Legislação Desportiva - CEVLeis

Ponto de Encontro dos Profissionais, Estudantes e Pesquisadores

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevleis/

Daiane, Uma Vítima a Mais



Comuneiras e Comunigtários,

não tenho a menor dúvida: Daiane foi vítima dos que se beneficiam à larga e à francesa com o esforço, a dedicação, os sacrifícios dos atletas.

Como Operador do Direito Desportivo lamento a ação dos gananciosos em prejuízo de gente como a Daiane: ONDE ESTÁ A RESPONSABILIDADE DO MÉDICO QUE NÃO ALERTOU A ATLETA PARA OS PROBLEMAS QUE O USO DE DIURÉTICO PODERIAM CAUSAR?  ou ela desprezou os conselhos?   

E dizer que bastava um atestado médico encaminhado à Confederação informando os problemas de saúde enfretados por ela, a necessidade do uso do produto proibido, sua dosagem etc e tempo de tratamento... BASTAVA ISSO!!!!

E vai ficar tudo por isso mesmo, como no caso da lesão da Jade Barbosa....?  No futebol as torcidas costumam dizer que  " O juiz sempre rouba pro outro time". E no atletismo, a culpa é do atleta?

Marcilio Krieger

Ops: que me desculpem os que pensam diferente, mas isto de descriminalização das drogas só beneficiará quem já se beneficia delas... Aliás, a quem aproveitou, nos Estados Unidos, a descriminalização ds bebidas alcoólicas? ( Se não sabem, convém saber: os grupos mafiosos se institucionalizaram, tornaram-se respeitáveis empresários ...)

Aqui no Brasil, seguramente criarão uma drogabrás, com ministro e comissionados nomeados pelo partido no poder... Ou vão me dizer que não?   Ora, ora, pessoal, já não estamos em idade de acreditar em bruxas, em promessas de campanha, em partidos no poder....

MK      

Tratamento para gordura localizada causou doping de Daiane

Ginasta foi flagrada em exame antidoping, realizado enquanto ela não competia, que apontou o uso de furosemida

Redação iG Esporte e Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O Esporte Clube Pinheiros, por meio de uma nota oficial, defendeu a sua atleta Daiane dos Santos da acusação de doping pela substância furosemida. O clube argumenta que a atleta estava se recuperando de uma cirurgia na época em que passou pelo exame que detectou a substância proibida. Além, disso, revelou que a ginasta ingeriu o diurético através de tratamento para redução de gordura localizada.

Na nota, o Pinheiros lembra que Daiane, ausente das competições desde 16 de agosto de 2008 (Jogos de Pequim), realizou duas cirurgias - em 23 de outubro de 2008 e em 25 de maio de 2009, esta para a retirar de placa e parafusos do joelho.

Em seguida, a Confederação Brasileira de Ginástica e o Comitê Olímpico Brasileiro foram informados do afastamento da atleta e "deveriam notificar a Federação Internacional de Ginástica sobre o histórico e a situação da atleta, a fim de evitar a abertura de procedimento investigatório".

Segundo o clube, a partir desta data, "a atleta se tornou inelegível para a realização de exames antidopings" e "portanto, quando Daiane foi submetida ao teste realizado diretamente pela FIG, em 2 de julho de 2009, encontrava-se em tratamento fisioterápico visando readquirir condições para retornar à prática desportiva".

Ainda de acordo com o comunicado, entre junho e agosto de 2009, Daiane se submeteu a um tratamento para redução de gordura localizada, mas, no dia em que coletou o material para o exame antidoping (em julho), anotou na ficha os medicamentos que estava utilizando.

Confira o comunicado oficial do Esporte Clube Pinheiros:

O Esporte Clube Pinheiros vem, pela presente, manifestar-se acerca das notícias veiculadas na manhã desta sexta-feira, que dão conta da abertura de procedimento investigatório perante a Comissão Disciplinar da Federação Internacional de Ginástica, em razão de teste antidoping realizado na atleta Daiane dos Santos.

Campeã mundial de ginástica artística, com diversos títulos conquistados para o país, reconhecida por sua idoneidade e referência no esporte nacional, Daiane se submeteu a duas cirurgias, a primeira em 23 de outubro de 2008 e a segunda, exclusivamente para a retirada de placa e parafusos, em 25 de maio de 2009. Desde a primeira intervenção cirúrgica, a atleta se encontra em recuperação clínica, afastada dos treinamentos e competições.

A última participação de Daiane em competições oficiais se deu no dia 16 de agosto de 2008, durante os Jogos Olímpicos de Pequim.

O afastamento de Daiane para a realização das cirurgias e tratamento de recuperação foi devidamente informado à Confederação Brasileira de Ginástica e ao Comitê Olímpico Brasileiro, com cópia aos respectivos departamentos médicos, em 21 de outubro de 2008, por meio de carta oficial do Esporte Clube Pinheiros, acompanhada de diagnóstico do Dr. Wagner Castropil.

Com base nestas informações, a Confederação Brasileira de Ginástica excluiu Daiane da Seleção Brasileira permanente, em 23 de outubro de 2008, data que a atleta se tornou inelegível para a realização de exames antidopings. Cumpria à Confederação, também, notificar a Federação Internacional de Ginástica sobre o histórico e a situação da atleta, a fim de evitar a abertura de procedimento investigatório.

Portanto, quando Daiane foi submetida ao teste realizado diretamente pela FIG, em 2 de julho de 2009, encontrava-se em tratamento fisioterápico visando readquirir condições para retornar à prática desportiva.

Neste ano, Daiane não reúne qualquer condição para participar de competições e aguarda a alta médica para retornar aos treinamentos.

Aproveitando o período de inatividade, Daiane realizou, com seus médicos particulares, entre junho e agosto de 2009, tratamento para redução de gordura localizada. No dia da coleta do material pela FIG a atleta fez constar na ficha todos os medicamentos utilizados nestes procedimentos, incluindo enzimas (furosemida).

Comentários

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.