Análise do Estresse Psíquico em Atacantes no Voleibol de Alto Nível

Por: Dietmar Martin Samulski e .

Revista Brasileira de Educação Física e Esporte - v.16 - n.2 - 2002

Send to Kindle


Resumo

No voleibol competitivo de alto nível, os atletas estão sujeitos, freqüentemente, a enfrentar
situações estressantes. Os atacantes, especificamente, são os responsáveis por finalizar as jogadas e sua
performance depende, em muitas situações, da atuação de outros atletas. Esta e outras condições podem
predispor este jogador a manifestar uma reação negativa de estresse e prejudicar seu rendimento. Este estudo
teve como objetivo principal analisar as situações típicas que atacantes vivenciam durante a competição e
verificar os comportamentos mais prováveis adotados por esses atletas nas respectivas situações. O
instrumento utilizado foi o Teste de Estresse Psíquico do Voleibol (TEP-V), composto por situações
estressantes típicas para a posição do jogador. Colaboraram neste estudo 157 atacantes de voleibol de alto
nível, participantes da Superliga 97/98, sendo 99 do sexo masculino e 58 do sexo feminino, perfazendo um
total de 79,2% da população. Os atletas apresentaram uma idade média de 24,3 anos (± 4,1) e experiência em
competição de 9,1 anos (± 4,3). Verificou-se que para os atacantes, a situação “o levantador não confia em
mim” foi considerada a mais estressante. Concluiu-se que atacantes do sexo feminino atribuem uma carga
negativa maior à maioria das situações típicas. Independente da situação de estresse enfrentada, o
comportamento mais provável a ser adotado pelos atacantes do sexo masculino e feminino foi “tento me
tranquilizar”.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/v16%20n2%20artigo1.pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.