Educação Física no Maranhão

Ponto de Encontro dos Profissionais, Estudantes e Pesquisadores em Educação Física e Esportes no Maranhão

Entrar na Comunidade

Jorge Bento Escreve ? o Que é ética?



http://www.blogsoestado.com/leopoldovaz/2016/12/01/jorge-bento-escreve-o-que-e-etica/

 

 

O que é a ética?

Há muitas variantes da mesma resposta. A ética cuida das regras do jogo, que praticamos vivendo em comunidade e estando juntos. Com o intuito de alcançar o máximo de harmonia e dificultar que, nas cacofonias e nas falhas dela, os conflitos se instalem e medrem. O Outro, o que lhe fazemos ou como o tratamos, é o metro-padrão da ação.
Paul Ricoeur (1913-2005) deixou-nos uma brilhante definição, grávida e indicadora de consequências práticas: a ética é “estar bem com os outros e para os outros em instituições justas.”
A ética é, pois, a cultura do bem e da justiça. Convida a edificarmos instituições e sociedades nas quais reine a cooperação sobre a rivalidade, a doação sobre a egolatria, o altruísmo sobre o egotismo, a solidariedade sobre a arbitrariedade, os fins institucionais sobre os interesses perversos, o florescimento da humanidade sobre o arcaísmo da nossa animalidade.
Enfim, agir eticamente é assumir atitudes e comportamentos com altitude. É elevar-se do chão raso da indignidade deprimente para as alturas da dignidade transcendente.

 

Comentários

Por Roberto Affonso Pimentel
em 01-12-2016, às 16h35.

Para enriquecimento de muitos cevnautas, acresço o pensamento do professor Manuel Sérgio (21/7/2015)

ÉTICA NO DESPORTO... Do Jogo ao Desporto em Bourdieu e… não só

Não sou sociólogo e não encontro, por isso, em mim, meritórias qualidades para criticar Pierre Bourdieu. No entanto, não deixo de o ler, para não descambar em longuíssimos, enfáticos e desnecessários discursos, a seu respeito.

Quando, em 1969, no curso de Instrutores de Educação Física de Lisboa, entrei de lecionar a disciplina de História da Educação Física, logo procurei demonstrar aos alunos que o desporto moderno nasceu do ócio que o progresso económico permitiu aos países mais desenvolvidos, mormente a Grã-Bretanha. E foi, nos clubes, ciosamente reservados aos gentlemen e nas public schools, que o desporto moderno despontou e se organizou, pela vez primeira.

Aliás, no ser humano, não há fenómenos simples, tudo é um tecido de relações. E é bem pouco distinguir os meios e esquecer os fins. A propósito, podemos escutar a voz afirmativa e explicativa de Eduardo Lourenço: “Estamos realmente na era da diversão e do divertimento, expressões que, para Pascal, tinham sentido sobretudo, dentro de uma visão religiosa da vida e de certo comportamento ético a ela ligado. Hoje, o divertissement não é algo de que alguém se envergonhe, passou a ser realmente um comportamento universal.

E, assim como a passagem do jogo ao desporto significou, entre outras coisas, que a sociedade do espetáculo, lépida, se aproximava e que a visão do corpo se transformava, também hoje o desporto, sujeito à regra absoluta de uma economia das pessoas em função do mercado, é cada vez menos jogo e cada vez mais espetáculo e trabalho.

[...] no Desporto, a excelência tem tudo para ser democrática, resulta de uma competição entre iguais e em igualdade de circunstâncias. E de uma vontade de socializar, dado que a competição é um diálogo, um chamamento para um especial encontro. Entre pessoas e instituições. À luz de um determinado projeto…

E uma questão ainda: e qual o valor social do desporto? O valor social do desporto reside na ética dos “agentes do desporto”… porque não há desporto, há pessoas que o fazem! É verdade que o liberalisno dominante se esqueceu de conjugar a liberdade necessária com a igualdade possível, num equilíbrio de recíproca compatibilização (…). Como diria ironicamente o velho Anatole France, a lei dos regimes liberais é infinitamente justa, porque proíbe igualmente ao rico e ao pobre dormirem debaixo das pontes”.

E conclui dizendo... Mas não foi em ambiente adverso que nasceram os grandes políticos e os profetas fundadores das grandes ideologias? E não é o Desporto, mais do que uma Atividade Física, uma Atividade Humana? Ou, se não levarem a mal, um dos aspetos da motricidade humana? E com a passagem de Atividade Física a Atividade Humana é o homem todo que se movimenta, na prática desportiva.

E assim o Desporto não tem só que “fazer bem à saúde”, tem de concorrer também ao surgimento de um mundo novo, ou a uma Nova Ordem Mundial.

---------------------------------------------

Pena que muitas pessoas parecem não entender o significado do que seja ética... pelo menos na prática.

Por Leopoldo Gil Dulcio Vaz
em 02-12-2016, às 07h34.

Roberto, reecebi os livros!!! obrigado!!!!

 

Por Roberto Affonso Pimentel
em 02-12-2016, às 08h13.

Leopoldo,


Não há o que agradecer, pois era uma dívida que tinha com você.

Agora, a questão é ser ou não ser, i.e., ler ou não ler

Se possível, divulgue entre seus amigos e seguidores.

Brincadeira à patre, aguardo suas impressões e críticas.  

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2016 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.