Educação Física e Esporte

A primeira comunidade do CEV

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevefesporte/

Só 20 Minutos de Atividade Física Por Semana Adianta?



Cevnautas,

Segue a notícia noticia brasileira e os apontadores para os artigos originais do Mirror (divulgação científica) e BMJ (trabalho original com bons gráficos e tabelas). Laércio

MUNDO. Vinte minutos por semana, não sabe o bem que lhe faziam 

Sim, 20 minutos. O British Medical Journal revelou esta semana que pequenos períodos de exercício físico numa semana são melhores do que não fazer atividade alguma. Segundo o The Mirror, se o objetivo é melhorar a saúde, 20 minutos por semana é o suficiente.  

MUNDO Vinte minutos por semana, não sabe o bem que lhe faziam Reuters 20:09 - 22 de Janeiro de 2015 | Por Notícias Ao Minuto  

Uma nova pesquisa publicada no British Medical Journal revela que apenas 20 minutos de exercício intenso por semana são suficientes para melhorar a sua condição de saúde.  

Segundo o The Mirror, mais de um terço dos adultos em todo o mundo (35,6%) não pratica qualquer atividade física e, por isso, está mais propenso a desenvolver doenças crónicas, como é o caso da Diabetes, de problemas cardiovasculares ou até mesmo alguns tipos de cancro.  

Mas há uma forma de combater tal males: Menos de uma hora de atividade física moderada por semana consegue fazer diminuir em 15% o risco de morte, revela um estudo norte-americano que analisou 250.000 adultos entre os 50 e 71 anos.  

Contudo, destaca a investigação publicada no British Medical Journal, as pessoas que praticaram 20 minutos ou mais de exercício físico intenso durante a semana viram os riscos de desenvolver estas doenças reduzidos em 23%.  

E são vários os estudos que vão ao encontro desta conclusão. A revisão de seis diferentes investigações, escreve o The Mirror, permitiu concluir que as pessoas que caminham entre um a 74 minutos por semana têm menos 19% de hipóteses de morrer do que aquelas que nada fazem.  

Philipe de Souto Barreto, da Universidade de Toulouse, revela que as pessoas devem tentar exercitar-se pelo menos 150 minutos por semana (tempo atualmente recomendado para os adultos), mas se o objetivo é combater o sedentarismo e tentar improvisar a saúde, os vinte minutos semanais podem ser um excelente começo.  

“Todas as pessoas precisam se ser ativas a cada dia. Episódios de dez minutos ou mais de atividade física têm demonstrado benefícios para a saúde, mas praticar 150 minutos ou mais de atividade moderada por semana é a ‘quantidade’ que precisamos para ter um impacto positivo sobre uma ampla gama de condições de saúde”, defende o professor Kevin Fenton, diretor da Public Health England.  

FONTE: http://www.noticiasaominuto.com/mundo/337342/vinte-minutos-por-semana-nao-sabe-o-bem-que-lhe-faziam  

Artigo do  The Mirror:   http://www.mirror.co.uk/news/uk-news/health-experts-say-just-20-5021531  

O trabalho original do BMJ com fotos, bons gráficos e tabelas:   http://www.bmj.com/content/350/bmj.h23    

Comentários

Por Gabriel Humberto Muñoz Palafox
em 27-01-2015, às 02h38.

Oi compadre!

Para mim essa história dos 20 minutos, somente leva a uma constatação: o sedentarismo resultante da tecnologia consumista tanto para o lazer quanto para o trabalho está detonando e avança a todo vapor a cada dia que passa, chegando a todas as classes sociais.

Como exemplo, seria interessante verificar o que parece estar acontecendo nas escolas particulares de algumas grandes cidades. Além de constatarmos o aumento significativo da obesidade na população brasileira, parece que a garotada não está gostando muito de praticar e aprender esportes, e atividade física regular nem pensar.

O vicio dos aparelhos celulares, os videogames e os jogos por computador, a tv, além da escola basicamente preocupada no desenvolvimento intelectual dos alunos está pegando forte, muito forte, muito mesmo.... Por isso 20 minutos por semana de atividade física pode estar sendo sugerida para ver se o povo se anima a fazer "exercicio". Isso parece melhor do que nada.....ufa!

Nem o fato de saber que a obesidade e suas consequências já estão em primeiro lugar ajudando a matando muita gente parece estar chamando a atenção da população, por isso penso que para além dos 20 minutos sugeridos, como o caso está virando de polícia, poderiamos pensar em políticas públicas mais agressivas não... Por exemplo melhorar a formação dos nossos estudantes de Licenciatura em Educação Física, valorizar, de fato, a profissão na educação física escolar pagando bem, dotando as escolas de boa infraestrutura; garantindo a permanência do professor na escola em tempo integral, assim como também estimulara a pratica regular de exercicios e jogos entre uma aula e outra, para ver se assim a coisa começa a melhorar, de verdade.... não? 

Por Irene Blanck Drischel
em 07-02-2015, às 14h26.

OBESIDADE INFANTIL

AÍ VEM O CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, DO MIN. EDUCAÇÃO COM A FATÍDICA RESOLUÇÃO Nº 7, ART 31, VIALIBIZANDO A MINISTRAÇÃO DA EDUAÇÃO FISICA ESCOLAR PRIMÁRIA POR PROFESSORAS LEIGAS, COM A DESCULPA DE QUE A RESOLUÇÃO VEM PARA RESOLVER O PROBLEMA NOS RINCÕES LONGÍNQUOS DESTE NOSSO BRASIL.

A ANDIME SE APEGOU A FATÍDICA RESOLUÇÃO Nº 7, PARA LIBERAR ESCOLAS E SECRETARIAS MUNICIPAIS QUE O DESEJAREM, PASSANDO A RESPONSABILIDADE AOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA , LÍDERES LOCAIS, QUE O DESEJAREM , PARA INTERFEIR JUNTO ÁS SUAS SECRETARIAS DE EDUCAÇÃO NA MANUTENÇÃO DA LEI FEDERAL 9696/98. 

E OS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FISICA, REGISTRADOS NO SISTEMA CONFEF/CREFS, FAZEM O QUÊ, ATÉ QUANDO?

QUAL A ATITUDE COBRADA DO SISTEMA CONFEF/CREFS ?

QUAL RESPOSTA DAMOS Á  SOCIEDADE?

POR ACASO ACIONAMOS TB OS MINISTÉRIOS DA SAÚDE, DO ESPORTE, DENUNCIANDO O CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO MIN. EDUCAÇÃO??????!!!!!!!!!! EM PROL DAS NOSSAS CRIANÇAS?

PARA QUE ESTUDAMOS TANTO?

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.