Fitness e Qualidade de Vida

Planejamento e a execução de programas de atividade física voltados para a manutenção da saúde e da estética de maneira segura e prazeirosa

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevfitness/

Sedentarismo Causa 13% das Mortes no Brasil



Cevnautas da qualidade de vida, alguém tem as referência que deu origem a este artigo do Terra? Laercio

Sedentarismo causa 13% das mortes no Brasil, diz pesquisa Conforme índices apurados pelo Ministério da Saúde, 64% da população está com excesso de peso

Segundo a última pesquisa feita pelo IBGE em 2010 e divulgada em 2012, 80% dos brasileiros são sedentários

O sedentarismo está por trás de 13,2% das mortes no Brasil, segundo uma pesquisa publicada pela revista médica Lancet. No País, a inatividade é a causa de 8,2% dos casos de doenças cardíacas, 10,1% dos casos de diabetes tipo 2, 13,4% dos casos de câncer de mama e 14,6% dos casos de câncer de cólon. O número é um dos maiores da América Latina, onde 11,4% das mortes são causadas pelo sedentarismo.

Segundo o cardiologista e médico do esporte Daniel Kopiler, a situação é consequência da evolução tecnológica da sociedade. Atualmente, os jovens são os mais afetados pelo sedentarismo, pois estão mais envolvidos com a tecnologia.

"Hoje temos uma série de materiais que vão facilitar nosso trabalho braçal, mas que de alguma maneira vão diminuir a quantidade de trabalho comparado com o que fazíamos. Esta mudança tecnológica faz com que as pessoas comecem a andar menos e a fazer menos atividades físicas", explicou Kopiler à Agência Efe.

Segundo a última pesquisa feita pelo IBGE em 2010 e divulgada em 2012, 80% dos brasileiros são sedentários, e uma das consequências mais temidas é a obesidade.

Conforme índices apurados pelo Ministério da Saúde, 64% da população está com excesso de peso, e exercícios podem ser a solução para reduzir tais números assustadores.

A solução indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é a prática de pelo menos 30 minutos de exercícios físicos por dia, já que a inatividade é o quarto principal fator de risco de mortalidade em todo o mundo, perdendo apenas para diabetes, tabagismo e hipertensão.

A rotina, no entanto, parece não permitir nem mesmo estes trinta minutos. "A pessoa acorda seis horas da manhã, chega às oito no trabalho e, quando volta pra casa, ainda precisa cuidar dos filhos, estudar", lembra Kopiler. Como solução, o médico indica pequenas mudanças nos hábitos diários para reduzir os efeitos do sedentarismo.

Um primeiro passo é a mudança na alimentação, com a diminuição de refeições gordurosas e o aumento de ingestão de proteínas e fibras. Os exercícios mais indicados para se livrar da inatividade são caminhadas, ciclismo, natação e hidroginástica por não causarem problemas às articulações, mas que devem ser acompanhadas de alongamento.

Pensando nisso, Kopiler diferencia a atividade física de exercício físico, porque esse último requer uma aplicação concentrada de tempo e muitas vezes não se encaixa na agenda da grande maioria das pessoas.

"Uma coisa é a atividade física, e outra, o exercício. Qualquer movimento que fazemos é uma atividade física. Já o exercício é basicamente quando fazemos uma ação coordenada", disse o médico à Efe.

"Essas atividades cotidianas podem, quando feitas de forma coordenada, contribuir de uma forma muito significativa para sair do sedentarismo", acrescentou.

FONTE: http://saude.terra.com.br/doencas-e-tratamentos/,27ecfb56c7690410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

Comentários

Por Milla Miriane Vieira
em 28-01-2014, às 11h31.

