Educação Física e Esporte

A primeira comunidade do CEV

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevefesporte/

Alguns Dias Sem Se Exercitar Já Afetam o Cérebro.



Cevnautas,  

As revistas populares tem, lentamente, incorporando artigos de divulgação científica. Bem escritos mas geralmente não dando o endereço (URL) da fonte.   Aqui vai um cujo título é quase uma frase de propaganda profissional da Educação Física:  

Alguns dias sem se exercitar já afetam o cérebro.

O título do artigo de divulgação do ScienceDaily é mais comprido, mas a aliteração "use or loose it" é difícil de traduzir mantendo o sabor.  

Use it or lose it: Stopping exercise decreases brain blood flow

A seguir o artigo em português, a URL do ScienceDaily e o endereço e resumo do artigo que espera adoção da tradução(com crédito para o tradutor).  

Laércio  

Alguns dias sem se exercitar já afetam o cérebro.

Ficar um pouco mais de uma semana sem se movimentar reduz o fluxo sanguíneo na cabeça

Thiago Castro  

É normal, durante um período atribulado no trabalho, que a primeira coisa eliminada da rotina seja a atividade física. Ora, quem nunca abandonou a academia por uma semaninha pelo menos? Pois saiba que pausas assim já são capazes de trazer consequências para o cérebro. A descoberta vem da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos. Para o trabalho, foram recrutadas pessoas superativas entre 50 e 80 anos, todas com um histórico de 15 anos de práticas físicas, sendo no mínimo quatro horas de exercícios intensos por semana.  Para ter ideia, essa turma corria o equivalente a 10 quilômetros por dia.  

Os cientistas mediram a velocidade do fluxo sanguíneo no cérebro dos voluntários enquanto eles ainda estavam seguindo sua rotina normal de treinos e também depois de 10 dias sem nenhuma atividade física. Descobriu-se, então, que esse tempo “de molho” fez o fluxo sanguíneo diminuir significativamente em oito regiões da massa cinzenta, incluindo áreas do hipocampo. E é aí que mora o perigo. Essas regiões do cérebro tem um importante papel no processamento da aprendizagem e da memória – tanto é que são os primeiros locais a encolher entre pessoas com Alzheimer. Segundo os autores, os dados reforçam: quanto menos exercícios físicos, maior o risco de declínio cognitivo.   

FONTE: http://mdemulher.abril.com.br/saude/saude-e-vital/alguns-dias-sem-se-exercitar-ja-afetam-o-cerebro  

O artigo de divulgação do Sciencedaily com um título saboroso:  

https://www.sciencedaily.com/releases/2016/08/160829140440.htm

Use it or lose it: Stopping exercise decreases brain blood flow

August 29, 2016 Source: University of Maryland

Summary: Researchers examined cerebral blood flow in master athletes (ages 50-80 years) before and after a 10-day period during which they stopped all exercise. Using MRI brain imaging techniques, they found a significant decrease in blood flow to several brain regions important for cognitive health, including the hippocampus, after they stopped their exercise routines.  

FONTE: https://www.sciencedaily.com/releases/2016/08/160829140440.htm  

O artigo original do "Frontiers in Aging Neuroscience" à espera de adoção da tradução do resumo para indexarmos no CEV:  

Alfonso J. Alfini, Lauren R. Weiss, Brooks P. Leitner, Theresa J. Smith, James M. Hagberg, J. Carson Smith. Hippocampal and Cerebral Blood Flow after Exercise Cessation in Master Athletes. Frontiers in Aging Neuroscience, 2016; 8 DOI: 10.3389/fnagi.2016.00184  

