Tecnologia no Esporte

Discussão da tecnologia dentro do esporte, seja na prática esportiva, melhora da performance, equipamentos, ou no uso de softwares para Gestão de Clubes, Arenas, Federações

Entrar no Grupo

Essa comunidade migrou para o Facebook. Participe: https://www.facebook.com/groups/cevtech/

Usp Usa Videogame Para Estimular Crianças Obesas a Praticar Exercícios



Cevnautas da Tecnologia, vamos juntando informação. Alguém sugere mais projetos como esse? Laercio

USP usa videogame para estimular crianças obesas a praticar exercícios

22/01/2015 07h15  

Objetivo é comprovar que atividades físicas são prazerosas, diz pesquisador. Jovens de 7 a 10 anos passa uma hora jogando, duas vezes por semana.

Taiga Cazarine - G1 Ribeirão e Franca   Convencer crianças sedentárias e acima do peso que fazer atividade física é algo divertido e prazeroso não é uma tarefa fácil. No entanto, esse é o objetivo de um projeto desenvolvido pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFERP/USP) em Ribeirão Preto (SP), que utiliza jogos interativos de videogame para entreter meninos e meninas, de 7 a 10 anos, e comprovar cientificamente que é possível se exercitar brincando.  

As aulas são realizadas duas vezes por semana, com a duração de uma hora, no Laboratório de Exercício e Mídia Interativa, anexo ao Ginásio Poliesportivo da EEFERP/USP. A sala conta com cinco videogames Xbox e espaço para atender cinco crianças por vez. Os pequenos fazem alongamento antes e depois das atividades, e podem escolher entre diversos tipos de jogos, que exigem habilidades físicas com vários níveis de dificuldade.  

O professor Hugo Tourinho Filho, um dos coordenadores do projeto, explica que dois fatores foram primordiais para o início da pesquisa: obesidade infantil e ocorrência de doenças crônico-degenerativas em crianças, como o diabete tipo 2, hipertensão, e nível elevado de colesterol, que geralmente acometem apenas adultos. Ele ressalta ainda que o foco do projeto não é fazer a criança perder peso, mas proporcionar uma experiência positiva para que se interesse pela prática de esportes.  

Tourinho Filho afirma que, muitas vezes, as atividades são usadas para preencher o tempo ocioso nas escolas, ou ainda são vinculadas com castigos, como quando a criança não consegue alcançar uma meta e é punida fazendo polichinelos, por exemplo. " Primeiro, queremos conquistá-la. Exercício não é castigo, é algo bom. Quando estiverem mais estimulados com a ideia, partiremos para uma segunda etapa, que é levá-los para atividades externas”, explica.  

Ainda de acordo com o pesquisador, artigos científicos comprovam que a obesidade não é o único fator limitante para o sedentarismo, basta que a criança obesa desenvolva uma atividade que respeite suas limitações. "Muitas vezes, não é a criança com sobrepeso que não quer participar dos jogos na escola, mas ela quase sempre é excluída pelo coletivo. Nossa proposta é mostrar que ela tem lugar e pode se sentir à vontade”, afirma.  

A intenção dos pesquisadores é manter o projeto por tempo indeterminado para, mais do que coletar e analisar dados, transformá-lo em um programa de extensão, de cunho social. Até por isso, as crianças também receberam uma tabela com diversos desenhos de alimentos, para que possam marcar diariamente o que comem e avaliar a qualidade nutricional do que estão ingerindo.  

Fonte com fotos e links: http://bit.ly/cev3001

Comentários

Por Dash Rainbow
em 22-01-2015, às 13h24.

Olá! ^^"

Achei legal essa iniciativa da USP, mas vou aproveitar pra falar um pouquinho sobre as minhas experiências e expectativar no que diz respeito a video game, kinect e movimento, mais especificamente dança.