O sedentarismo está diretamente relacionado com a obesidade, que tem por sua vez ainda pelo menos mais uma doença associada. Uma das formas de combate seria o exercício físico, porém sabemos que há muitos outros fatores, como os sociais por exemplo, que o excluem da prática. Lembrando que atividade física são atividades corriqueiras, como ir ao supermecado caminhando e, exercício físico são programados. Porém com o avanço da tecnologia, essas pequenas atividades estão se tornando cada vez mais incomuns, e com essa avanço as pessoas estão ficando sem tempo até mesmo para fazer uma boa refeição. Com aumento das mortes associadas com o sedentarismo, devem se criar políticas para redução das atitudes relacionadas, conscientizando desde a escola, as crianças o quanto a atividade é importante para uma boa qualidade de vida.

Por Ayla Karine Fortunato
em 28-01-2014, às 14h17.

Para reverter esses índices do sedentarismo  é preciso investir na saúde das crianças e jovens, para que, no futuro, o Brasil possa contar com adultos mais saudáveis.  Agir sobre as crianças e adolescentes hoje é fundamental para prevenir uma geração de obesos.

Nada é mais efetivo para atingir essa meta do que investir na Educação Física Escolar. Crianças e adolescentes são bombardeados com todo o tipo de divertimentos que estimulam a inatividade física: TV, vídeo games, computadores. Além disso, a Educação Física carece de sentido para esta população. Os jovens têm que descobrir sentir e reconhecer os benefícios da prática de atividade física em sua vida agora, hoje, e não no futuro, como a maioria dos profissionais incentiva.
 

Por Wagner Pimenta da Rocha
em 01-06-2014, às 21h30.

As pessoas, hoje em dia, estão em busca de mais prazer. As atividades em grupo são interessantes, como a corrida e as caminhadas.
Para mudar sua saúde primeiramente precisará adotar um novo estilo de vida combatendo o sedentarismo e a obesidade alterando o seu comportamento inadequado no consumo demasiado de alimentos gordurosos. O comportamento sedentário é caracterizado pela ausência de exercícios físicos, e, para acabar com ele, é necessário procurar uma academia qualificada ou então, hoje em dia, estão em busca de mais prazer. As atividades em grupo são interessantes, como a corrida e as caminhadas, o importante é não ficar parado.

Por Flavia Lourenção Silva
em 13-07-2014, às 22h29.

A inatividade física pode gerar um fenômeno de adaptação cruzada, que expressa de forma negativa a ausência de adaptações fisiológicas induzidas pelo exercício regular.  Associa-se a falta de adaptação em atividades do organismo que não possuem uma relação direta óbvia com o grau de exercício físico realizado. Como a termorregulação, a atividade fagocitária, a resistência a substâncias tóxicas, a tolerância à hipóxia e à hipoidratação, bem como a estabilidade psíquica, estão reduzidas em indivíduos sedentários (Fédération Internationale de Médecine Sportive). Isso significa que o sedentarismo reduz diversos estímulos que podem exercer efeitos prejudiciais ao organismo os podem ser vistos nas pesquisas apresentadas. Um recurso que poderia ser usado seria a promoção de políticas públicas de esporte e lazer, o qual tem primeiramente o reconhecimento enquanto direitos sociais dos indivíduos e a promoção da saúde. Nisso promover saúde e atividade física na busca da diminuição dos malefícios causados pelo sedentarismo deve incluir como parte importante da atuação do Estado. 

 

Por Diana Sobreira
em 14-07-2014, às 00h24.

O Sedentarismo está ligado ao estilo de vida cômodo e à tecnologia nos dias atuais. Conseguiremos reverter esses números de mortalidade quando conscientizarmos as crianças sobre a importância do exercício físico, e isso pode ser feito na escola. Porém, a criança não fica só na escola, então é de extrema importância também que venham um estímulo familiar. Pais saudáveis e ativos encorajam os filhos e os influencia a ter esse mesmo tipo de comportamento. 

Por Patrícia Fayer
em 26-10-2014, às 00h24.

