Legislação Desportiva - CEVLeis

Ponto de Encontro dos Profissionais, Estudantes e Pesquisadores

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevleis/

Lucros nas Transferências dos 3 Grandes Portugueses



Enquanto no Brasil alguns ’experts’ falam em proibir a ida de atletas para o exterior  (tal como rasgar a Constituição).

Nossos colonizadores hoje nao mais ricos como qdo eram donos de meio-mundo, fazem diferente.. investem na base e na compra de jogadores

(o que tbem podemos fazer com jogadores da america do sul...)

O dia em que o Brasil tiver uma moeda mais forte poderemos ter nossos craques aqui, enqto isso nao ocorre temos que formar mais jogadores de qualidade.

mc

http://www.futebolfinance.com/lucros-nas-transferencias-dos-3-grandes-portugueses

A Liga Portuguesa é hoje uma liga de média dimensão Europeia, os clubes debatem-se com a falta de receitas e a venda dos seus melhores jogadores tem sido nos últimos anos o principal meio para tentar equilibrar as finanças dos clubes. Ao tornar-se um país exportador de jovens talentos devido a necessidades económicas, os clubes Portugueses desenvolveram dois métodos prioritários para gerar receitas através de transferências; o primeiro foi o de desenvolver a formação de jogadores de forma massiva através das academias; o segundo foi o de comprar jovens talentos estrangeiros a baixos preços, utilizando as competições europeias e o campeonato nacional como montra para a valorização dos jogadores provenientes de ambos os métodos.

Desde 2000 os três grandes clubes Portugueses (Benfica, Porto e Sporting) movimentaram mais de 875 milhões de Euros na venda e aquisição de jogadores. Em termos de mais valias geradas, é óbvia a necessidades de atingir o sucesso desportivo no espaço entre a compra/formação de jogadores e a sua venda, como meio valorizar os seus direitos económicos.

Reunimos os valores das aquisições e vendas de jogadores de Benfica, Porto e Sporting desde a temporada de 2000/01 até 2008/09, como forma de constatar-mos os lucros obtidos através das transferências de jogadores.

FC Porto
Aquisições: 155 milhões de Euros / Vendas: 305 milhões de Euros / Lucro: 150 milhões de Euros
Maior investimento em jogadores em 04/05 com 50 milhões de Euros;
Maior receita na venda de jogadores em 04/05 com 98 milhões de Euros.

SL Benfica
Aquisições: 115 milhões de Euros / Vendas: 125 milhões de Euros / Lucro: 10 milhões de Euros
Maior investimento em jogadores em 07/08 com 37 milhões de Euros;
Maior receita na venda de jogadores em 07/08 com 48 milhões de Euros.

Sporting CP
Aquisições: 60 milhões de Euros / Vendas: 110 milhões de Euros / Lucro: 50 milhões de Euros
Maior investimento em jogadores em 07/08 com 10 milhões de Euros;
Maior receita na venda de jogadores em 07/08 com 33 milhões de Euros.

Nota: (1)Os valores apresentados são aproximados, servindo apenas como meio de comparação e constatação da política de transferências e resultados obtidos pelos clubes em causa, (2) Foi contabilizado para o estudo o valor total do passe de cada jogador pago pelo clube comprador a quando da transferência.

(ex: o jogador Manuel Fernandes foi vendido em 07/08 pelo Benfica ao Valencia por 18M€, no entanto o Benfica só detinha 50% dos seus direitos, pois havia alienado previamente 50% do passe do jogador. Para efeitos do estudo foram contabilizados os 18M€.)

Comentários

Por Fernando Tasso de Souza Neto
em 10-07-2009, às 11h21.

Parece que os portugueses descobriram o seu papel no mercado da bola. Ja que disputar contra os grandes ingleses, espanhois e italianos ainda é muito difícil, precisam aproveitar sua condição para gerar lucro. Assim, descobriram que podem formar bons atletas, além de negociar atletas extra comunitários e com isso lucrar bastante.

O ponto mais significativo, ao meu ver, é a forma como esses clubes conseguem lucrar “comprando” e depois “vendendo” determinados jogadores. Exemplo, Anderson, transferiu-se do Grêmio para o Porto e depois de lá para o Manchester, o que encheu os cofres do Dragão. Ramires é outro que deve gerar um bom lucro, assim eu espero. Contratado barato pelo benfica, o atleta, caso se destaque, pode se transferir por uma verba muito maior para outro clube europeu.

Interessante é que o desempenho desportivo está intimamente ligado ao sucesso financeiro, e os três clubes devem ser analisados de formas diferentes.

O FC Porto é o clube com os melhores resultados esportivos. Além de campeão da Liga dos Campeões em 2004, o clube é tetra campeão português. Por isso mesmo o pessoal de azul consegue lucrar mais que os rivais. Com o sucesso esportivo da equipe, os jogadores acabam se destacando também individualmente, o que facilita as negociações.

O Benfica é clube que menos lucrou nesse período. Os encarnados têm gasto muito com transferências sem, contudo, conseguir um retorno nas “vendas”. Os maus resultados em campo levam a isso. Agora, a contratação de Ramires, que ao meu ver foi bastante barata, pode gerar um bom lucro ao Benfica, basta que o time tenha sucesso e o atleta se destaque individualmente.

O Sporting é um caso à parte, os leões priorizam as categorias de base e a formação de jogadores. Vejam que é o clube que menos gasta, mas tem um lucro maior que o rival de Lisboa. A Academia do Sporting é considerado um dos melhores centros de treinamento da Europa, lá surgiram grandes jogadores como Figo, Nani e Cristiano Ronaldo. Enquanto os rivais gastam bastante com a contratação de jogadores, o Sporting “fabrica” os seus craques em casa. Isso, porém, tem um custo, pois com equipes sempre jovens o clube não tem onseguido o sucesso desportivo desejado.

Os portugueses já descobriram seu papel dentro do mercado europeu, sabem que não têm condições de brigar financeiramente com os grandes, aproveitam, então, para lucrar como formadores ou intermediários. Agora, o Brasil precisa se encontrar. Nada de querer proibir a transferência de atletas, precisamos é formar melhores jogadores para que possam ser cada vez mais caros e assim gerar lucros maiores aos nossos clubes. Chega de nadar contra a maré.

Por Marcilio Krieger
em 11-07-2009, às 13h20.

Ora, pois é.

Uma vez mais a gente se depara com temas que têm a ver com " o  modelo exportador de cultura primária", como ocorreu nos tempos coloniais. Naquela ocasião, o Brasil exportava a cana-de-açúcar em bruto - e somente anos mais tarde, e graças à presença de "empresários" portugueses no Nordeste, passou-se a exportar o açúcar...     Décadas depois, foi a vez do café. Os Barões do Café enricaram à custa da exportação do grão que, na Europa, era a base dos melhores e mais caros blends, beneficiados os graãos importadois do Brasil como se fossem...COLOMBIANOS!!!!

E o escândalo dos nossos minérios que continua até hoje? Exportamos areia monazítica como se fosse lastro de navio e importamos o produto processado.... e o ferro, o manganês, o tungstênio, o.....

Vai longe a lista.  Sabe quem emnriquece neste tipo de comércio de exportar o produto primário?

No futebol, são os cartolas associados aos "empresários". Nos outtros esportes, ou melhor, outras modalidades, ocorre quase o mesmo : só que lá o "passe" tem outro nome....

E o interessante é que  " ninguém sabe, ninguém viu" e as receitas poúblicas ficam por isto mesmo...

Marcilio Krieger

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.