Eu trabalho com uma dança chamada ParaPara (saiba mais: culturaparapara.com.br). É muito comum realizarmos salas temáticas em "eventos de anime". As pessoass não estão acostumadas a movimentar o corpo delas de certas maneiras e tira-las da zona de conforto pode ser uma tarefa complicada. Porém, algumas vezes tivemos a oportunidade de usar o video game ParaPara Paradise que serve como incentivo para os mais timidos  que se sentem "jogando" ao invés de "dançando". Conforme fazem pontos se sentem gratificadas pelo seu esforço e os demais sentem-se motivados a superar a pontuação e entram no jogo também, criando aquele clima de competição saudavel. Embora meu objetivo final seja convence-los a dançar em roda, uns com os outros, ao invés de dançarem com uma máquina, mas... uma passo de cada vez né! hahaha

O xbox como bem sabemos é um console bem caro, somando o valor do joystick (kinect) e dos video games (jogos) fica ainda mais caro e por sua vez mais seletivo e elitizado.
O Cultura ParaPara vem estudando formas de criar um jogo gratuito que possa ser jogado em casa através do computador utilizando o kinect. Acredito que essa ainda seja uma longa jornada e espero que outras pessoas estejam pensando em formas de tornar o jogos de sensores de movimentos mais acessíveis, inclusive em outras áreas diferentes da dança.

Se alguém aqui tiver algum interesse particular em programação, designer e outras coisas mais que são necessárias no desenvolvimento de um jogo, entre em contato =)

Por Roberto Affonso Pimentel
em 22-01-2015, às 15h08.

Olá Dash,

Combaendo a timidez e buscando a autoconfiança.

Já experimentou utilizar a técnica do GRITO para combater a timidez. Usei em voleibol com crianças que agora não param de falar, especialmene as meninas. A seguir, transforme a fala em escrita - aprendem a pensar antes de escrever - e a se comunicar mais racionalmente ao construir com eficácia os pensamentos.

Produza coeducação, com aulas, reuniões sociais com os dois gêneros.

Por Antônio Sérgio Maritan Junior
em 22-01-2015, às 16h43.

Boa tarde,

Precisamos melhorar a qualidade dos nossos professores de Educação Física Escolar. 

Por Dash Rainbow
em 22-01-2015, às 18h03.

Nunca usei técnica nenhuma pra superar a timidez, essas salas temáticas são bastante irregulares, as pessoas entram e saem o tempo todo é um pouco diferente das salas aulas.
Mas curti essa vibe de dinamicas pra superar timidez, vou prar pra dar uma olhada nisso.

Também acho que precisa, eu odiava educação física na escola, nem sei como eu fui parar nessa faculdade!

Por Alan Queiroz da Costa
em 26-02-2015, às 22h47.

Olá Dash,

Legal sua iniciativa de explorar esse estilo de dança nas aulas de EF, ms vc mesma já percebeu o qto é dificil superar a timidez! 
 

Sua estratégia me interessa muito (estudo videogames nas aulas de EF) e como sugestão, que tal primeiro utilizar jogos de dança que os alunos conhecem, com ritmos que eles conhecem, inlcusive pedindo para eles trazerem jogos e músicas. Dependendo das respostas, vc pode apresentar esse novo estilo, contextualizá-lo (como fez conosco aqui, apresentando site, vídeos, etc) e, junto com a prática, ensinar para eles.

Confesso que achei bem seletivo o estilo, uma vez que no próprio site mostra que foi uma onda mto forte no Japão e que tem caído, mas tbém acho que vale e experiência!

Prof. Roberto não conheço a técnica do grito mas fiquei curioso!rsrs

Prof. Antônio, acho que Dash deu um belo exemplo de como podemos tentar melhorar "a qualidade dos nossos professores de Educação Física Escolar" :)

Dash, espero que a dica ajude e que contiue explorando o videogame em suas aulas e possamos continuar o papo! Dá uma olhada no meu Blog aqui mesmo no CEV (http://blog.cev.org.br/alancosta/)!

Abs a todos 
A

Por Hugo Leonardo Barros de Paula
em 08-04-2015, às 01h36.

