Força Muscular de Rotadores Externos e Internos de Membro Superior em Nadadores Púberes Masculinos e Femininos

Por: Flavia Meyer, Patrícia Schneider e Simone Henkin.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.14 - n.1 - 2006

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi descrever e analisar a força muscular isocinética concêntrica de rotadores externos (RE) e rotadores internos (RI) de ombro de meninos e meninas atletas de natação. Participou do estudo um total de 26 adolescentes saudáveis e em treinamento esportivo competitivo. Os 15 meninos (13,3±0,8 anos, 55,9±7,4 kg e 168±0,1cm) e as 11 meninas (12,7±0,8 anos, 47,0±5,8 kg e 160±0,0 cm) eram púberes (PU). Foi utilizado um dinamômetro computadorizado (Cybex Norm) para medir a
força isocinética na velocidade de 60º.s -1. A Anova One-Way foi utilizada para detectar diferenças nas características físicas entre meninos e meninas (p<0,05) e o teste T pareado e independente para comparar membro dominante (MD) e membro não dominante (MND) e gênero, respectivamente. A média da RE/RI nos meninos foi de 64,75±6,75% no MD e 69,45±9,29% no MND e nas meninas foi de 65,79±7,16 no MD e 77,47±10,29% no MND. A RE/RI no MND foi significativamente maior do que no MD e quando dividido por gênero, apenas as meninas apresentaram este resultado. Esses resultados indicam que nadadores podem apresentar mudanças na força de RE e RI devido ao treinamento.

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/issue/view/56

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.