 

O sedentarismo é considerada a doença do século, e pode proporcionar várias doenças devido à ausência de atividade física como a perda de flexibilidade das articulações, hipotrofia das fibras musculares, o aumento do colesterol, infarto do miocárdio, hipertensão arterial, obesidade, diabetes e a falta de condicionamento físico. Para mudar está realidade é necessário que o sedentário tenha em mente que precisa alterar os seus hábitos de vida de acordo o seu estilo de vida e o seu tempo disponível, além de manter uma alimentação saudável. A estimulação de  uma vida mais ativa deve começar deste a infância nas escolas e também  no meio familiar, pois os exercícios físicos são  de suma importância para um crescimento saudável das crianças.  Uma boa noticia é que segundo as pesquisas de Vigitel 2013, houve um crescimento entre 2009 e 2013 de 11% no número de pessoas que realizam exercícios no tempo livre. 

Por Roberto Affonso Pimentel
em 26-10-2014, às 11h22.

Laércio,

Parece que todos, incluso a OMS, se esqueceram nas recomendações de exercícios diários, das obrigações conjugais (ou extra) da atividade muito prazerosa de prática sexual. Os benefícos para a saúde como um todo são muito mais efetivos que qualquer caminhada ou esteira. Que o digam os especialistas e atletas do ramo.

E com um bom senso de humor, pelo permissão para o trocadilho: visitem o Procrie, com novidades sobre atividades para professores.

Abraço. 

Por Allan Gabriel da Silva Nascimento
em 25-11-2014, às 15h08.

Muitas vezes nos esquecemos que a obesidade contribui para o sedentarismo  e só pensamos o contrário, uma pessoa desestimulada, com dificuldades para locomoção, entre outras coisas tende a ficar ainda mais em risco, sendo difícil tomar o caminho de uma vida saudável. A obesidade é uma doença multifatorial complexa e tem associada a si outros fatores de risco cardiovascular. De acordo com alguns autores (Hill JO, Peters JC. Environmental contributions to the obesity epidemic. Science) (Jebb SA. Obesity: from molecules to man. Proc Nutr Soc) as causas do aumento significativo da obesidade nos útlimos 20 anos são predominantemente ambientais, com componente genético contribuindo de maneira reduzida, sendo assim, um estilo de vida sedentário e o aumento na ingestão de gordura na alimentação diária tem grande importância no crescente número de casos de obesidade. 

Por Kairo Rodrigues Ribeiro
em 11-01-2016, às 10h26.

segundo estudo divulgado a poucos dias do início das Olimpíadas de Londres diz que a falta de exercícios tem causado tantas mortes quanto o tabagismo. A pesquisa, publicada na revista médica Lancet , estima que um terço dos adultos não tem praticado atividades físicas suficientes, o que tem causado 5,3 milhões de mortes por ano em todo o mundo.A inatividade física é responsável por uma em cada dez mortes por doenças como problemas cardíacos, diabetes e câncer de mama e do cólon, diz o estudo. Os pesquisadores dizem que o problema é tão grave que deve ser tratado como uma pandemia. Eles afirmam que a solução para o sedentarismo está em uma mudança generalizada de mentalidade, e sugerem a criação de campanhas para alertar o público dos riscos da inatividade, em vez de lembrá-lo somente dos benefícios da prática de esportes.

http://saude.terra.com.br/doencas-e-tratamentos/sedentarismo-mata-tanto-quanto-cigarro-diz-estudo,d88fb8496b998310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

Por Leandro dos Santos Oliveira
em 12-01-2016, às 19h52.

Só complementando, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) uma solução para diminuir e até mesmo acabar com o sedentarismo é a prática de pelo menos 30 minutos de exercícios físicos por dia, já que a inatividade é o quarto principal fator de risco de mortalidade em todo o mundo, perdendo apenas para diabetes, tabagismo e hipertensão. 30 minutos por dia de exercício diário podem mudar a vida e o processo de envelhecimento de qualquer um!

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.