Impactos da Pandemia do Sars-cov2-covid-19 na Prática de Exercícios Físicos Regulares em Brasileiros Residentes em Minas Gerais - Brasil

Por: Alessandro de Oliveira e álvaro César de Oliveira Penoni.

43º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte SIMPOCE

Send to Kindle


.Resumo

A relação entre atividade física, saúde e qualidade de vida tem sido abordada em inúmeros trabalhos publicados nos últimos anos. Em março de 2020 a OMS declarou o surto causado pelo novo coronavírus (SARS-CoV2-COVID-19), como uma pandemia global, sendo decretado em vários países o afastamento e o isolamento social na sociedade como medida preventiva. Porém, esta condição pode resultar em consequências à saúde humana como a diminuição do comportamento ativo. Este estudo buscou analisar, o comportamento quanto à prática de exercícios físicos (EF) em residentes no Estado de Minas Gerais durante o período de isolamento social. Tal estudo foi realizado entre maio e junho de 2020, sendo utilizado um questionário semiestruturado disponível por meio da plataforma Google . Das 2.046 respostas obtidas, 1.470 (1027 mulheres) foram de partícipes residentes no estado de Minas Gerais. Foram coletadas as variáveis de nível de escolaridade, estado civil, prevalência de prática do EF antes e durante o período de isolamento e, a percepção da intensidade do EF entre os respectivos períodos. Os dados foram expressos por meio de frequência absoluta e relativa [n(%)]. Para a comparação das proporções entre os períodos e, verificação de associação entre o sexo e a percepção da intensidade do EF foram utilizados os Teste de McNemar, Quiquadrado (V de Cramer) e Q de Cochran (p < 0,05). A caracterização amostral revelou que 97% e 65% dos partícipes possuem pelo menos o ensino médio e não se encontram 2 casados, respectivamente. Quanto à proporção de prática de EF entre os períodos estudados, constatou-se diminuição (X = 194,941, p<0,01) na prática destas atividades (1) (Tabela). Além disso, dos 599 partícipes que permaneceram ativos durante a pandemia 35,2%, 18,8% e 46,3% aumentaram, não modificaram e diminuíram a intensidade de 2 seus exercícios, respectivamente. Por fim, o fator sexo mostrou associação com a percepção do EF realizado (X = 10,588, p><0,01) sendo evidenciado um aumento na (1) intensidade do EF durante o isolamento em mulheres ativas. Concluindo, o isolamento social em decorrência do SARS-CoV2-COVID-19 provocou uma redução na prática de EF em indivíduos residentes em Minas Gerais. No entanto, apesar de tal impacto, uma maior prevalência de mulheres que permaneceram ativas durante o isolamento, aumentaram a intensidade de suas atividades em relação ao público masculino.><0,01) na prática destas atividades (1) (Tabela). Além disso, dos 599 partícipes que permaneceram ativos durante a pandemia 35,2%, 18,8% e 46,3% aumentaram, não modificaram e diminuíram a intensidade de 2 seus exercícios, respectivamente. Por fim, o fator sexo mostrou associação com a percepção do EF realizado (X = 10,588, p<0,01) sendo evidenciado um aumento na (1) intensidade do EF durante o isolamento em mulheres ativas. Concluindo, o isolamento social em decorrência do SARS-CoV2-COVID-19 provocou uma redução na prática de EF em indivíduos residentes em Minas Gerais. No entanto, apesar de tal impacto, uma maior prevalência de mulheres que permaneceram ativas durante o isolamento, aumentaram a intensidade de suas atividades em relação ao público masculino><0,01) sendo evidenciado um aumento na (1) intensidade do EF durante o isolamento em mulheres ativas. Concluindo, o isolamento social em decorrência do SARS-CoV2-COVID-19 provocou uma redução na prática de EF em indivíduos residentes em Minas Gerais. No entanto, apesar de tal impacto, uma maior prevalência de mulheres que permaneceram ativas durante o isolamento, aumentaram a intensidade de suas atividades em relação ao público masculino.

Endereço: http://celafiscs.org.br/

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.