materiais utilizados nas aulas podem ser fabricados pelos alunos o que torna ainda mais atrativa, marcante e proveitosa a aula. 

Por Gabriela Vargas Nunes
em 08-11-2011, às 20h55.

Cara Amiga Mayra,

a favor da inclusão das atividades circenses. Essas atividades podem motivar muito todos os alunos, fazendo então que a evasão nas aulas amenize um pouco. A maioria das crianças adoram quando o circo vai em suas cidades, isso pode ajudar bastante na pratica da atividade.

Como nossa amiga citou acima os materiais utilizados podem ser confeccionados pelos próprios alunos de acordo com as orientações do professor.

 

Abraços!

Por Charlene Priscila Herculano de Morais
em 11-11-2011, às 22h34.

Sou totalmente a favor da inserção das artes circenses no âmbito escolar, é uma área que permite as pessoas transmitirem suas emoções, se libertar nos movimentos, ir além do que ela pode ver, envolve a ginastica de forma artística e legal de se fazer, vai afundo na criatividade da pessoa, emoções quase nunca percebidas são transmitidas através do circo, que é uma prática que liberta o eu dentro da pessoa.

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.