Penso que é uma boa iniciativa! Tudo tem seu lado bom e ruim. A teconologia pode sim causar o sedentarismo, mas pode também criar interesses e curiosidades. Jogos de video game é um bom exemplo, existe jogos hoje que envolverm exercícios físicos, podendo assim ajudar as crianças perderem energia , combater a obesidade, criar nelas o interesse pela prática fora dos video game também. Além de todos esses benefícios é uma forma de levar os alunos que possuem uma certa timidez a terem uma convivência melhor com seus colegas. Claro que é preciso sempre manter um limite e ressaltar a importância dos exercícios praticados para a saúde. Um ponto negativo já citado é a questão do preço desses video games, realmente são caros!

 

Por William Tozei
em 11-04-2015, às 18h12.

Os jogos virtuais já são utilizados por quase todos os jovens, como mostram alguns questionarios. E cada vez mais a tecnologia se aproxima da realidade, possuindo aparelhos com sensores de movimento, obrigando ao usuario ficar em pé e se movimentar. Acredito que utilizar desses equipamentos para iniciar a praticia de atividades físicas possua bons resultados, pois o jovem executa uma atividade leve e desfruta de seus prazeres. Entretanto, o uso deles em escolas é inviavel em dois pontos, o financeiro, já que o custo é de videogames no Brasil é alto e, em outro aspecto, é que a Educação Física deve promover novos estimulos a essas crianças, que provavelmente tem acesso a esses recursos em seu tempo livre fora do ambito escolar. 

http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/seminario2/trabalhos/archimedesjunior.pdf

Por Milton Amaral Pereira
em 03-05-2015, às 20h02.

A utilização de jogos virtuais e aparelhos eletrônicos para estimular o exercício físico pode até ser um bom recurso, talvez consiga trabalhar a motivação das crianças em participar da aula de educação física, principalmente as sedentárias. Porém o alto custo do produto inviabiliza a progressão deste projeto. Acredito que o velho método tradicional de jogos e atividades lúdicas na educação física ainda seja o melhor remédio contra o sedentarismo dos jovens e crianças na escola. 

Por Kethlen Isabela de Oliveira Ribeiro
em 26-05-2015, às 11h48.

De fato, é um 'primeiro passo' para diminuir os casos de obesidade e problemas relacionados à ela em crianças. Os jogos eletrônicos são muito atrativos, tornando mais fácil fazer uma criança realizar atividades físicas  e acabar gerando um gosto pela prática. Mas infelizmente não são todos que podem contar com essas tecnologias de alto custo, além disso devemos nos atentar para a prática de atividades físicas aliada com uma boa alimentação. Só assim serão alcancados bom resultados. Como disse, é o primeiro passo, mas ainda há muito o que fazer.

Por Alexandre Lucas da Silva Pereira
em 01-02-2016, às 15h52.

Hoje vivemos na era digital, onde nem para mudar o canal da televisão precisamos sair do sofá, as crianças hoje não tem o habito de brincar na rua, tem a infância menos fisicamente ativa contribuindo muito para cada vez mais o aumento da obesidade infantil. Esse projeto da USP ajuda as crianças de hoje a terem prazer no exercício físico já que agrega a esse exercício algo que promove muitos prazeres a eles, o videogame, com a pratica mais prazerosa as chances dessas crianças deixarem de fazer o exercício são bem menores, assim aliado a uma boa alimentação ajudando a reverter os casos de obesidade infantil. 

Por Luísa Helena Silva
em 01-02-2016, às 17h59.

A tecnologia é sem dúvidas um das maiores ferramentas se sobrevivência do homem em muitos aspectos. No esporte por exemplo, a iniciativa na Liga Mundial de Vôlei para conferência de jogadas e pontos foi muito bem vista pelos atletas e treinadores! Na infância, o mundo dos games tem tomado conta cada vez mais e a iniciativa de incentivar crianças a praticar esportes em casa e atraves de seus video games pode sim ser uma saída para um problema que preocura tanto, nós, educadores físicos que é a obesidade. Através dessa maneira com os "kinects" e "moves", as crianças e jovens acabam praticando esportes sem perceber e muitaas vezes é a saída para evitar doenças crônicas e agravamento do caso da obesidade. Acredito que ganhamos mais um aliado!  

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.