While endurance exercise training improves cerebrovascular health and has neurotrophic effects within the hippocampus, the effects of stopping this exercise on the brain remain unclear. Our aim was to measure the effects of 10 days of detraining on resting cerebral blood flow (rCBF) in gray matter and the hippocampus in healthy and physically fit older adults. We hypothesized that rCBF would decrease in the hippocampus after a 10-day cessation of exercise training. Twelve master athletes, defined as older adults (age ≥ 50 years) with long-term endurance training histories (≥15 years), were recruited from local running clubs. After screening, eligible participants were asked to cease all training and vigorous physical activity for 10 consecutive days. Before and immediately after the exercise cessation period, rCBF was measured with perfusion-weighted MRI. A voxel-wise analysis was used in gray matter, and the hippocampus was selected a priori as a structurally defined region of interest (ROI), to detect rCBF changes over time. Resting CBF significantly decreased in eight gray matter brain regions. These regions included: (L) inferior temporal gyrus, fusiform gyrus, inferior parietal lobule, (R) cerebellar tonsil, lingual gyrus, precuneus, and bilateral cerebellum (FWE p < 0.05). Additionally, rCBF within the left and right hippocampus significantly decreased after 10 days of no exercise training. These findings suggest that the cerebrovascular system, including the regulation of resting hippocampal blood flow, is responsive to short-term decreases in exercise training among master athletes. Cessation of exercise training among physically fit individuals may provide a novel method to assess the effects of acute exercise and exercise training on brain function in older adults  

FONTE: http://journal.frontiersin.org/article/10.3389/fnagi.2016.00184/full

Comentários

Por Adriano Vretaros
em 02-09-2016, às 18h11.

TRADUÇÃO DO RESUMO DO ARTIGO:

Alfonso J. Alfini, Lauren R. Weiss, Brooks P. Leitner, Theresa J. Smith, James M. Hagberg, J. Carson Smith.  Hipocampo e fluxo sanguíneo cerebral após cessação do exercício em atletas Master.  Frontiers in Aging Neuroscience, 2016; 8 DOI: 10.3389/fnagi.2016.00184 

 

Enquanto o treinamento de endurance melhora a saúde vascular cerebral e tem efeitos neurotróficos dentro do hipocampo, os efeitos de cessar este exercício no cérebro ainda não estão claros. O nosso objectivo era medir os efeitos de 10 dias de destreinamento sobre a recuperação do fluxo sanguíneo cerebral (rCBF) na massa cinzenta e no hipocampo em adultos mais velhos saudáveis e aptos fisicamente. Nossa hipótese é que rCBF diminuiria no hipocampo após uma interrupção de 10 dias de treinamento físico. Doze atletas masters, definidos como idosos (idade ≥ 50 anos) com histórico de treinamento de resistência de longa duração (≥15 anos), foram recrutados em clubes de corrida locais. Após a triagem, os participantes elegíveis foram convidados a cessar todo o treino e atividade física vigorosa durante 10 dias consecutivos. Antes e imediatamente após o período de cessação do exercício, rCBF  foi medida com ressonância magnética ponderada em perfusão. Uma análise baseada em voxel foi usado na massa cinzenta, e o hipocampo foi escolhido a priori como estruturalmente definido região de interesse (ROI), para detectar alterações na rCBF ao longo do tempo. A recuperação da CBF diminuiu significativamente em oito regiões da matéria cerebral cinzenta. Estas regiões incluem: (L) giro temporal inferior, giro fusiforme, lóbulo parietal inferior, (R) tonsila cerebelar, giro lingual, precuneos, e cerebelo bilateral (FWE p <0,05). Além disso, rCBF dentro do hipocampo esquerdo e direito, diminuiu significativamente após 10 dias de nenhum treinamento físico. Estes achados sugerem que o sistema vascular cerebral, incluindo a regulação do descanso do fluxo sanguíneo do hipocampo, é sensível às reduções de curto prazo no treinamento físico entre os atletas masters. A cessação do exercício físico entre os indivíduos fisicamente aptos pode proporcionar um novo método para avaliar os efeitos do exercício agudo e treinamento físico na função cerebral em adultos mais velhos.

 

Por Laercio Elias Pereira
em 02-09-2016, às 18h58.

Prof Adrino, Obrigado! Está no ar:

http://cev.org.br/biblioteca/hipocampo-e-fluxo-sanguineo-cerebral-apos-cessacao-do-exercicio-em-atletas-master/

Laércio

 

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.